Smashing Pumpkins: resenha do show no Rio de Janeiro/2015

March 25, 2018

 

* Resenha escrita em 2015

 

De passagem pela cidade do Rio de Janeiro onde a banda SMASHING PUMPKINS fez o seu show em 25/03/2015, o vocalista/guitarrista do grupo, Billy Corgan, foi entrevistado pelo Jornal Hoje da TV Globo e dentre vários tópicos, Corgan se declarou fã do músico brasileiro Tom Jobim e aproveitou para fazer turismo pela cidade maravilhosa. Dizendo evitar esse tipo de programa nas suas turnês, ele abriu uma exceção visitando alguns museus históricos da cidade.

 

Na entrevista, Corgan ainda comentou sobre a apresentação que o SMASHING PUMPKINS irá fazer no Lollapalooza Festival Brasil/2015 nesse próximo Domingo (29/03/2015), que será transmitido ao vivo pelo canal brasileiro Multishow.

 

O grupo SMASHING PUMPKINS será a banda que irá encerrar o festival no último dia do mesmo, posição mais do que merecida para um dos grupos que influenciaram toda uma geração ao lado das bandas grunge de Seattle.

 

Lançando o seu 1º álbum de estúdio em 1991, “Gish”, o SMASHING PUMPKINS ajudou a definir o rock dos anos 90 com a sua sonoridade alternativa e progressiva, mas sempre temperada com aquele rock grunge.

 

Nesta mesma entrevista, Corgan ainda declarou que o mais interessante sobre os festivais de música como o Lollapalooza, é que vários estilos musicais convivem em um único palco, sendo que isso é muito bom para os jovens.

 

Já nessa Quarta-feira passada no seu show na cidade do Rio de Janeiro - e presenciado "in loco" por este que vos fala - Corgan demonstrou todo o seu carisma e atenção com os seus fãs. Sempre cumprimentando o público, ele ainda teve tempo de pegar um vinil da sua própria banda que uma moça da plateia estava segurando (era do 2º álbum de estúdio, “Siamese Dream”, 1993), para conceder um autógrafo e devolve-lo à mesma. Sem contar uma camisa que ele também pegou da galera para dar outro autógrafo.

 

A sonoridade estava perfeita, com a guitarra da marca Fender de Corgan gemendo da melhor maneira possível, alta e cristalina. Sem contar ainda com o bônus de poder apreciar a bateria de Brad Wilk, que é o baterista deste sempre do RAGE AGAINST THE MACHINE e do AUDIOSLAVE.

 

E realmente, desde quando a banda retornou do seu hiato em 2007, Corgan não faz mais questão de ficar tocando nos seus shows somente as músicas de sucesso da sua banda, hits, singles e canções que tiveram a produção de vídeo clipes. Uma banda de atitude é assim, que resolve tocar as músicas que o grupo quer tocar e que estão a fim no momento, e não somente as canções mais comerciais que os fãs querem escutar.

 

Tocando 04 músicas do seu último álbum de estúdio e a que se refere essa turnê mundial, “Monuments to an Elegy” (8º disco, 2014), mais alguns lados-b das antigas, 02 músicas progressivas de 10 minutos de duração cada e 01 canção que não entrou em nenhum álbum de estúdio da banda, “Drown” (na verdade, essa música faz parte da trilha sonora do filme "Singles - Vida de Solteiro”, 1992), assim foi o show do SMASHING PUMPKINS. 

 

De 17 músicas apresentadas (o qual a banda poderia fazer um show com mais de 20 músicas só com as canções mais conhecidas), somente 08 clássicas músicas foram apresentadas nesse concerto.

 

Detalhe: a banda não fez questão de tocar nenhuma música do seu 1º álbum de estúdio...

 

Destaque para a canção “Today” (que é a música mais conhecida da banda, dentre outras) que o grupo nunca mais havia tocado nos seus shows, foi executada depois de anos sem ver a luz do dia, com Corgan levando uma versão acústica na volta do seu encore break, sozinho no palco com o seu violão. Este momento, além de inesquecível e inimaginável, foi motivo de algumas risadas de Corgan em pleno desenvolvimento da música, pois a plateia fazia o barulho da guitarra que ficou faltando em contraste com a versão original da música.

 

Antes de Corgan deixar o palco, foi nessa hora que ele deu os devidos autógrafos mencionados acima e andou de ponta a ponta no palco, agradecendo a plateia com aplausos, reverências e vários acenos - momento esse que demorou por bastante tempo...

 

Segue logo abaixo o setlist completo deste show memorável e inesquecível:

 

1- Cherub Rock

2- Tonight Tonight

3- Ava Adore

4- Being Beige

5- Drum and Fife

6- Glass and The Ghost Children

7- Stand Inside Your Love

8- 1979

9- Pale Horse

10- Monuments

11- Drown

12- Disarm

13- One and All

14- United States

15- Bullet With Butterfly Wings

16- Heavy Metal Machine

 

Encore Break

 

17- Today

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Pearl Jam: baixista cita novas bandas e diz que o rock não está morto

July 14, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead