• by Brunelson

Revista Metal Head: matéria sobre o Alice in Chains de 1994


Segue a matéria completa sobre o ALICE IN CHAINS que foi publicada na revista brasileira Metal Head em meados de 1994.


No começo de 1994, ALICE IN CHAINS havia lançado o seu 4º trabalho de estúdio, o EP "Jar of Flies", e só marcaram 02 shows para "divulgar" o novo disco. Logo depois, o grupo entrou em hiato e só iria retomar as atividades em 1995 para gravar o seu 5º trabalho de estúdio, "Alice in Chains", o último com Layne Staley nos vocais - e que também não foi feita uma turnê completa para promover o álbum.


Aqui, as notícias do envolvimento com drogas por parte de Staley estavam começando a vir à tona nos principais veículos de comunicação, com rumores de que a banda estaria se separando.


Revelações marcantes são escritas nesta matéria, onde cada fã do grupo estava surpreso e temendo pelo futuro do ALICE IN CHAINS.


Porém, algumas informações não vieram a se concretizar, como o boato de que tinham rescindido o contrato com a sua gravadora e de que o grupo tinha definitivamente encerrado as atividades, com Staley saindo da banda e migrando para ser o novo vocalista do grupo SUN RED SUN - onde o ex-baixista do ALICE IN CHAINS, Mike Starr, fazia parte após a sua demissão da banda grunge em janeiro de 1993.


Segue a matéria na íntegra:


* Problemas no Caminho


Depois de caírem fora da 2ª parte da turnê americana que a banda iria fazer com o METALLICA, o vocalista Layne Staley anuncia que está saindo do grupo para montar uma nova banda ao lado do também ex-ALICE IN CHAINS, Mike Starr (baixista). Aqui, você confere a história inteira!


O grupo se separou e o vocalista Layne Staley ficou no hospital por problemas sérios de saúde. A partir daí, vários rumores não confirmados falavam que o vocalista tinha saído da banda, que o grupo foi banido da gravadora Columbia Records e para finalizar a tragédia, que a banda tinha acabado - com o atual baixista, Mike Inez, deixando o grupo para se integrar temporariamente a banda que acompanhará Slash em turnê de promoção do seu disco solo.


Todos esses problemas internos podem ser considerados consequências da dependência das drogas por parte do vocalista, resultando num deplorável estado de saúde (em janeiro de 1993, quem o viu no saguão do hotel quando a banda tocou no Hollywood Rock Festival em São Paulo, pôde constatar a cara de doidão de Staley).


A banda americana teve dificuldade em dispersar a reputação das drogas desde o disco "Dirt" (3º trabalho de estúdio, 1992), que trazia músicas como "Godsmack" e "Junkhead". O baixista original, Mike Starr, saiu do grupo no ano passado (janeiro de 1993), possivelmente por problemas de drogas. A partir daí, ficou público o problema também com o vocalista.


Uma vez questionado se as drogas ajudaram no processo criativo do álbum "Dirt", Staley respondeu: "Não, eu não queria fazer nada quando estava sob efeitos de drogas, exceto bater nas paredes, cair, dormir e queimar meus dedos. As pessoas podem te dizer que isso é a pior coisa no mundo para se fazer, mas você vai e acaba fazendo".


Algumas semanas mais tarde, veio a notícia de que o grupo estava se recuperando e pensando em começar os trabalhos para o próximo disco até o final do ano. Tanto Staley, quanto o guitarrista Jerry Cantrell, fizeram algumas jams ao vivo com diferentes bandas.


ALICE IN CHAINS já tinha caído fora da 2ª parte da turnê americana com o METALLICA, mas Cantrell apareceu mesmo assim em alguns dos shows. O baterista do METALLICA, Lars Ulrich, chegou a comentar que o guitarrista do ALICE IN CHAINS estava viajando com eles na estrada. Ele subia no palco para tocar "For Whom The Bell Tolls", música do 2º disco do METALLICA. Foi uma forma que o guitarrista encontrou para aliviar um pouco as tensões e respirar, enquanto espera para ver todos os problemas sanados.


Ao mesmo tempo, Staley subiu no palco com uma banda de Seattle, SECOND COMING. O vocalista chegou a falar francamente sobre os problemas que está tendo com sua banda.


* O Último Capítulo


O desfecho desta tão tumultuada situação veio dias mais tarde. Layne Staley deixou mesmo o grupo ALICE IN CHAINS. O vocalista se uniu com o ex-baixista do ALICE IN CHAINS, Mike Starr.


Starr deixou a banda no começo de 1993 e depois formou o grupo, SUN RED SUN, juntamente com o guitarrista Al Romano e o ex-BLACK SABBATH e BADLANDS, Ray Gillen, nos vocais. Com essa formação, eles gravaram um disco em 1993 - antes da morte de Gillen. A dupla Romano e Starr continuou tocando junto, e o guitarrista divulgou que Staley agora é o novo vocalista e que ele mal pode esperar para ver o resultado dos novos trabalhos. Romano também declarou que, ou os dois se mudarão para Seattle, ou Layne irá para New York. E ainda acrescentou que Mike está totalmente limpo e entrosado, e está conversando muito com Layne, esperando ansiosamente para trabalharem juntos de novo.


Eles estão discutindo ideias musicais e qual direcionamento o projeto deverá tomar. O último membro que deverá se unir ao trio, Romano-Staley-Starr, é o baterista Bobby Rondinelli, que deixou o BLACK SABBATH logo após a decisão do grupo inglês de recrutar o baterista original, Bill Ward, para os shows do Monsters of Rock Festival na América do Sul.


Sobre o futuro do ALICE IN CHAINS e a persistência desse novo line-up da banda de Staley, só o tempo poderá indicar a durabilidade disso tudo. Assim que maiores detalhes ou novidades vierem à tona, nos divulgaremos aqui na revista Metal Head.


Ficamos torcendo para que tudo dê certo com o grupo e que os integrantes possam se livrar deste mal que é a droga. Música não tem nada a ver com essas porcarias, que acabam só viciando a pessoa, inibindo o potencial, sua capacidade e só enchendo o bolso dos chefes do tráfico.


Confira o áudio de estúdio de uma das canções do ALICE IN CHAINS citada nesta matéria, "Godsmack" (detalhe, não foi adicionado nenhum efeito para o vocal de Staley nesta música):

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead