• by Brunelson

Soundgarden: "os três primeiros álbuns possuem uma 'gordura' no som", disse produtor do 4º disco


O produtor do álbum "Superunknown" da banda SOUNDGARDEN, Michael Beinhorn, afirmou recentemente que os discos da banda anteriores ao que ele produziu em 1994, que incluiriam o clássico álbum "Badmotorfinger" (3º disco, 1991), contêm um pouco de "gordura" no som, apesar de ele não ter nada de ruim a dizer sobre todos os 03 primeiros álbuns de estúdio do SOUNDGARDEN.


* Soundgarden: "vocês ainda não tem um disco", produtor de "Superunknown" havia dito à banda


* Soundgarden: produtor do álbum “Superunknown” falando da canção “Black Hole Sun”


* Chris Cornell: "o que vai acontecer se não soar como o Soundgarden?"


* Soundgarden: produtor revela como Cornell gravou o vocal para "Superunknown"


* Chris Cornell: alguns dos maiores desempenhos vocais nas bandas que participou


Recentemente entrevistado pelo podcast Cobra and Fires, o produtor falou: “Eu acho que uma das coisas mais incríveis sobre o SOUNDGARDEN foi apenas a vibração geral que eles projetaram como uma banda juntos. Eles eram personalidades incríveis, poderosas e acho que isso transparece em todo o seu trabalho. É meio difícil argumentar que Chris Cornell foi um dos maiores vocalistas do rock de todos os tempos, não é?"

"Antes de trabalhar com eles em 1994 para gravarmos o álbum 'Superuknown' (4º disco), havia um núcleo neles que eu simplesmente sentia que eles não estavam realmente tocando. Havia uma essência neles que eu sentia que eles nunca realmente estavam conseguindo chegar e embora eu não tenha absolutamente nada de ruim a dizer sobre qualquer um dos discos predecessores do álbum que fizemos em 1994, eu sentia que havia muito, tipo, gordura no som..."

"Eles faziam jams que duravam um tempo e pra mim, eram coisas que, se você quisesse ver uma banda ao vivo fazendo jams, tudo bem, você poderia ir vê-los fazer isso, mas se você vai gravar um álbum e quando você ouve uma jam repetidamente toda vez que for escutar o disco, não é mais uma jam, porque você começa a conhecer todas as partes daquilo".

"O que teria sido uma coisa improvisada se torna uma construção estrutural depois de um tempo, porque você começa a se lembrar da ordem das coisas e aquela espontaneidade começa a se dissipar e depois de um tempo, o seu cérebro espera ouvir a improvisação do jeito que está gravada..."

"Quando um banda toca uma música ao vivo, eles não tocam exatamente da mesma maneira e haverá algo em seu cérebro que ficará um pouco surpreso com isso".

"Agora, sobre as nuances de uma performance que pertencem diretamente a uma estrutura real, como uma performance vocal, por exemplo, é parte do que eu tenho que fazer como produtor que é ouvir todas as nuances e todas as sutilezas e selecionar ou pelo menos ser um árbitro, eu acho, no processo de seleção do que finalmente será escolhido e usado na gravação final que todos ouvirão".

"Antes de trabalhar com eles, senti que ainda havia um nível mais profundo nessa banda em termos de estrutura, em termos de composição, em termos de escrita, em termos de criação de ideias e que tinham uma ressonância real nelas - em termos de elementos estruturais".

"E pra mim, senti que era realmente importante trazer isso à tona sem perder nada da crueza e do poder que eles tinham, mas na verdade, amplificar isso, encontrar aspectos realmente sutis do que eu sentia que tornava a banda tão vital e empolgante".

"Como exemplo, percebi quando ouvi Chris cantar que a sua voz era tão poderosa que sempre havia uma pequena 'expulsão' no final de algumas de suas falas. Você podia ouvi-lo empurrando pra fora do estômago a voz bem no final das frases..."

"Eu estava ouvindo os álbuns anteriores ao disco 'Superunknown' e não conseguia acreditar, tipo: 'Por que, em nome de Deus, aquelas pessoas que gravam esse cara, por que ainda não tentaram amplificar isso (voz)?'"

"Porque há algo tão cru e atraente nisso, como, por que você não gostaria de deixar isso um pouco mais aparente na gravação? Não é algo que você vai notar imediatamente, é algo que você ouve e se torna parte da apresentação. Coisas assim eram muito importantes pra mim e eu queria me concentrar em muitos detalhes na gravação daquele álbum”.


Só para ficar registrado e sem nenhuma outra intenção, os 03 primeiros álbuns de estúdio do SOUNDGARDEN, são: "Ultramega OK" (1988), "Louder Than Love" (1989) e "Badmotorfinger" (1991).


O 1º disco chegou a concorrer ao Grammy e lançou uma das clássicas músicas da banda, "Beyond The Wheel", além das canções "Flower" e "Incessant Mace", que às vezes faziam parte do repertório da banda ao vivo.


O 2º disco foi influência para artistas como Kirk Hammett do METALLICA e Dave Navarro e Perry Farrell do JANE'S ADDICTION (conforme entrevistas), que lançou duas das melhores músicas da banda, "Hands All Over" e "Loud Love", incrivelmente menosprezadas nos setlists do grupo ao decorrer da história, além das canções "Gun" e "Get on The Snake" que também permeavam os shows de vez em quando.


O 3º disco foi um sucesso mundial na onda grunge lançando as clássicas músicas "Rusty Cage", "Outshined" e "Jesus Christ Pose", com praticamente todas as outras canções do álbum sendo apresentadas nos shows com algumas raridades aqui e ali.

Confira o áudio de estúdio de algumas músicas lançadas neste icônico álbum da história do rock, "Superunknown", 4º disco do SOUNDGARDEN e produzido por Michael Beinhorn:


"Let Me Drown"


"Head Down"


"Limo Wreck"


"Kickstand"


"Like Suicide"


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques