top of page
  • by Brunelson

Mark Lanegan: quando fez um cover de Bob Dylan para trilha sonora de filme


À medida que o tempo vai passando desde o falecimento do lendário vocalista do SCREAMING TREES, Mark Lanegan, as comparações com os seus contemporâneos como Kurt Cobain e Eddie Vedder não são surpreendentes, considerando como a rouquidão áspera de Lanegan estabeleceu o modelo para um "vocal grunge” desde a década de 80.

Mas a natureza eclética de Lanegan também significava que ele poderia ficar cara a cara com figuras artísticas como Tom Waits ou Nick Cave sem parecer exagerado ou fora do lugar. Sempre disposto a incorporar elementos de folk, metal ou blues delta clássico em seu prolífico trabalho solo, Lanegan foi muito mais do que apenas um vocalista grunge dos anos 90.

Para provar o quão versátil ele era, Lanegan frequentemente pegava músicas que eram incomuns ou estranhas aos seus colegas de Seattle. A mais famosa e que não tinha sido Kurt Cobain a estreá-la no acústico do NIRVANA na MTV em 1993, incluiu a canção “Where Did You Sleep Last Night”, cover de Lead Belly.

Mark Lanegan já tinha lançado o seu 1º disco solo em 1990, "The Winding Sheet", e gravou essa música em dueto vocal com o amigo e ainda desconhecido Kurt Cobain.

E Lanegan também poderia assumir outros ícones folclóricos, como da vez em que ele gravou o cover de Bob Dylan, a canção "Man in The Long Black Coat", para a trilha sonora biográfica de Dylan, "I’m Not There".

Um filme biográfico atípico merece uma trilha sonora igualmente atípica, então, não foi surpresa que o filme "I’m Not There" tenha lançado um estranho grupo de músicos para assumir o trabalho lendário de Bob Dylan.


A ampla gama de estilos é imensurável: LOS LOBOS, Karen O, Willie Nelson, SONIC YOUTH, Sufjan Stevens, Jack Johnson e THE BLACK KEYS, são algumas das aparições, mas uma figura que parece muito à vontade é Mark Lanegan, deixando a sua versão sem pressa nenhuma da música de Bob Dylan lançada já no final dos anos 80 e se desenrolando com uma facilidade descontraída.

Estranho e inquietante (no bom sentido), Lanegan pega o espírito espacial da versão original e a cobre em uma nova camada própria regada ao seu vocal esfumaçado e rosnado característico.


Os resultados parecem tanto fiéis à música original quanto algo completamente novo - mas Lanegan sempre teve esse tipo de efeito em seus covers, com um ouvido apurado para sons únicos.


"Man in The Long Black Coat"















Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page