• by Brunelson

Dave Grohl: "havia uma disfunção no Nirvana que o Foo Fighters não tem"


Dave Grohl foi entrevistado pela revista Big Issue e falou sobre o "trauma" após o fim do NIRVANA que o deixou se perguntando "se queria tocar música novamente".

O baterista do NIRVANA e frontman do FOO FIGHTERS, Dave Grohl, falou também sobre o sistema "disfuncional" do NIRVANA e o fim traumático da banda depois de apenas 04 anos no grupo.


Grohl descreveu o relacionamento que teve com os seus companheiros de banda do NIRVANA, Kurt Cobain e Krist Novoselic, dizendo que, embora musicalmente o trio fosse um “casamento feito no céu”, às vezes "havia momentos estranhos".

"É claro que nos amávamos e éramos amigos, mas você sabe, havia uma disfunção no NIRVANA que uma banda como o FOO FIGHTERS não tem", disse ele.

“Você também tem que perceber que desde o momento em que entrei no NIRVANA até o momento em que acabou, foram apenas 04 anos... Não foi um longo período de tempo, sabe? Eu estava perto de Kurt, assim como Taylor Hawkins (baterista do FOO FIGHTERS) está para mim? Não".

Grohl disse que se aproximou de Novoselic após a morte de Cobain, mas quando estavam no NIRVANA, poderia ser difícil se comunicar sem a ajuda dos instrumentos musicais.

“Quando vejo Krist agora, eu o abraço como alguém da família, mas naquela época éramos jovens e o mundo era tão estranho...”, acrescentou.

“Mas aquela disfunção emocional no NIRVANA era aliviada quando pegávamos os nossos instrumentos, sabe? Mas se a música não tivesse funcionado, não teríamos ficado juntos".

“Eu realmente acredito que existem algumas pessoas com as quais você só pode se comunicar musicalmente e às vezes, isso é uma comunicação ainda maior e mais profunda. Há pessoas com quem posso me sentir um pouco estranho ao conversar, mas quando pegamos os nossos instrumentos, é como se estas pessoas fossem o amor da minha vida".

Grohl acrescentou que houve um “trauma particular” no final do NIRVANA que o deixou se perguntando "se gostaria de tocar música novamente”.

“Houve um trauma particular após o fim do NIRVANA que durou um tempo, mas você sabe, eu acho que o amor pela música que eu tinha quando era criança eclipsou tudo e percebi que a música seria o que iria me tirar daquela depressão”, explicou ele.

“Por um tempo, eu não tinha certeza se queria tocar música novamente, mas a vontade voltou e felizmente, assim como eu esperava, isso me curou".

Dave Grohl finalizou: “Pra mim, a música sempre foi sobre a vida. Era o que eu mais amava na vida e mais do que qualquer outra coisa. Depois do NIRVANA, eu precisava disso para me manter vivo e é a razão pela qual eu nunca parei de fazer música”.

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques