• by Brunelson

Rock'n Roll Hall of Fame: confira 04 apresentações de "supergrupos" em sua história


O evento anual do Rock'n Roll Hall of Fame é sempre um dia especial, em que a realeza do rock fica no mesmo prédio por apenas uma noite.


Com o passar dos anos - desde o seu início em 1986 - esse fato significa que o evento viu o seu quinhão de supergrupos tocando para o público.

Quando dizemos supergrupo, também queremos dizer o que separamos para você.

Abaixo, temos 04 apresentações realizadas no Hall of Fame que contaram com participações conjuntas de artistas de outras bandas.

Só lembrando que artistas e bandas só se tornam elegíveis para indução 25 anos após o lançamento do seu álbum de estreia.


Sem rodeios, vamos dar uma olhada em algumas das maiores apresentações no Rock'n Roll Hall of Fame, que contaram com a união de no mínimo 02 artistas de grupos diferentes.

Patti Smith e R.E.M. (2007)

R.E.M. e Patti Smith são dois atos que criam algo maior do que eles próprios. Sempre que eles compartilham o palco, ambos os atos de alguma forma elevam a sua habilidade já divina para outro nível, o que cria uma força da natureza imparável - assim como neste cover do THE STOOGES da música "I Wanna Be Your Dog" e que se trata de uma evidência.

Ambos estavam sendo introduzidos na classe de 2007 do Rock and Roll Hall of Fame.

Fica o detalhe ao público, que está todo vestido e calçado em suas mesas assistindo a performance e parecendo não perceber a grandeza que está no palco à sua frente.

Há uma química tangível entre Patti Smith e Michael Stipe (vocalista do R.E.M), que parecem estar no topo do jogo, ao mesmo tempo em que se divertem de maneira incrível. A energia positiva que eles transmitem por meio da interpretação da canção "I Wanna Be Your Dog" é contagiante e com certeza nos faz surgir um sorriso no rosto.


George Harrison, Billy Joel, Mick Jagger, Bob Dylan, Bruce Springsteen e Neil Young (1988)

Houve alguns momentos incríveis na longa história do Rock'n Roll Hall of Fame, mas nenhum foi tão bem classificado quanto o 3º evento da instituição.

Jams literalmente não ficam maiores do que George Harrison, Billy Joel, Mick Jagger, Bob Dylan, Bruce Springsteen e Neil Young formando a maior banda de tributo aos BEATLES que o mundo já viu, para uma apresentação de cair o queixo da música "I Saw Her Standing There".

Enquanto os BEATLES estavam sendo adicionados ao Hall of Fame em 1988, nem todos os membros sobreviventes da icônica banda compareceram ao evento. George Harrison e Ringo Starr chegariam ao show sem Paul McCartney.

O cantor/baixista boicotou o evento como resultado das disputas de negócios em andamento que poderiam ter causado uma real amargura nos procedimentos subsequentes.


A jam session é uma alegria de se ver com George Harrison encarnando uma performance a la BEATLES para efeito adicional. Esta apresentação resultou num momento de orgulho radiante quando músicos mais jovens dividem com gratidão o palco com os seus ídolos.


Kim Gordon e NIRVANA (2014)

Para a introdução do NIRVANA no Rock'n Roll Hall of Fame em 2014, Dave Grohl e Krist Novoselic sabiam que tinham que misturar as coisas para os procedimentos da noite.


Com uma nova visão da banda, a dupla decidiu se apresentar com vocalistas totalmente femininas para assumir a função e dar um novo fôlego às suas canções.


Em uma tentativa de não soar como um tributo a Kurt Cobain, a enigmática vocalista/baixista do SONIC YOUTH, Kim Gordon, subiu ao palco para roubar o show.

Gordon apresentou uma versão empolgante e agonizante da música "Aneursym" naquela noite (3º trabalho de estúdio do NIRVANA, "Incesticide", 1992), parecendo que ela já estava se apresentando ao lado de Dave Grohl e Krist Novoselic por décadas.

Outra razão pela qual Gordon foi uma escolha tão adequada para participar, foi que ela desempenhou um papel monumental no sucesso mainstream do NIRVANA, tendo recomendado a banda para a grande gravadora do SONIC YOUTH na época, Geffen Records, que por sua vez, iria contratar o NIRVANA e levar o grunge para as massas.

Além do SONIC YOUTH ter convidado o NIRVANA para a sua turnê europeia de verão em 1991, antes do grupo ter explodido no mundo inteiro e que foi registrada no documentário "1991: The Year Punk Broke".

Sem a influência de Kim Gordon e da sua banda, quem sabe se o NIRVANA teria alcançado o mesmo nível de sucesso e acabaria sendo a 1ª banda do recinto grunge a entrar no Hall of Fame...


LED ZEPPELIN e Neil Young (1995)

Quando o LED ZEPPELIN foi introduzido no clube de membros mais sagrado do rock, convidados especiais se juntariam à banda no final da noite para a primeira das suas 02 apresentações, com o filho do falecido John Bonham, Jason, assumindo o manto na bateria do seu pai.

No entanto, o ponto alto de toda a noite veio quando o LED ZEPPELIN juntou forças com Neil Young - que se encaixou no grupo como uma luva e que também estava sendo incluído no Hall of Fame.

Neil Young se juntou a eles para uma apresentação impressionante da música "When The Levee Breaks" do LED ZEPPELIN, com a sua abordagem indiferente nos mostrando 02 lendas musicais compartilhando o mesmo palco.

No final da música, Robert Plant canta um pouco as letras da canção "For What It’s Worth" da banda BUFFALO SPRINGFIELD em homenagem a Neil Young (seu antigo grupo).

É um momento comovente entre dois gigantes do mundo do rock.

De acordo com a biografia de Neil Young do autor Jimmy McDonough, a experiência foi de tal alegria para Young, que ele brevemente considerou tentar reformar o LED ZEPPELIN e se tornar um membro honorário para um novo álbum.

Infelizmente, isso não aconteceu e nunca saberemos se teria sido a melhor coisa do mundo...


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead