top of page
  • by Brunelson

James Hetfield: frontman do Metallica explicando como a música lhe deu uma identidade


Uma pitada de extroversão é algo necessário para levar uma carreira como músico.

Quando você sobe ao palco na frente de 10 pessoas ou para uma multidão, ser tímido e pouco comunicativo não funciona exatamente muito bem. Você tem que ser capaz de fazer conexões com os fãs e os ouvintes que estão ali na sua frente e no fundo do bar, teatro ou estádio em que você está tocando. Não é preciso muito, mas o melhor é fazer parecer fácil.

E isso é o que James Hetfield faz toda vez que sobe ao palco como o vocalista/guitarrista do METALLICA.

Mas nem sempre foi assim...

Apesar de ter uma das vozes mais distintas do heavy metal, Hetfield inicialmente não tinha certeza se abria a boca para falar qualquer assunto na sua infância e adolescência: “Eu tinha muito medo de tudo”, revelou Hetfield quando foi entrevistado pela loja Guitar Center em 2014. “Medo do mundo, medo de falar... Sabe, eu era um garoto muito, mas muito tímido. Sendo assim, a música se tornou numa forma de poder falar, simples assim. Eu poderia apenas fazer um diário, escrever poesias, escrever o que quer que estivesse passando na minha cabeça e depois, me sentar, dedilhar alguns acordes e juntar tudo num pacote. Assim sou eu, contando ao mundo sobre mim quando não consigo fazer isso sozinho por conta própria. A música se tornou na voz que eu não tinha”.

Não demorou muito para que a guitarra se tornasse a principal forma de expressão de Hetfield: “Havia um garoto na minha escola que estava numa banda de jazz e ele estava vendendo a sua guitarra. Acho que era uma Gibson SG de 1969 com alavanca. Ele queria vender e me disse: 'Você quer comprar?' E eu respondi: 'Sim! Quanto você quer por ela?' E ele me disse: 'U$ 200,00 dólares'. Então, eu implorei à minha mãe, fiz as tarefas de casa e tudo o que pude, para que ela comprasse a minha 1ª guitarra de verdade”.

Hetfield logo se juntou a uma banda cover de sua escola: “BLACK SABBATH foi a banda que me iluminou totalmente. Era tão pesado e tão emocionante, que eu me aprofundei nisso. Eu poderia fechar os meus olhos e estar lá”. Não demorou muito para Hetfield ganhar habilidade na guitarra e quando os seus companheiros de banda não manifestaram interesse em escrever as suas próprias músicas, foi quando Hetfield começou a procurar por novos colegas para montar um grupo com músicas autorais.

Hetfield explicou que, no ano letivo seguinte, ele havia deixado o cabelo crescer. Enquanto ele se preparava para jogar no time de futebol americano da escola, o técnico lhe disse que ele deveria cortar o cabelo ou seria cortado do time.

O frontman do METALLICA concluiu: “Naquela época, foi uma daquelas bifurcações na estrada que foi muito importante na minha vida, mas da qual eu ainda não fazia ideia. Eu meio que pensei na hora: ‘Foda-se isso. Eu quero ser o reserva jogando futebol americano, ou quero subir no palco com uma missão?' Falando por meio da música, eu não sabia disso ainda na época, mas foi praticamente a escolha certa que fiz pra mim”.


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page