top of page
  • by Brunelson

Thom Yorke: vocalista do Radiohead cita conselho de Tom Waits que o ajudou na carreira


Thom Yorke, vocalista do RADIOHEAD, é um fã incondicional de Tom Waits e não apenas pela sua música.

A sabedoria que Waits conseguiu reunir ao longo de sua lendária carreira o dotou com mais experiência de vida do que a maioria, e há um conselho que Waits disse uma vez aos artistas que ajudou Yorke quando ele muito precisava.

As palavras ajudaram Yorke em seu momento mais sombrio do ponto de vista profissional, após o lançamento do álbum divisor de águas do RADIOHEAD, "OK Computer" (3º disco, 1997). O álbum foi elogiado por quase todos no planeta que ficaram maravilhados com a grandeza do RADIOHEAD para ainda descobrir novos caminhos no rock.

Nesta época, todos os olhos estavam voltados para Yorke para imediatamente aguardarem como seria o próximo disco da banda. Com isso, a pressão o atingiu e ele lutou para decidir qual direção tomar a seguir - e se viu perdido.

Yorke e sua turma retornaria com o álbum "Kid A" (4º disco, 2000), o álbum que chegou como uma impressionante curva à esquerda do seu esforço anterior e viu o RADIOHEAD provar que eles eram tão versáteis quanto podiam.


Em vez de tentar replicar o disco "OK Computer", o grupo decidiu mudar mais ainda e ao mesmo tempo manter o seu espírito criativo completamente vivo. Gravar o álbum "Kid A" era a definição de ousado, mas só tornou o RADIOHEAD um enigma sonoro e as palavras de Tom Waits tiraram Yorke do seu bloqueio de escritor para produzir esta obra-prima.



Em conversa com a revista Rolling Stone em 2000 sobre o seu bloqueio como escritor, Yorke revelou: “A pior coisa era pensar: 'É isso? Isso é tudo o que eu tenho?', mas haverá momentos em que você não será capaz de lidar com as coisas e não será capaz de tirá-las de si. Essas coisas acontecem em ciclos... Existem bons e maus momentos na vida e as coisas nunca morrem de verdade, elas simplesmente andam por aí”.

Ele então explicou como escreveu a música "Everything in its Right Place" (lançada no disco "Kid A") e tudo o mais começou a se encaixar depois de escreve-la: “Eu comprei um piano para a minha casa, um bom piano de cauda e essa foi a primeira coisa que escrevi nele. Eu sou um pianista de merda e me lembro desta citação de Tom Waits de anos atrás, que, o quê o mantém como um compositor forte é a sua completa ignorância dos instrumentos que ele está usando, então, tudo é uma novidade. Essa é uma das razões pelas quais eu queria mexer em computadores e sintetizadores, porque eu não entendia porra nenhuma de como eles funcionavam sonoramente", Yorke declarou honestamente.

Uma vez que os impulsos criativos de Yorke estavam de volta em pleno fluxo, não havia como pará-lo. Menos de 01 ano depois do lançamento do disco "Kid A", RADIOHEAD logo lançou o álbum "Amnesiac" (5º disco, 2001), que foi outro sucesso inequívoco para a banda.

O single principal desse 5º álbum foi a canção "Pyramid Song", que apresenta um aceno e uma piscadela para o gênio de Tom Waits como uma forma de agradecimento por tirar Yorke do seu bloqueio como escritor. A música traz o verso, citando uma música de Tom Waits: "Todos nós fomos para o céu / Em um pequeno barco a remo".

Sabendo que Tom Waits havia lutado da mesma maneira que ele, deu a Yorke a compreensão de que não havia problema em não ser capaz de produzir outro disco como "OK Computer". Isso o revigorou e permitiu que Yorke voltasse a fazer música com uma atitude aventureira.

O vocalista do RADIOHEAD deixou a música guiá-lo até o seu destino natural, com todo o resto eventualmente se encaixando...

"Pyramid Song"


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page