• by Brunelson

Alice in Chains: diário de bordo do show no SWU Festival/2011, Brasil

RESENHA FEITA EM NOVEMBRO/2011.


Autor: Baldy (responsável por cuidar do site oficial do ALICE IN CHAINS)



Não há nada como uma viagem de avião entre shows em festivais... Imagine o aeroporto na cidade de Santiago (Chile) cheio, com as bandas, ALICE IN CHAINS, FAITH NO MORE, LOADED, DOWN, MEGADETH, STONE TEMPLE PILOTS, SONIC YOUTH e mais algumas que eu nem conhecia, todas sendo perseguidas por uma multidão de fãs, querendo conseguir um autógrafo ou uma foto de última hora...


Foi como um zoológico Sul-Americano do rock n’ roll, só que com mais cabelos e tatuagens do que bichos e animais.


Depois desse caos, nós pegamos o avião para São Paulo em um vôo que foi tão turbulento que eu pensei que todas essas tatuagens iriam começar a pular para fora do corpo. Pois bem, chegamos em São Paulo vivos e com as tatuagens intactas, porém, desembarcamos numa cidade chuvosa - e que chuva era aquela cara?


Por ser uma banda de Seattle, o ALICE IN CHAINS sabe de alguns atalhos e segredos sobre a chuva, pode perguntar para eles... E por termos lido a previsão do tempo antes de viajarmos, todos nós sabíamos da probabilidade de que o último dia do festival - que seria o dia da apresentação do ALICE IN CHAINS - iria ser molhado...


Você já foi dirigindo até o shopping num dia chuvoso e não foi capaz de encontrar um espaço decente para estacionar? Daí você se lembra que você não tem um guarda-chuva no carro e os 15 segundos que você leva para ir do seu carro até as portas do shopping já é o suficiente para que você fique miseravelmente ensopado?


Agora, imagine prolongar esses 15 segundos para 12 horas! Com a chuva indo e vindo no seu corpo inteiro, esparramado entre 60 à 70 mil fãs de música encharcados, isso é o que eu chamo de dedicação! No momento em que o ALICE IN CHAINS subiu ao palco, exatamente à meia-noite, a chuva foi constante e estável não parando pela próxima 01 hora e meia, que foi o tempo de duração do show da banda.


Mas parecia que a chuva molhava tudo menos o entusiasmo dos fãs brasileiros, justamente por estarem em uma grande multidão e especialmente quando você leva em conta as condições que eles aturaram durante todo o dia. E não é que a banda tenha tocado num palco qualquer não, o palco era coberto, muito bem estruturado e durante uma chuva ele fica relativamente seco, mas na noite do show, a chuva que caía era muito forte com os ventos assoprando-a para dentro do palco, deixando o mesmo completamente encharcado até a bateria de Sean Kinney.


A chuva caía nos primeiros 05 metros do palco que era onde ficavam os pedestais dos microfones e os pedais de distorção das guitarras e do baixo, o que significa que era onde Jerry Cantrell (guitarrista), Mike Inez (baixista) e William DuVall (vocalista/guitarrista) ficaram na maior parte do tempo - ou seja, eles se ensoparam também.


Felizmente, ninguém tropeçou e caiu do palco ou foi eletrocutado, sendo que a única desgraça foram os cabelos do pessoal da banda que ficaram encharcados...


Fora isso, foi uma grande noite e eu posso dizer com uma boa quantidade de confiança que não irá durar mais 18 anos para o ALICE IN CHAINS retornar ao Brasil, assim como para os outros países da América do Sul.


Como essa história toda começou no aeroporto, então, vamos finalizá-la num aeroporto também! 02 noites depois do show, estávamos no aeroporto de São Paulo nos preparando para partir. A banda estava esperando na fila por cerca de 05 à 10 minutos para embarcar num vôo para fora de São Paulo, quando eu notei alguns olhares aqui e ali, mas nenhuma das pessoas na área de embarque abordou o pessoal da banda.


Em seguida, uma garota que trabalhava numa loja de presentes se aproximou com a sua câmera e assim que o pessoal do ALICE IN CHAINS posou uma foto com ela, era como se a porteira toda tivesse sido aberta...


Mais pessoas vieram correndo e de repente era como se os Jogos Olímpicos tivessem começado, que nem havia sido no aeroporto do Chile, com o público se aproximando com os seus celulares e câmeras nas mãos. O que era engraçado de ver, eram as pessoas mais velhas que não tinham ideia de quem eram os caras da banda, mas mesmo assim ficavam tirando fotos de qualquer maneira e até mesmo pedindo para posar junto com o grupo nas fotos.


Finalmente, uma mulher mais velha se aproximou do nosso gerente de turnê e num inglês incrivelmente arrastado, ela perguntou: “Quem são eles”?


Ele pensou por 01 ou 02 segundos e respondeu: “Backstreet Boys”.



Confira o setlist dessa memorável apresentação do ALICE IN CHAINS no SWU Festival, onde nós, brasileiros, estávamos vendo de perto pela 1ª vez a respeitável e marcante presença de palco do novo vocalista da banda, William DuVall.


1. Them Bones

2. Dam That River

3. Rain When I Die

4. Again

5. Check My Brain

6. It Ain't Like That

7. Your Decision

8. Got Me Wrong

9. We Die Young

10. Last of My Kind

11. Down in a Hole

12. Nutshell

13. Acid Bubble

14. Angry Chair

15. Man in The Box

16. Rooster

17. No Excuses

18. Would


E agora, a performance da banda nesse festival, da já clássica canção "Check My Brain", onde carimbam ela em todos os shows desde então e um dos singles do álbum de retorno do grupo, "Black Gives Way to Blue" (6º trabalho de estúdio, 2009):

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead