top of page
  • by Brunelson

Tim Commerford: falando sobre sua batalha contra o câncer, Audioslave, Rage Against The Machine e sua nova banda, 7D7D


O baixista das bandas RAGE AGAINST THE MACHINE, AUDIOSLAVE e PROPHETS OF RAGE, Tim Commerford, foi entrevistado pela revista Rolling Stone e falou sobre vários assuntos, como o seu novo grupo, 7D7D, sua batalha contra o câncer e a curta turnê de reunião do RAGE AGAINST THE MACHINE em 2022.



Confira alguns trechos dessa reportagem:



A última vez que Commerford esteve diante de um grande público, o RAGE AGAINST THE MACHINE estava encerrando sua truncada turnê de reunião de 2022 nos EUA com um evento de 05 noites no Madison Square Garden, em New York.


Nos 18 meses desde aquele show, o baixista do RAGE AGAINST THE MACHINE "saiu do controle". Ele agora mora em uma estrada de terra de chão batido em uma casa no topo de uma montanha na Califórnia que está removida de rede elétrica (ele não quer que especifiquemos o local). Ele alimenta tudo em sua casa através de painéis solares e acessa a internet através do Starlink de Elon Musk.


O isolamento deu a Commerford a chance de concentrar toda a sua energia criativa em sua nova banda power trio de rock chamada 7D7D, que também conta com o baterista Mathias Wakrat e o guitarrista Jonny Polonsky. Eles lançaram um punhado de músicas com carga política nos últimos meses, possuem outras 30 canções prontas e estão planejando sua 1ª turnê. Se tudo correr conforme o planejado, será o oposto de uma arena e festival padrão do RAGE AGAINST THE MACHINE. 


“Quero tocar na porra de uma pista de boliche”, disse Commerford. “Quero tocar em cafeterias e quero ir lá e fazer isso por conta própria, e não ser o cara do RAGE AGAINST THE MACHINE tanto quanto posso ser”.


As raízes do 7D7D remontam aos dias de Commerford no AUDIOSLAVE, quando o produtor da banda, Rick Rubin, trouxe o guitarrista Jonny Polonsky para afinar as guitarras e montar o estúdio durante a gravação do 2º álbum de estúdio do grupo em 2005, "Out of Exile". Um certo dia e no começo dos processos, a banda voltou ao estúdio após uma pausa para o almoço e encontrou Polonsky tocando uma das novas músicas inacabadas do AUDIOSLAVE no piano. 


“Ele estava tocando como Thelonious Monk (pianista de jazz)”, disse Commerford. “Fiquei impressionado com ele, mas Chris Cornell disse a Rick Rubin: ‘Não posso tê-lo aqui no estúdio. Você vai ter que pedir para ele ir embora’. Acho que aquilo deixou Cornell desconfortável, já que ainda estávamos pensando nas novas ideias musicais e alguém que estava ali conosco não estava apenas ouvindo, mas também descobrindo como tocar antes mesmo de nós decidirmos”.


7D7D não tem planos formais de gravar um álbum, mas eles estão lançando silenciosamente singles online desde novembro de 2022. E assim como todas as músicas de seu catálogo, apresenta Commerford nos vocais, com suas letras que escreveu sendo tão políticas quanto qualquer coisa no catálogo do RAGE AGAINST THE MACHINE. 


A eventual turnê do 7D7D provavelmente será muito mais fácil para o corpo e a psique de Commerford do que foi a curta turnê de reunião do RAGE AGAINST THE MACHINE em 2022.


Tudo começou logo depois que o baixista foi diagnosticado com câncer de próstata e teve sua próstata removida: “Naquela turnê com o RAGE AGAINST THE MACHINE, eu não estava realmente lá. Fiquei muito emocionado e essa foi a parte mais difícil daquela turnê, quero dizer, não era com o lado físico, foi mais com o aspecto psicológico de aceitar que você tem câncer. Eu estava virando as costas ao público tocando de frente ao meu amplificador e apenas lutando contra as lágrimas. Foi muito difícil, sabe? As pessoas perguntavam como eu estava e eu simplesmente chorava”.



No momento, Commerford está curado do câncer, mas admitiu que sempre vive ansioso com qualquer sinal de que um dia o câncer possa retornar: "Tenho 57 anos de idade e estou na melhor forma da minha vida, mas o câncer nunca desaparecerá. Ele sempre estará lá... Quando você tem câncer de próstata, eles testam seu nível de PSA (Antígeno Específico da Próstata) e estou no nível zero agora, mas faço os testes a cada 03 meses e sempre fico muito estressado antes de cada exame. Essa é uma vida diferente agora pra mim. Mudou quem eu sou e de muitas maneiras para melhor, mas também me atrasou, tipo, demorei um pouco mais para voltar a observar o mundo da forma que fazia antes”.


Em 2019, a banda anunciaria seu 2º retorno aos palcos para uma turnê em 2020 (desde 2011 parada), que seria adiada por causa da pandemia. A turnê finalmente começaria em julho de 2022, mas o vocalista Zack de la Rocha se machucou (tendão de Aquiles) logo no 2º show da turnê em Chicago e só conseguiu fazer os shows restantes dessa turnê americana - e ainda sentado - onde encerraram com 05 noites no Madison Square Garden em New York.



Mas com o passar dos meses e com Zack de la Rocha aparentemente curado, o vocalista do RAGE AGAINST THE MACHINE chegou a aparecer como convidado especial em um show do RUN THE JEWELS e em uma marcha de protesto nas ruas, onde começaram a surgir dúvidas sobre o status da turnê interrompida do grupo.


E tentar obter uma resposta direta de Commerford sobre a situação atual da banda, não é fácil. 


O baixista do RAGE AGAINST THE MACHINE finalizou: “Há 04 pessoas nesse grupo e eu sou apenas 1/4 do RAGE AGAINST THE MACHINE. Passei os últimos 02 anos da minha vida me curando e no total há 04 pessoas que vivem suas vidas. A esposa de Brad Wilk (baterista) acabou de ter um bebê recém-nascido e além disso, Zack rompeu o tendão de Aquiles, o que quer dizer que você não pode nem pegar um avião quando essa merda acontece. Isso é um fato, sabe? O processo de cura, como se pode ver nos esportes, pode levar muito tempo”.

Kommentare


Mais Recentes
Destaques
bottom of page