top of page
  • by Brunelson

Kurt Cobain: homenagem do site Alternative Nation marcando os 30 anos de seu falecimento


Confira a homenagem que o site Alternative Nation fez ao frontman do NIRVANA, Kurt Cobain, marcando os 30 anos de seu falecimento ocorrido em abril de 1994:








A imagem ainda está clara na minha cabeça sobre Kurt Cobain e gravada na minha memória. 


Foi no início de abril de 1994. Eu ainda morava com meus pais e minha irmã 06 anos mais nova, e estávamos fora por 01 semana, esquiando. Naquele dia estávamos voltando de carro para casa, já estava amanhecendo e paramos em um posto de gasolina para abastecer e quem sabe comprar alguns doces. Enquanto dirigíamos para o semáforo, vimos as primeiras páginas dos jornais postados do lado de fora das bancas de revistas.


Havia 03 jornais diferentes na Suécia naquela época, mas todos soletravam as mesmas palavras em grandes letras pretas: "Kurt Cobain está morto". Minha irmã mais nova e eu vimos as manchetes, onde simultaneamente respiramos de forma audível e exclamamos em choque: "O quê?" Ela tinha 13 anos de idade e eu 19 anos e aquilo era muito importante para nós.


Por que? Um jovem que morreu muito cedo e uma pessoa que foi importante para nós, porque fazia músicas que ouvíamos e gostávamos, mas também - e acho que isso foi ainda mais importante - porque expressou algo como ninguém tinha feito antes. Dor, cru, despojado, puro e honesto. Isso é o que ouvimos em sua voz.


Foi em parte a nossa própria dor que ele expressou. De alguma forma, sua voz personificava a dor que sentíamos. É claro, nossos pais não entenderam. A reação deles ao nosso "o quê?“ foi um pouco confuso: “O quê? Quem?", mas eles realmente não se importaram. E não nos importamos que eles não se importassem.


De alguma forma, isso foi significativo. Kurt Cobain era um ícone, uma figura de frente, um rebelde apenas para a nossa geração. Já sabíamos que ele era importante e tínhamos a sensação de que o seria por muito tempo, mas não poderíamos, nem em nossa imaginação mais selvagem, adivinhar quanto e por quanto tempo. Também não queríamos, só queríamos que ele estivesse vivo.


Claro, a sua música foi inovadora. Nunca tínhamos ouvido nada parecido antes. Eu não conhecia o termo grunge na época, mas sabia que era diferente de tudo que já tinha escutado antes. Foi o primeiro do gênero que nos alcançou através do Oceano Atlântico aqui na Europa, mas com boa música e tudo, não vou negar que foi a voz do Kurt que me atraiu, porque foi isso que eu escutei.


Não sei muito sobre a pessoa que ele era. Pra mim, não se trata disso. Existem tantas teorias e eu realmente não quero saber. Não sei o que o estava incomodando. Não pesquisei muito sobre isso, porque não quero. Definitivamente não quero entrar em especulações, isto seria totalmente desrespeitoso. Ele merece mais do que isso. Só sei que ele estava profundamente perturbado e é aí que reside também a sua grandeza. A voz da nossa geração expressando nossa própria dor.


A voz dele... Como posso começar a descrevê-la? Não posso. É tão cheia de emoção e dor que é impossível colocar em palavras. Ela fala por si. Não é perfeita e é isso que o torna perfeito. A coragem, a intimidade, o desespero – às vezes é quase doloroso ouvir demais.


O álbum que mais ouvi naquela época de seu falecimento foi o acústico da MTV de 1993. Pra mim, foi um pouco ousado naquela época essa apresentação do NIRVANA e levou a música que eu escutava a um novo nível. Geralmente ouvia canções muito mais mainstream e isso era um pouco ousado e quase proibido naquela época para quem era fã do grunge. Foi um passo em direção à minha liberdade e à formação da minha própria identidade.


A última música deste show acústico, o cover de Leadbelly, “Where Did You Sleep Last Night”, foi aquela que colocava para repetir toda hora e não conseguia parar de ouvir. No entanto, assim como eu disse antes, foi quase doloroso demais. Foi a expressão de canto mais desesperada que já ouvi. Tão puro e honesto... E aquela voz, meu Deus. Toda a dor que ele deve ter sentido e a dor que muitos de nós sentimos na época, tudo se resumiu e foi canalizado pela voz de Kurt Cobain... Ele abriu um novo território para nós.


Aquela última frase da música “Where Did You Sleep Last Night”, do jeito que ele canta, tipo, eu tremia a noite toda e essa é uma das coisas mais lindas e dolorosas que já vi e ouvi. A maneira como a voz dele falha me faz tremer de prazer e dor até o âmago. E olhando para trás agora, não posso deixar de pensar que foi o adeus de Kurt Cobain.


“Where Did You Sleep Last Night”


Ele sabia o quão grande ele era? Quanto ele quis dizer e ainda significa? Ele poderia ter adivinhado que legado ele deixou?


Eu não acho. Não sei. Claro que não. Mas às vezes penso sobre isso.


Hoje, o álbum "Nevermind" (2º disco, 1991) é o meu preferido do NIRVANA. Acho que é um dos melhores álbuns de todos os tempos - top 03 da minha lista. Isso é indiscutível. Eu amo o disco inteiro. A música “Smells Like Teen Spirit” foi tocada 01 milhão de vezes nas rádios e MTV e eu a ouvi 01 milhão de vezes mais. Eu não me canso disso. Sempre. Eu ouço muito o acústico da MTV também, mas é preciso um pouco mais de esforço para escuta-lo. Por ser tão intenso, não é algo que eu possa ouvir casualmente enquanto estou fazendo outra coisa, mas não importa. Posso escuta-lo em qualquer lugar e a qualquer momento.


Deixando a dor de lado, o NIRVANA também era divertido e não vamos nos esquecer disso. Eu amo o disco "Incesticide" (3º trabalho de estúdio, 1992). Meu amor pelo punk rock e grunge se encontram nesse álbum em uma mistura perfeita na música "Son of Gun" (cover THE VASELINES). A escuto quando tenho vontade de ouvir NIRVANA, mas não quando quero ficar muito emocionado ou triste. Esta canção é uma das minhas preferidas e posso repeti-la toda hora e ela sempre me deixa muito feliz.


"Son of Gun"


Embora Kurt Cobain e o NIRVANA significassem algo para mim já em 1994, não era tanto quanto é hoje. Agora entendo mais e a música deles significa muito mais para mim. É por isso que entendi o quão importante essa banda era. Eu sei que o NIRVANA não foi a primeira banda grunge, mas eles deixaram a maior marca na história. Em 2014, NIRVANA foi eleito ao Rock and Roll Hall of Fame em seu 1º ano de elegibilidade (primeiro disco de uma banda ou artista precisa ter um intervalo de 25 anos de lançamento), ou seja, isso quer dizer alguma coisa.


NIRVANA é sem dúvida uma das minhas bandas favoritas. Estou muito triste por ter descoberto isso tarde demais, por nunca ter visto eles ao vivo e por não fazer parte da comunidade e do movimento grunge naquela época. O grunge não está morto hoje, mas também não está exatamente vivo. Não existem bandas novas e aquelas que já foram as maiores do grunge e da história seguiram um caminho um pouco diferente. 


PEARL JAM está agora muito mais próximo do rock mainstream do que do grunge, assim como havia sido com o retorno do SOUNDGARDEN na década passada. E na minha opinião, ALICE IN CHAINS não é nada sem Layne Staley (falecido vocalista original).


Então, o que resta são os discos antigos. Felizmente, eles não envelhecem e ainda sinto o mesmo arrepio quando ouço a canção “Where Did You Sleep Last Night”. A mesma mistura de prazer e dor, e acho que “Smells Like Teen Spirit” é uma das melhores músicas já feitas de todos os tempos.


Você deveria ter quase 60 anos agora, mas já se passaram 30 anos desde que você nos deixou.

Espero que você tenha encontrado sua paz, Kurt Cobain.

Que saudades de você.

Obrigado.


"Com as luzes apagadas é menos perigoso

Aqui estamos agora, entretenha-nos

Eu me sinto estúpido e contagioso

Aqui estamos agora, entretenha-nos”


(letra da música "Smells Like Teen Spirit")


“Smells Like Teen Spirit”


Comentarios


Mais Recentes
Destaques
bottom of page