Ramones: matéria secundária de capa da 89 Revista Rock em 2000 - Parte 2

June 14, 2020

 

Lá em 2000, a revista brasileira 89 Revista Rock havia publicado uma matéria secundária de capa sobre os RAMONES (foto), onde foi sintetizada toda a história da banda, de sua discografia e relato de quem assistiu 03 shows do grupo que criou o punk rock.

 

Confira a 2ª parte desta matéria, onde o autor comenta sobre os 03 shows dos RAMONES que ele viu em São Paulo:

 

 

Eu Tava Lá! (várias vezes)

 

Dama Hog: São Paulo/SP - 30/04/1991

Olympia: São Paulo/SP - 11/05/1992

Olympia: São Paulo/SP - 13/03/1996

 

RAMONES já havia feito um show relâmpago no Brasil em 1987, que teve um certo tumulto promovido pelos skinheads (sempre eles...) no Palace, em São Paulo. Na época, a formação contava com Joey, Johnny, o ex-baterista Richie e o ex-baixista e membro fundador Dee Dee Ramone. O grupo promovia a turnê do álbum "Halfway to Sanity" (10º disco, 1987).

 

Mas foi em 1991 que eles resolveram aportar na América do Sul pela 2ª vez e se deram bem. Os shows foram tão animais que marcaram o início de uma série de turnês que a banda promoveria no Brasil até o seu anunciado fim, em 1996.

 

Em São Paulo, os fãs lotaram os 03 dias de shows para ver Joey, Johnny, a volta do baterista Marky e o novíssimo baixista CJ Ramone. A selvageria sonora do grupo nessa curta temporada foi de deixar qualquer um boquiaberto. Por volta das 22:30hs, as luzes se apagaram e começou a rolar um tema de faroeste, "The Good The Bad and The Ugly".

 

Logo em seguida, foi uma paulada atrás da outra: "Sheena is a Punk Rocker", "Surfin' Bird", Blitzkrieg Bop", entre outras. Sem falatórios - intercaladas apenas pelos famosos berros de 1,2,3,4! do baixista CJ - as versões das músicas estavam tão rápidas que a princípio ficava difícil reconhece-las.

 

Em 1992, RAMONES estavam promovendo o álbum "Mondo Bizarro" (12º disco, 1992) e mais uma vez (ainda bem!) visitaram os brasileiros. A introdução do show foi a mesma "bang bang à italiana" do ano anterior e em seguida a banda já entrou com o público na mão, detonando a instrumental "Durango 95". Os sucessos (e em se tratando dos RAMONES, parece que tudo é sucesso) estavam todos lá: "Pinhead", "Rockaway Beach" e outras.

 

Durante as músicas mais porradas, como "Wart Hog" e "Psycho Therapy", era impossível ficar parado com o público pulando enlouquecido. Dois anos depois, eles ainda voltaram para mais shows no Brasil, nos quais tocaram com bandas daqui como os RAIMUNDOS e o SEPULTURA numa turnê por vários Estados brasileiros.

 

Mas foi em 1996 que os ramonesmaníacos tiveram um misto de satisfação e decepção: foram anunciados novos shows na América do Sul, porém eles deveriam celebrar o final da banda.

 

Detonando antigos sucessos intercalados pelas músicas do último álbum de estúdio, "Adios Amigos" (14º disco, 1995), RAMONES não desperdiçou tempo, tocando com total emoção cada sucesso da banda. Durante o grito de guerra "Hey Ho Let's Go!" o local explodiu numa multidão de fãs que, em coro, saudavam os punk rockers americanos.

 

No final, era notória a cara de profunda tristeza dos brasileiros por termos presenciado um dos últimos shows dos reis do punk rock.

 

Confira a 1ª parte desta matéria que o site rockinthehead já publicou:
 

* Ramones: matéria secundária de capa da 89 Revista Rock em 2000 - Parte 1

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Serial Hawk: bandas atuais de Seattle mantendo o legado rock - Parte 3

July 15, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead