top of page
  • by Brunelson

Jason Everman: ex-integrante do Nirvana e Soundgarden explica a sua saída das bandas


Aqui vai uma breve introdução.

Quando o NIRVANA foi gravar o seu álbum de estreia em 1989, "Bleach", eles contaram com o patrocínio de um colega que bancou sozinho o custo de um pouco mais de U$ 600,00 dólares para gravar esse disco. Mesmo não tendo tocado uma nota musical sequer nesse álbum, esse rapaz receberia os créditos como 2º guitarrista da banda e acabaria saindo na capa do álbum numa foto de ensaio com a banda. Realmente, a partir dali o NIRVANA seria um quarteto e acompanhado por um 2º guitarrista durante a 1ª perna da turnê americana do disco "Bleach".

Depois, esse mesmo sujeito seria o novo baixista do SOUNDGARDEN, ingressando no grupo logo após a banda ter gravado o seu 2º álbum de estúdio, "Louder Than Love" (1989), fazendo toda a turnê desse disco com a banda.

Estamos falando de Jason Everman, que foi recentemente entrevistado no podcast de Joe Rogan, relatando sobre as suas breves passagens por duas das maiores bandas de rock de todos os tempos e descreveu as circunstâncias que levaram à sua saída em ambas.

Em 1989, Everman se juntou ao NIRVANA como 2º guitarrista e pagou pelas sessões de gravação do álbum “Bleach”. Sua passagem pelo grupo provou ser curta, no entanto, ele conseguiu fazer a 1ª perna da turnê americana com o NIRVANA e que percorreu todo o território nacional numa van.


Everman começou falando: "Com o NIRVANA, acho que, inicialmente, quando entrei na banda, Kurt Cobain queria basicamente um 2º guitarrista para os shows, para ter um som mais pesado ao vivo e tirar um pouco da responsabilidade dele para que ele pudesse se concentrar mais nos vocais e esse tipo de coisa".

“Inicialmente, pensei que seria capaz de contribuir com a banda de forma criativa, mas então, cheguei a um ponto em que percebi que isso não aconteceria. E eu acho que a mesma coisa aconteceu com Chad Channing, o baterista da banda na época".

“Todos na banda, inclusive eu, éramos péssimos comunicadores com muita agressão passiva... Nós éramos apenas crianças".

Everman passou a descrever a dinâmica criativa interna do NIRVANA: “Nas raras vezes em que realmente ensaiamos como uma banda, o que não foi muito, Kurt, falando meio que sem entusiasmo, perguntava: 'Quem tem algumas ideias?' E eu dava algumas ideias e Chad, um músico muito talentoso em seu próprio direito, também lançava algumas ideias, mas então, era apenas tudo 'encoberto' por Kurt e ele dizia: 'Ok, aqui está uma nova música que escrevi' e começaríamos a aprender o que ele nos mostrava".

“Então, ele recebia as nossas ideias de uma forma muito superficial, tipo, Kurt até chegava a tocar um pouco, mas as nossas ideias não iriam a lugar nenhum".


Depois de ser dispensando do NIRVANA em 1989 (claramente eles ainda teriam que ser uma banda power trio), Everman pretendia fazer uma jornada pelo Himalaia, que ao contrário de ser um rockstar, era o seu verdadeiro sonho de infância. Porém, isso não aconteceria por mais 10 anos, já que logo em seguida ele acabou se juntando ao SOUNDGARDEN no 2º semestre de 1989 como o novo baixista.

Ele continuou: “Kim Thayil, guitarrista do SOUNDGARDEN, me telefonou e disse: 'Hey, o nosso baixista, Hiro Yamamoto, está saindo. Você quer fazer um teste para entrar na banda?'"

Everman deixaria o SOUNDGARDEN no final da turnê em 1990, dizendo ao entrevistador que era devido a tensões com o vocalista da banda, Chris Cornell: "É complicado, mas no final do dia eu não estava me dando bem com Chris Cornell e obviamente, quem vai sair? Fui eu".

Ao contrário de sua saída do NIRVANA, deixar o SOUNDGARDEN não foi algo que Everman aceitou de boa: “Aquilo partiu o meu coração, sabe? Quando saí da banda, fui parar num lugar muito ruim na minha vida porque eu amava aquela banda e nunca pensei que eles ficariam tão grandes quanto ficaram".

“Honestamente, foi surpreendente pra mim o que eles alcançaram, porque, sim, eles eram uma ótima banda, mas sempre achei que eles eram peculiares demais em seu som para serem grandes do jeito que foi, mesmo com o fator Chris Cornell, que era uma estrela do rock geneticamente modificada".

“Mas sim, sempre achei que eles eram um pouco estranhos demais para ter sucesso no mainstream, o que me deixa feliz, pois pensava que eles seriam como uma grande banda no circuito independente, no nível de grupos como SONIC YOUTH ou BUTTHOLE SURFERS”.

Everman finalizou: “Ser demitido do SOUNDGARDEN me colocou em uma espiral muito ruim e foi uma fase difícil na minha vida, então, com certeza, para cortar toda essa queda na minha vida, tive que fazer algo radical, então, o que fiz foi me mudar para New York".


Confira Jason Everman em performance com o NIRVANA sendo o 2º guitarrista e com o SOUNDGARDEN tocando baixo:


"Mr. Moustache" (Disco: "Bleach")


"Hands All Over" (Disco: "Louder Than Love")


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page