• by Brunelson

Thom Yorke: quais foram as maiores influências do vocalista do Radiohead?


Uma das mentes mais inovadoras da música moderna, Thom Yorke pode muitas vezes se posicionar como um enigma.

Tão envolvido no rock intelectual como vocalista do RADIOHEAD, ele é uma figura musical que, em grande parte, se recusa a ser definida.

Mas na verdade, Yorke nunca se esquivou de compartilhar aquelas bandas e artistas que mais o influenciaram e os artistas que ele mencionou ao longo de sua carreira que colhemos em entrevistas, certamente merecem alguma atenção extra, pois todos juntos fornecem um pequeno resumo das qualidades mais intrincadas de Yorke.

Conhecer algumas das bandas favoritas do seu herói pode ser um momento esclarecedor (tanto positivamente quanto, digamos assim, não esperado). No entanto, listas desse tipo fornecem uma visão sobre a própria essência do que os tornam um herói para muitas pessoas.

Retirado de várias entrevistas, devemos nos apressar em acrescentar que um artista como Thom Yorke não encontra sua inspiração apenas no trabalho dos 04 artistas mencionados aqui.


Pensar que Yorke não poderia ser igualmente inspirado por uma mudança de estação ou uma rajada de vento gelado é subestimar o cantor.

Só para esclarecer, sabemos que artistas como David Bowie e outros são grande influências para o cantor - conforme relatado em entrevistas.

Yorke é um artista multifacetado e tendo trabalhado com música, cinema e outras mídias, é versado em encontrar inspiração no mundo ao seu redor. No entanto, musicalmente falando é difícil não reconhecer esses artistas como figuras centrais na formação da carreira de Thom Yorke como vocalista do RADIOHEAD.

Confira somente 04 das maiores influências musicais de Thom Yorke que separamos para você:

Neil Young

Talvez a mais famosa das influências de Thom Yorke seja Neil Young.

Young tem sido muito estimado por ser uma das grandes influências do rock alternativo, com Yorke também pensando em Young como um dos melhores compositores de todos os tempos - quando conheceu a música de Neil Young em sua adolescência.

Aos 16 anos de idade, Yorke enviou algumas gravações caseiras para a rádio britânica da BBC na esperança de ganhar alguma atenção pelas suas músicas: “Eles me disseram: ‘Esse cara parece Neil Young’”, disse Yorke à própria BBC em 2008. “E eu fiquei pensando: 'Quem é Neil Young?’”

Yorke logo encontrou uma loja de discos próxima tentando consertar o seu "erro" e comprou o álbum de Neil Young, "After The Gold Rush" (3º disco, 1970): “Eu imediatamente me apaixonei pela sua música”, disse Yorke. “Ele tem aquele vibrato suave em sua voz que ninguém mais tem. Mais do que isso, foi a sua atitude em relação à maneira como ele compôs as canções, sabe? É sempre sobre colocar o que quer que esteja em sua cabeça no momento e permanecer completamente fiel a isso, não importa o que seja".

Thom Yorke já forneceu vários covers de Neil Young cantando pela sua banda ou em apresentações solo.

R.E.M.

Todos nós temos aquele álbum que despertou o nosso interesse ou mudou as nossas vidas.

Para Thom Yorke, esse disco foi o álbum marcante da banda R.E.M, "New Adventures in Hi-Fi" (10º disco, 1996), um álbum que manteve o nível para o vocalista Michale Stipe e a sua banda como ícones do rock alternativo.


* Radiohead: qual o álbum que mudou a vida do vocalista da banda?

É também o álbum do R.E.M. favorito de Michael Stipe e é um trabalho incrível que vendeu mais de 07 milhões de cópias e mantém uma reputação que cresce com o passar dos anos.

Tendo chamado Michael Stipe de “gênio”, acrescentando que “as suas letras são como um passeio de carro por uma rua cheia de sinais de trânsito e outdoors. Uma viagem em neon, cinema total em sua cabeça e infinitamente inspirador”, Yorke compartilhou como o R.E.M. foi uma banda influente em sua adolescência.

“Antes de descobrir o R.E.M. em meados dos anos 80, ouvia bandas e músicas somente para passar o tempo, então, descobri o R.E.M. e virou a minha vida de cabeça pra baixo. Michael Stipe estava cantando sobre os seus defeitos, fraquezas e que não há problema em ser estranho... Eu era estranho”.

Yorke comentou mais em entrevista ao site VinylWriters: “E por meio de suas músicas, Stipe falou comigo, dizendo: 'Tudo bem, você não precisa se justificar para ninguém'. Pouco depois disso, me inscrevi na escola de arte e comecei a levar a música a sério”.

Quando você também adiciona a isso o fato de que o R.E.M. escolheu o RADIOHEAD para lhes acompanhar em uma de suas gigantescas turnês pelos EUA em meados dos anos 90, você talvez consiga enxergar a sua confluência de sons e origens se abraçando...


Miles Davis

Outro nome que vemos espalhado nas listas dos artistas mais influentes, o músico de jazz, Miles Davis, deveria ser reverenciado por sua atitude intransigente e recusa em se conformar.


É certamente um estilo que Yorke impôs a todo o seu trabalho.

No entanto, o nome de Davis está incluído em nossa lista por sua conexão com o trabalho solo de Yorke e com o álbum do RADIOHEAD divisor de águas na história do rock, "OK Computer" (3º disco, 1997).

Sobre a música do RADIOHEAD, "Subterranean Homesick Alien", lançada neste 3º álbum, o produtor da banda, Nigel Godrich, havia dito uma vez em entrevista para a revista Rolling Stone: “É aquela coisa de criar interação entre as pessoas e depois editar tudo para criar uma dinâmica. Estávamos pensando nas coisas de uma maneira muito jazzística, coisas de Miles Davis, e em termos de usar edições e grandes blocos de música para criar arranjos”.


PIXIES

É muito fácil fazer comparações entre o PIXIES e o RADIOHEAD.

Assim como outras bandas do rock alternativo, eles foram o lado intelectual de uma manifestação sobre o machismo e fizeram o seu melhor para se tornar a réplica inteligente para os momentos mais turbulentos do rock 'n' roll.

E com isso, cada banda sofreu da sua forma e tiveram sucessos a suas maneiras...

A banda do vocalista/guitarrista, Frank Black, muitas vezes foi vista como um dos grupos mais influentes da cena do rock alternativo no início dos anos 90, com Yorke admitindo que o álbum "Doolittle" do PIXIES (2º disco, 1989) também mudou a sua vida.

É fácil ver como a fórmula clássica do PIXIES (que o NIRVANA usou tantas vezes) também influenciou o som inicial do RADIOHEAD. Certamente há evidências do PIXIES em músicas do RADIOHEAD como "Creep" e "My Iron Lung", enquanto que canções deste século atual como "Bodysnatchers", também oferece um gostinho ao PIXIES.

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques