Soundgarden: resenha do disco "Badmotorfinger"

December 29, 2018

 

"Badmotorfinger" (1991) é o 3º álbum de estúdio do SOUNDGARDEN e apesar dos discos, "Ultramega OK" (1º álbum, 1988) e "Louder Than Love" (2º disco, 1989) terem grandes melodias, "Badmotorfinger" é essencialmente aquele que mostrou o que a banda realmente era. 

 

Irritado, intenso e cheio de energia, este álbum repleto de jóias foi lançado há 27 anos, no mesmo dia que o NIRVANA lançou o disco "Nevermind" (2º álbum, 1991). Como "Nevermind" é o que realmente fez o NIRVANA explodir, ofuscou muitos outros grandes discos que saíram de Seattle quase ao mesmo tempo, como o álbum de estreia do PEARL JAM, "Ten" (1991), por exemplo. 

 

Coloque desta forma: "Badmotorfinger" foi certificado 02 vezes Disco de Platina e "Nevermind" foi certificado com Disco de Diamante.

 

"Badmotorfinger" é um grande álbum não só do grunge, mas da história do rock. A morte de Chris Cornell realmente me destruiu como fã deles, mas desde 1991 eu sempre argumentava, que o SOUNDGARDEN era realmente a melhor banda tecnicamente falando de Seattle.

 

Portanto, segue uma singela resenha sobre cada música que o disco "Badmotorfinger" nos apresenta:

 

1. "Rusty Cage"

 

E foi isso que eu quis dizer, quando disse que "Badmotorfinger" é realmente o álbum que mostrou ao mundo quem realmente era o SOUNDGARDEN. "Rusty Cage" é uma poderosa e clássica música, que abre esse álbum e realmente define o clima para todo o resto. Se você nunca tivesse ouvido o SOUNDGARDEN até esta música, você iria gostar deles imediatamente. Johnny Cash fez um cover dela e isso é bastante revelador por si só.

 

2. "Outshined"

 

Eu nunca vou esquecer da primeira vez que ouvi "Outshined" lá em 1991, com aquele vídeo clipe na MTV.... Eu não acho que uma citação melhor pode explicar adolescentes angustiados e perdidos emocionalmente, quando uma parte da letra diz: "Eu estou parecendo California / E sentindo Minnesota". Os riffs da guitarra são tão pesados e a voz de Chris é tão crua. É apenas uma lendária canção por completa.

 

3. "Slaves & Bulldozers"

 

Sim, aqui vamos nós! Esta é sem dúvida uma das melhores músicas do SOUNDGARDEN. A maneira como ela começa tão lenta e misteriosa, e em seguida, se constrói apenas na introdução, sozinha, o que já é suficiente para você ficar viciado. As guitarras são estridentes e eu posso apenas imaginar Chris Cornell rondando no palco e murmurando as palavras ao microfone. Não é a sua melhor performance lírica, já que os versos são bem simples, mas estão definitivamente bem no alto do seu mapa vocal. Gritando para lamentar, limpo e distorcido, ele tem tudo sob controle, não importa qual estilo usa. Tudo parece ótimo e isso faz você querer quebrar as coisas e gritar aos plenos pulmões, mesmo sabendo que não conseguirá alcançar as notas. Eu acho que "Badmotofinger" mostrou como o SOUNDGARDEN era realmente talentoso!

 

4. "Jesus Christ Pose"

 

Se existe uma música do SOUNDGARDEN para demonstrar as capacidades musicais extremas de cada membro da banda, esta é uma delas! É um chute acelerado nos dentes com uma bateria e linha de baixo balística, guitarras thrash e Chris gritando basicamente o tempo todo. É como a versão audiológica de uma enfermaria psicótica... Eles sempre realizaram essa música nos shows, até nos seus anos finais, provando ao mundo que a idade não estava inibindo o talento de todos.

 

5. "Face Pollution"

 

Você já ouviu uma música começar com uma presença tão intensa? "Face Pollution" é uma peça curta, mas muito enérgica e poderosa. O título é inspirador, reflexivo e misterioso, mas o SOUNDGARDEN faz com que pareça tudo muito legal - e Matt Cameron é um baterista bom pra caralho!

 

6. "Somewhere"

 

De qualquer forma, isso é apenas uma daquelas músicas que simplesmente gosto pelo jeito que soa por si só. Me lembra os primeiros passos que a banda estava adentrando ao clima sonoro dos seus futuros álbuns...

 

7. "Searching With My Good Eye Closed"

 

Altas mensagens no título e nas letras dessa música... É incrível! A versão grunge do SOUNDGARDEN encontrando a psicodelia, então, a canção se constrói e você acaba de obter essa melodia tripulada com vocais ecoantes e hipnotizantes. Abriram vários shows com esta música durante toda a carreira.

 

8. "Room a Thousand Years Wide"

 

Muitas vezes, eu acho que essa música é realmente ignorada e nunca entendi o por quê. É uma das minhas favoritas do álbum e a levada mata a pau! O riff da guitarra e a batida em geral são tão cativantes, acompanhado de um rosnado vocal no final dos refrões. O ensejo final vai se distorcendo em noise e um saxofone entra na pira... Pequenas coisas que se destacam dessa forma, são sempre as minhas partes favoritas nas músicas.

 

9. "Mind Riot"

 

Pessoalmente (liricamente e musicalmente), acho que esse álbum inteiro pode ser definido pelo título dessa canção - traduzindo: "Revolta Mental". Com certeza, essa é uma das músicas mais lentas do disco, mas não menos impactante ou "bonitinha". O refrão é especialmente assustador, já que Chris está chorando sob a queima de uma vela, a morte do melhor amigo de alguém. Nós, fãs do SOUNDGARDEN, perdemos um dos nossos melhores amigos quando ele se foi e infelizmente, é difícil não se fixar nisso quando você o ouve cantando justamente sobre isso. Entraria fácil no disco subsequente, "Superunknown" (4º álbum, 1994).

 

10. "Drawing Flies"

 

Essa música é muito top! Tem um ritmo meio blues ali entranhado com o peso do SOUNDGARDEN ao fundo. Este é um destaque lírico no álbum, enquanto Chris expele metáforas uma após a outra sem respirar, como por exemplo: "Se revolvendo em minhas próprias obscenidades / Eu compartilho um cigarro com negatividade".

 

11. "Holy Water"

 

Quando essa música começa, você pensa: "Hey, essa é a única música no disco em que Chris vai cantar com a voz baixa". Sim, para a 1ª linha do verso e em seguida, ele nos atinge novamente com a sua alta gama - o que nos faz sentir tão bem sobre nós mesmos... Esta música apresenta algumas melodias fortes de guitarra e basicamente faz metáforas com a religião.

 

12. "New Damage"

 

Ela tem um som muito lento, sombrio e também aborda um tema bastante sinistro… Sim, assim como a maioria das músicas do SOUNDGARDEN.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Chris Cornell: radialista Howard Stern publica vídeo inédito com performance da música "Imagine"

November 20, 2019

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead