• by Brunelson

Butch Vig: explicando por que o disco "Nevermind" não é super produzido


O produtor do álbum "Nevermind" do NIRVANA, Butch Vig, revelou em nova entrevista como o som da bateria de Dave Grohl mudou este icônico disco (e a banda) e como ele gravou o álbum.


* Butch Vig: produtor relembra como foi trabalhar com o Nirvana e Smashing Pumpkins

* Butch Vig: “se o disco ‘Nevermind’ fosse lançado nesta semana, não teria o mesmo impacto cultural”


* Butch Vig: renomado produtor escolhe disco do The Who como o álbum definitivo que mudou a sua vida


* Butch Vig: "depois do sucesso de 'Nevermind', nunca mais tinha escutado o disco"


* Butch Vig: falando sobre o grunge e mistura de estilos musicais


* Butch Vig: comentando sobre o documentário "The Smart Studios Story"

Vig disse ao site XSNoize: “Ouvindo o álbum 'Nevermind' hoje, a diferença mais significativa entre quando eles vieram para o Smart Studios para gravar aquelas sessões em 1990 e depois ir para o Sound City Studios gravar o disco 'Nevermind' já com Dave Grohl... Eu não sabia naquela época que eles ensaiavam todos os dias por 06 meses. Eles eram firmes no som".

"Cheguei a usar um metrônomo para gravar a música 'Lithium', mas foi porque Dave Grohl é sólido como uma rocha na bateria e tocou tão intensamente que realmente forçou Kurt e Krist a tocar junto com ele no mesmo tempo, e eles tocaram! Eles realmente se uniram como uma banda com a entrada de Dave - ele era a cola".

"Mas na maior parte do tempo, uma vez que tínhamos todos os sons certos, eu simplesmente escolheria a tomada certa a cada dia e eles geralmente conseguiam uma tomada em duas, três, às vezes, em quatro tentativas, mas não era mais do que isso. De qualquer maneira, Kurt não tinha paciência para fazer mais tomadas".

"Naquela época, o disco recebeu um longo feedback negativo, no sentido das pessoas falarem que era muito produzido ou super produzido, e isso é ridículo, cara".

"Porque usei somente 08 canais de bateria, além do baixo, uma de duas guitarras e Kurt, às vezes, dobrando a sua voz ou ele adicionava a harmonia ou Dave cantava em harmonia. Dos 24 canais da mesa de som, talvez eu usei 13 ou 14 canais. Talvez 15 em algumas músicas, mas era muito simples!"

"Acho que essa é uma das razões pelas quais o disco resistiu ao teste do tempo, por não ser enigmático em sua produção. Alguns discos têm uma marca sonora onde você pode dizer: ‘Oh, é 1987 por causa daquele som do teclado’ ou ‘Esse é o início dos anos 80! Eu posso dizer isto pelo som gigante da caixa de bateria'" .

"Eu acho que a produção faz o disco 'Nevermind' soar atemporal até certo ponto, porque é apenas baixo-bateria-guitarra e um cantor”.

Confira o áudio de estúdio da música "In Bloom", um dos singles do álbum "Nevermind" (2º disco do NIRVANA, 1991):


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead