• by Brunelson

Black Flag: vocalista relaciona os seus 10 álbuns favoritos


BLACK FLAG, quando liderado pelo furioso vocalista que é Henry Rollins, ganhou a reputação de fazer shows incomparáveis assim como qualquer um dos seus contemporâneos.

O grupo era um feroz redemoinho de energia enchendo cada local com os shows que fizeram.

Rollins se tornou num vocalista notável na frente do BLACK FLAG, tendo se juntado à banda em 1981 e depois se tornando no frontman intransigente que conhecemos. A história de como ele se tornou vocalista do BLACK FLAG é para sempre um conto verdadeiro e a oportunidade foi uma que ele não desperdiçou.


* Black Flag: vocalista Henry Rollins relembra como entrou na banda

Após a sua entrada no grupo (pois o vocalista original queria somente tocar guitarra), BLACK FLAG foi ganhando força e construiu uma base de fãs internacional, recebidos com adoração por parte de sua base de fãs de culto em todas as cidades que visitaram.

Em meados dos anos 80, Rollins criou a sua própria banda, ROLLINS BAND, e se tornou um ícone da música hardcore.

Mas antes, o momento de mudança da sua vida que viu o músico ter a grande chance, ocorreu quando ele foi oferecido a um teste de audição para o cargo de vocalista de sua banda favorita, BLACK FLAG.

Eventualmente, os membros do BLACK FLAG pediram a Rollins para se tornar no novo rosto e voz do grupo, fazendo ele largar o seu emprego numa sorveteria.


Foi um momento de encruzilhada para Rollins: “Olhei para a colher de sorvete em minha mão, para o meu avental salpicado de chocolate e o meu futuro no mundo do trabalho convencional ganhando um salário mínimo, ou eu poderia ir para New York e fazer um teste para esta banda maluca que é a minha favorita de todas". Ele não se importou que a oportunidade poderia lhe fornecer uma situação de humilhação na frente da sua banda favorita e ídolos, porque: "Ah, cara... Eu estava acostumado com isso já".

Sua carreira é uma jornada verdadeiramente surpreendente e a longevidade de sua progressão musical fez com que Rollins desafiasse todas as probabilidades, agarrando todas as oportunidades com as duas mãos e rapidamente se tornando no garoto-propaganda da rebelião. A razão pela qual ele teve uma carreira tão duradoura não se deve à sorte, foi quase o destino que Rollins se tornou no vocalista do BLACK FLAG e um dos maiores frontman do punk rock/hardcore de todos os tempos.

Rollins também é um homem de gosto requintado, o que lhe ajudou a ter um período prolongado também no topo da montanha da música alternativa.


Com isso, no início de 2020 ele ofereceu uma lista dos seus 10 discos favoritos de todos os tempos para o site Goldmine.


* Black Flag: a influência do The Stooges para o vocalista Henry Rollins

Nenhuma lista de álbuns favoritos estaria completa sem o 1º álbum de estúdio de Jimi Hendrix, "Are You Experienced" (1967), sobre o qual Rollins se tornou lírico: “Como músico, inovador e um jovem durão, Hendrix expõe muito bem o seu caso neste álbum”, disse Rollins. “Eu me identifico fortemente com a alienação nas letras, tipo, é a primeira coisa que notei sobre as suas músicas".

Outro álbum que Rollins tem em alta consideração é o clássico disco do THE DOORS, "Strange Days" (2º disco, 1967), um esforço que chegou como um momento de mudança na vida para o futuro vocalista do BLACK FLAG e o ajudou a se apaixonar pela música: “Eu tinha o 1º álbum do THE DOORS quando foi lançado, roubado da minha mãe e gostei muito”, lembra Rollins. “Como um jovem adulto, eu me conectei com disco 'Strange Days' e isso me fez querer trabalhar mais nas letras, sabendo o que poderia ser alcançado por ter ouvido muito este álbum". O pioneiro 3º álbum de estúdio do BLACK SABBATH, "Master of Reality" (1971), é outro disco que ocupa um lugar especial no coração de Rollins e ele não tinha nada além de elogios a dizer sobre este álbum: “Bill Ward (baterista) e Geezer Butler (baixista) são uma das maiores seções rítmicas na história do rock. Este álbum não só tem o guitarrista Tony Iommi capturando um dos melhores tons já gravados em fita, mas Ward e Butler balançando tão forte quanto eles estão esmagando. Este é um jogo perfeitamente equilibrado e um disco pelo qual avalio e serve de parâmetro para outras seções de ritmo”. Havia um aspecto intangível no álbum "White Light/White Heat" do VELVET UNDERGROUND (2º disco, 1968) que atraiu Rollins para o mundo deles e o elogio não chega a ser mais alto do que a sua avaliação: “O primeiro álbum, é claro, é fantástico, mas foi o 2º disco do VELVET UNDERGROUND que realmente me agarrou”, acrescentou Rollins. “Havia uma intensidade nisso que eu nunca tinha experimentado antes e é tão bom quanto um disco pode ser”.


* Grunge: Top 50 melhores álbuns pela Revista Rolling Stone - nº 43 Confira os 10 álbuns favoritos de Henry Rollins:

Isaac Hayes — "Hot Buttered Soul" Miriam Makeba — "Miriam Makeba" Various Artists — "Hair: The American Tribal Love-Rock Musical (The Original Broadway Cast Recording)" Ted Nugent — "Ted Nugent" THE STOOGES — "Fun House" VELVET UNDERGROUND — "White Light/White Heat" Jimi Hendrix — "Are You Experienced" THE DOORS — "Strange Days" THE BIRTHDAY PARTY — "Prayers on Fire" BLACK SABBATH — "Master of Reality"

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques