top of page
  • by Brunelson

Foo Fighters: resenha do show em Manchester, Inglaterra - 13/06/2024


Confira a resenha que a revista britânica New Music Express fez sobre o show de estreia do FOO FIGHTERS de sua turnê europeia, realizado nessa quinta-feira passada (13/06/2024, foto) em Manchester, Inglaterra, no estádio de futebol do Manchester United.


A revista concedeu 04 estrelas em um total de 05:




FOO FIGHTERS ao vivo em Manchester continua invencível e ainda intocável.


Dave Grohl mantém seus velhos truques enquanto o FOO FIGHTERS inicia sua turnê mais ambiciosa em estádios de futebol no Reino Unido até o momento.


“Vai ser uma longa noite, seus filhos da p...!”, disse Grohl antes de tocarem a 1ª música. Já ouvimos essa mesma história dele. Shows gigantescos de 03 horas de duração tem sido o pão com manteiga do FOO FIGHTERS por vários anos, justificando o que normalmente seria um horário obscenamente cedo para começar um show - às 19h30hs da noite.


Depois de 16 anos do Reino Unido ter concedido a eles sua primeira oportunidade de tocarem em um estádio de futebol, seu retorno marca a 2ª maior turnê do país durante todo o verão de 2024, superada apenas pela turnê da artista Taylor Swift. E o tema comum do FOO FIGHTERS, ao que parece, é a abordagem de reunir 10 dos seus 11 álbuns de estúdio em um espetáculo gigante.


A clássica canção, "Monkey Wrench", abre inesperadamente um setlist remodelado como de costume, ajudando a revigorar uma multidão modesta que, para ser justo, ficou encharcada pela chuva de Manchester durante toda a tarde. Varrido pelo vento e descabelado, Grohl grita atrás do seu cabelo com sua marca registrada, brincando sobre como um corte de cabelo pode ser iminente dizendo ao público: “Vou parecer o maldito Gandalf em 03 anos”.


O novo baterista, Josh Freese, parece confortavelmente acomodado, mantendo um perfil relativamente discreto para deixar o carisma magistral de Grohl ocupar o centro do palco. Dando seu próprio toque às coisas, em vez de tentar imitar o grande e falecido baterista Taylor Hawkins, a ponte veloz e furiosa na canção "All My Life" é terrivelmente nova, considerando que essa música está há zilhões de anos sendo tocada nos shows. O cenário das canções apresentadas é refrescantemente elegante, com menos tempo de jams do que o normal que estamos acostumados nos shows do FOO FIGHTERS – embora a tentação de arrastar a ponte da música "The Pretender" seja muito difícil de resistir.


Carregando o setlist com os maiores sucessos, a seleção de lados-b é requintada. As canções "Generator" e "Arlandria" provam que um Grohl mais rouco não perdeu um pingo do seu lado emocional, enquanto a música "Under You" do último álbum de estúdio, "But Here We Are" (11º disco, 2023), recebeu uma versão acústica. 


E fomos presenteados com uma canção inédita chamada "Unconditional", uma demo antiga arrastada dos cofres da banda que se encaixou de forma cortês no setlist. Um representante da banda disse ao site Consequence of Sound depois do show, que essa música foi “parcialmente escrita somente como uma demo durante sessões no estúdio caseiro de Dave Grohl anos atrás, mas que ele acabou deixando-a inacabada”.


A declaração continuou, sem dar certeza de que época esta canção foi criada: “A redescoberta da música 'Unconditional' pela banda aconteceu no verdadeiro estilo espontâneo do FOO FIGHTERS. A canção surgiu em uma conversa durante os ensaios para essa turnê pelo Reino Unido e bastou apenas 01 tentativa para que a decisão fosse tomada instantaneamente em querer compartilha-la ao vivo na frente do público”.


Muito possivelmente, a sua música definidora de rock de estádio, "Best of You", continua a ser de classe mundial, elevando o estádio Old Trafford a outra estratosfera. O seu canto pela plateia durou mais do que o encore break e continuou até à volta da banda ao palco. O poder do FOO FIGHTERS de unir milhares de pessoas é mais prevalecente do que nunca. Durante a canção "Everlong" para encerrar o show, a guitarra de Dave Grohl sofreu uma pane e lhe deu a chance de se transformar momentaneamente em Bono Vox (vocalista do U2), andando e cantando pelo palco com o microfone na mão, apenas mais uma característica encantadora para adicionar ao currículo do cara mais legal do rock.


Aproximando-se dos 30 anos como banda, o FOO FIGHTERS adaptou-se face a qualquer adversidade, garantindo que o seu espetáculo no estádio permanecesse coeso, exemplar e simplesmente intocável. Enquanto outros de sua época podem começar a se aproximar do território sobre o assunto "legado a deixar", FOO FIGHTERS continua tão relevante e imperioso como sempre e eles só precisarão de ainda mais estádios de futebol para lotar todos eles.



Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page