• by Brunelson

Stone Gossard: "sempre há renovação no mundo e novas perspectivas", sobre a explosão do grunge


O guitarrista do PEARL JAM, Stone Gossard, recentemente refletiu sobre a longa narrativa de que o grunge matou a carreira de muitos músicos do hair/glam metal dos anos 80.


Notou-se que após o lançamento do single “Smells Like Teen Spirit” do Nirvana em setembro de 1991, o mesmo causou confusão na cena hair metal pondo fim a uma era dominada por estrelas do rock glamorosas, andróginas e brilhantes de purpurina, spray e vestimentas, que saturaram as ondas de rádio e quase exclusivamente era o que ia ao ar na MTV.


* Stone Gossard: "na época comprei os primeiros discos do Motley Crue, pois achava que era punk rock"


* Eddie Vedder: a sincera opinião sobre a banda glam metal Motley Crue

Em uma nova entrevista para o site VWMusic, Gossard foi questionado sobre esse debate de longa data. Ele reconheceu o sucesso comercial que o grunge teve e compartilhou a sua opinião sobre por que isso aconteceu.

Ele respondeu: “Acho que sempre há renovação no mundo e com essa renovação surgem novas perspectivas. Eu acho que o hair metal (que representava o hard rock nos anos 80) estava realmente estagnado naquele ponto de uma forma que deu uma oportunidade para o que eu chamaria de músicos 'menos musicalmente talentosos' aparecerem, tipo: 'Hey, há outra maneira de tocar músicas rock. Há outra maneira de tocar músicas pesadas e há outra maneira de criar caos e energia a partir dessas músicas que estariam fora da paleta das cores normais de uma música hard rock'".

“Quero dizer, no início eu escutava muito heavy metal e hard rock”, continuou Gossard. “Eu ouvia muito MOTORHEAD, IRON MAIDEN, MERCYFUL FATE e LED ZEPPELIN. Eu também ouvia todas aquelas bandas britânicas de heavy metal e gostava. Dito isso, quando criança, eu realmente não sabia tocar guitarra dessa forma, então, estava aprendendo a tocar guitarra do meu jeito e apenas fazendo o que parecia certo pra mim. Eu acho que no final dos anos 80 havia uma atitude muito livre sobre arte e música que estava se formando na esteira do hard rock e muitas pessoas estavam experimentando sons, sendo que as bandas dessa época se formaram a partir disso".

Ele finalizou: "Havia algo sobre isso que era fresco, coisa nova, e que realmente capturou os ouvidos das pessoas e teve um grande efeito em tudo também, mas você sabe, muitas dessas bandas do hair metal que você está falando ainda estão por aí, então, claramente que todas elas não morreram. Claro, muitas delas tiveram que se reagrupar e sim, algumas morreram, mas isso faz parte do ciclo da vida, certo? Ainda existem muitos fãs por aí que amam o hard rock e eu sou um deles. Eu amo o hard rock e sempre amei, mas eu acho que a renovação e o renascimento fazem parte da arte”.

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques