• by Brunelson

R.E.M: "a canção mais direta do álbum é 'Let Me In', que fala sobre Kurt Cobain" - Parte 5


Em 2019, para marcar o 25º aniversário de outro álbum icônico do R.E.M, "Monster" (9º disco, 1994), o vocalista Michael Stipe e o baixista Mike Mills haviam sido entrevistados pela revista britânica New Music Express, falando sobre a turnê agridoce desse álbum que foi marcada pelas mortes de Kurt Cobain e do ator River Phoenix, ambos amigos de Stipe, além de outros assuntos como a separação amigável da banda em 2011.


* R.E.M: "queríamos fazer algo realmente alto e cru", sobre o disco "Monster" - Parte 1


* R.E.M: "há personagens conflitantes, mas a música é otimista e edificante" - Parte 2


* R.E.M: "foi uma loucura a turnê que fizemos junto com o Sonic Youth e o Radiohead" - Parte 3


* R.E.M: "tive conversas com Thom Yorke quando ele estava num bloqueio como escritor" - Parte 4


* R.E.M: a música da banda que fala sobre o ator River Phoenix


Nesta 5ª parte que separamos para você, segue a entrevista onde eles falam sobre as mortes de River Phoenix e Kurt Cobain:


----------------------------


Jornalista: Então, sobre as armadilhas da fama? Como elas se manifestaram em 1994?

Mike Mills: Não são necessariamente armadilhas, mas apenas mudanças. São coisas com as quais você tem que lidar e é por isso que colocamos uma distância irônica nisso. Os ternos que eu estava usando, tipo, eu sempre quis usar porque essa é a minha personalidade no palco. Os personagens das canções não são Michael Stipe, mas ele pode se colocar no lugar deles e descrever quem eles poderiam ser. Eles não são nós, ok? Existem canções sobre identidade, confusão, autoconsciência, comportamento estranho e todas essas coisas que podemos olhar com uma distância irônica e apresentar ao público para dizer: "Hey, vamos compartilhar isso e nos imaginar como sendo essas pessoas, você e eu, certo? Então, depois dos shows iremos para casa e seremos nós mesmos".

Michael Stipe: E parte de ser eu mesmo era falar publicamente sobre a minha sexualidade pela 1ª vez. Pra mim, era apenas uma questão de privacidade como uma figura pública, onde havia me exposto tanto e queria manter algo pra mim. Cheguei a um ponto em que isso era ridículo e decidi falar publicamente sobre essa questão, o que me deixou feliz por ter feito, é claro.

Jornalista: Você sentiu mais necessidade de distanciar-se dos holofotes sobre a sua sexualidade e sua perda pública por Kurt Cobain e River Phoenix?

Stipe: Sim, River Phoenix morreu antes de começarmos a gravar o álbum "Monster" e eu passei por um período de 06 meses em que simplesmente me fechei e não consegui escrever nada. Isso foi realmente frustrante pra mim e para a banda, que também estava de luto. Todos nós o conhecíamos e o amávamos, mas principalmente pra mim, aquela amizade e relacionamento eram como ter um irmão que perdi. Foi a perda mais profunda que eu experimentei até aquele momento, sabe?

Stipe: Começamos a gravar o álbum e estávamos quase no fim, quando Kurt Cobain morreu. Não posso dizer que nada disso se vincule tematicamente para onde estávamos indo com o disco, exceto certamente na música "Let Me In” que fala sobre Kurt Cobain.

Mills: A canção mais direta do álbum é "Let Me In". É a única música onde não há distância irônica e é exatamente o que parece. É pessoal, real e esta canção surgiu por causa do que aconteceu... É uma resposta direta à perda de um amigo.


"Let Me In"


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques