top of page
  • by Brunelson

Krist Novoselic: "Kurt Cobain tinha talento para a melodia e era algo que vinha de dentro dele”


“Kurt Cobain tinha esse carisma e essa intensidade que era atraente para as pessoas”, disse o baixista do NIRVANA, Krist Novoselic, em entrevista para a revista Mojo sobre o 30º aniversário do último álbum do NIRVANA, "In Utero" (4º trabalho de estúdio, 1993).



Em 21 de setembro de 1991, NIRVANA iniciou a sua turnê americana em divulgação ao álbum "Nevermind" (2º disco, 1991) na Toronto Opera House, na cidade de Toronto, Canadá. A capacidade do local era de 980 pessoas e a banda contava com uma equipe de apenas 03 roadies. Depois de 02 anos e muitos milhões de álbuns vendidos, a turnê americana do álbum "In Utero" começou no Veterans Memorial Coliseum, na cidade de Phoenix, para um público de 15 mil pessoas e com a equipe do NIRVANA agora somando 17 roadies.

Kurt Cobain, Dave Grohl (baterista) e Krist Novoselic, estavam presentes neste show em Phoenix em companhia do novo 4º membro do grupo, o guitarrista Pat Smear, lenda do punk rock de Los Angeles da década de 80 com a banda THE GERMS, além da violoncelista, Lori Goldston. Enquanto isso, em meio a árvores falsas e ao show de luzes de última geração que estavam no palco, havia dois modelos anatômicos em tamanho real com asas de anjo.


“Estávamos tentando ser profissionais”, lembrou Novoselic. “Então, estávamos fazendo literalmente um show para as pessoas naquela turnê, que contou ainda com uma seção acústica e um cenário incrível de palco. Era tudo uma questão de ser uma banda de classe mundial”. As turnês do disco "In Utero" de 1993 e 1994 pelos EUA e Europa (esta última foi interrompida), viram o NIRVANA aceitar o desafio de agora se apresentar em arenas enormes e mostrar consistência todas as noites.


E a prova deste sucesso surge em um novo e significativo documento ao vivo que virá com o relançamento do álbum "In Utero" em comemoração ao 30º aniversário do disco - estará disponível no mercado em 27 de outubro de 2023 - que serão o áudio de 02 shows completos, um de 1993 e outro de janeiro de 1994, esse último em sua cidade natal, Seattle, e consequentemente o último realizado nos EUA. Essas gravações digitais inéditas retiradas diretamente da mesa de som, foram “separadas e reconstruídas” pelo lendário produtor de Seattle, Jack Endino, atestando tanto o poder do conjunto da banda pelo qual o NIRVANA é conhecido, quanto a incrível capacidade de Cobain de transmutar a sua dor interior em performances catárticas.

“Estes shows são demais”, disse Novoselic. “Eles precisam ser ouvidos e agora com a Inteligência Artificial (IA), você pode pegar uma mixagem estéreo e depois dividi-la em uma multipista. Assim, você pode obter mixagens realmente boas. Elas parecem cruas e você leva Kurt até lá, que está apenas fazendo o show... É incrível!"

Essa mesma combinação de puro instinto artístico e ética de trabalho definiu o álbum original em si, que agora foi remasterizado por Bob Weston para o seu relançamento, ele que foi o engenheiro de som do produtor Steve Albini durante as sessões de gravação de 12 dias em fevereiro de 1993 para o disco "In Utero". Esse box de relançamento virá com várias bugigangas auxiliares, como réplicas de passes para os bastidores, um móbile em 3D do anjo da capa do disco e um painel acrílico removível da referida arte.



“Sabe, as pessoas adoram essa coisa tátil, de ficar pegando nas mãos”, disse rindo Novoselic. “É como ler a revista Mojo, certo? Com os dedos folheando as páginas”.

O baixista se surpreendeu com o fato do NIRVANA permanecer “tão forte como sempre, se não mais forte”, mas sabe que a razão para a presença cultural duradoura da banda não são as reedições de aniversário dos seus álbuns ou as vendas de camisas que nunca acabam: “É Kurt... Ele tinha esse carisma e essa intensidade que era, e ainda é, atraente para as pessoas. E então, ele tinha o talento para a melodia e que era algo que vinha de dentro dele”.

Novoselic cai em gargalhadas quando lhe é sugerido a possibilidade de um show no estilo "Nirvanatar", assim como estão fazendo no projeto ABBA Voyage, que utiliza efeitos holográficos representando avatares virtuais com o mesmo visual das antigas: “Nunca se sabe! Eu diria logo de cara: ‘De jeito nenhum’, mas então, eu diria: ‘Quanto? E quando começamos?’”


E podemos esperar por novas reuniões com Grohl, Smear e você no palco, junto com vocalistas convidados?

“Estou sempre esperando por isso”, finalizou Novoselic. “Houve um tempo em que pensei que nunca mais tocaria essas músicas, mas um dia tivemos uma conversa e dissemos: ‘Ok, vamos fazer isso, mas sem exagerar’. Então, sim, quando for o momento certo, iremos nos reunir”.








"Tourette's" (Disco: "In Utero")


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page