Audioslave: “muitos fãs do Rage Against The Machine não curtiam a gente”

September 14, 2017

 

O baixista do AUDIOSLAVE, RAGE AGAINST THE MACHINE e PROPHETS OF RAGE, Tim Commerford, falou sobre Chris Cornell e AUDIOSLAVE em uma nova entrevista para o jornalista Eddie Trunk. Confira alguns trechos:

 

 

"Naquele momento, a única banda na qual eu estava era no RAGE AGAINST THE MACHINE. Era confortável tocar junto com Tom Morello (guitarrista), Brad Wilk (baterista) e Zack de la Rocha (vocalista)”.

 

“E quando o RAGE AGAINST THE MACHINE encerrou as atividades em 2000, logo depois o AUDIOSLAVE se tornou uma realidade... Nós nos encontramos na casa do produtor Rick Rubin e ele havia nos dito: 'Vocês deveriam se conectar com Chris Cornell'”.

 

“Todos nós éramos grandes fãs do SOUNDGARDEN naquela época. Apenas para nos empolgar, resolvemos escutar na hora a música do SOUNDGARDEN, ‘Slaves & Bulldozers’ (lançada no 3º álbum de estúdio em 1991, ‘Badmotorfinger’”).

 

"E eu só me lembro de estar realmente nervoso quando chegou a hora de ensaiarmos com Chris, tipo: 'Oh não! Eu não vou ser bom o suficiente para impressionar Chris Cornell. Estou preocupado!’ Essas inseguranças começaram a entrar no caminho e percebi que elas poderiam travar o meu processo criativo”.

 

"Eu venci isso e nós superamos também. Nós acabamos transformando isso numa banda... Na época as canções vazaram e várias pessoas obtiveram as primeiras demonstrações antes de lançarmos o 1º disco em 2002, chamado ‘Audioslave’”.

 

"Houveram muitas pessoas que não gostaram do som e que estavam contra o AUDIOSLAVE. Eram muitos fãs do RAGE AGAINST THE MACHINE que não gostaram!”

 

"O AUDIOSLAVE lidou com um público diferente do RAGE AGAINST THE MACHINE e fiquei muito orgulhoso porque não éramos o RAGE AGAINST THE MACHINE. Não tentamos fazer o RAGE AGAINST THE MACHINE novamente e fizemos algo completamente diferente e fora da caixa para nós”.

 

"Isso construiu a nossa confiança como músicos e finalmente, nos tornou músicos melhores e ajudou a criar o PROPHETS OF RAGE”.

 

"Sabe? Para ter confiança suficiente para entrar no estúdio com Chuck D e B-Real e criar novas músicas (vocalistas do PROPHETS OF RAGE e respectivamente do PUBLIC ENEMY e CYPRESS HILL). Quando estávamos no estúdio eu era muito honesto com eles e comigo sobre tudo. Eu estava lá por cada passo do processo”.

 

"Havia mais coisas que antes eu não praticava... Agora eu posso falar para a banda: 'Sabe o que está pegando, Chuck? Eu não curti essa letra’. Para poder dizer isso e para Chuck D ou B-Real aceitarem isso para que pudéssemos construir alguma coisa, tudo isso eu atribuo no que aprendi com o AUDIOSLAVE”.

 

"Sendo suficientemente confiante para entrar no estúdio com Chris Cornell - alguém que você idolatra e com quem eu procurei fazer música junto, um cara que me fazia prestar atenção nas suas melodias vocais - eu consegui obter aquele tipo de discernimento: 'Se for o caso, eu realmente posso mudar essa tal nota bem aqui'”.

 

"Com Chris, eu estava acompanhando a melodia vocal em vez da guitarra, sabe? O AUDIOSLAVE me fez um músico melhor e finalmente me fez quem eu sou hoje, musicalmente falando".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Butch Vig: renomado produtor escolhe disco do The Who como o álbum definitivo que mudou a sua vida

September 29, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead