top of page
  • by Brunelson

Ramones: a origem da música "The KKK Took My Baby Away"


RAMONES era uma banda pouco convencional.

Na superfície, eles eram uma família punk muito unida e nada poderia separá-los. Porém, a realidade era menos romântica, com o vocalista Joey Ramone e o guitarrista Johnny Ramone sendo opostos totais e a música sendo quase a única coisa que eles tinham que os mantinham juntos.

Mesmo com as suas diferenças monumentais, um incidente em particular iria colocar fim à amizade deles.

Mas antes, o exemplo perfeito de 02 personalidades diferentes são as suas ideologias políticas. Joey Ramone era um liberal feroz que tinha uma atitude progressista em relação à vida, sendo que essas crenças iam contra a visão de mundo de Johnny Ramone.


Por outro lado, o guitarrista era um defensor declarado do Partido Republicano (direita), apesar do movimento punk e do seu amor pelo conservadorismo ser uma das maiores justaposições possíveis. Esses valores levariam os 02 a bater cabeças repetidamente, com eles discordando sobre o assunto no decorrer do tempo.

Um exemplo em que as suas ideologias políticas se tornaram uma pedra no sapato, foi quando a banda atacou o presidente Ronald Reagan nos anos 80. Johnny ficou chocado com a música "Bonzo Goes to Bitburg" (9º disco, "Animal Boy", 1986), a canção dirigida diretamente a Reagan e que Joey Ramone escreveu em frustração com a visita do presidente a um cemitério nazista em Bitburg, na Alemanha.



Johnny ficou tão furioso com a banda prejudicando a imagem de Reagan que de alguma forma conseguiu forçá-los a mudar o título da canção para "My Brain is Hanging Upside Down", para que saísse no encarte do álbum quando fosse lançado.

Mas esta história acima aconteceu em meados dos anos 80, porque antes, uma treta já havia selado a inimizade entre eles no começo dessa mesma década...

História super conhecida entre os fãs da banda, a situação entre os 02 tinha ficado complicada ali por volta de 1980/81, quando Joey descobriu que a sua namorada, Linda, havia se apaixonado pelo seu colega de banda e o deixou para seguir um romance com Johnny. Um Joey de coração partido e zangado, que já tinha uma forte antipatia pelo seu companheiro de banda devido à opiniões, foi deixado para trás depois de descobrir que o seu 1º amor verdadeiro preferia estar com o seu "inimigo" do que com ele.

Joey exorcizou essa raiva e tristeza num clássico do punk rock de 02 minutos e meio, mordazmente intitulada "The KKK Took My Baby Away" (6º disco, "Pleasant Dreams", 1981), citando a organização extrema-direita em seu título.


“A KKK levou a minha garota embora / Eles a levaram embora, longe de mim", Joey canta com todo o seu coração no refrão desta canção.

Linda acabou se casando com Johnny e eles ficaram juntos até o seu último suspiro em 2004. No entanto, após este incidente, o relacionamento entre Joey e Johnny era quase estritamente profissional.


Quando Joey faleceu de linfoma em 2001, Johnny nem mesmo compareceu ao funeral de seu "irmão de banda".

“Eu estava na Califórnia”, disse Johnny Ramone num DVD oficial dos RAMONES. “Eu não viajaria até New York, mas não teria ido de qualquer maneira. Eu não gostaria que ele fosse ao meu funeral e não gostaria de ouvir falar dele se eu estivesse morrendo. Eu só iria querer ver os meus amigos".

Linda comentou mais tarde sobre este caso com a Fox News, observando: “As pessoas sempre dizem: ‘Oh, ela partiu o coração de Joey’. Foi o nosso 1º amor, eu e Joey. Então, foi muito profundo e incrível, mas a certa altura, Johnny se apaixonou por mim. Quando Joey soube que Johnny estava apaixonado por mim, era aceitar ou acabar com a banda. Nenhum de nós, os 03, jamais nos colocamos em primeiro lugar. A banda sempre veio em primeiro lugar e foi assim que aconteceu... Todos nós sabíamos disso".

“Então, quando chegou a hora de eu e Joey terminarmos, nós entendemos. Era hora de seguir em frente. Johnny estava apaixonado por mim, eu estava me apaixonando por Johnny, Joey sabia disso e nos primeiros anos não falei mais com Joey, até que de repente, tinha um escritor que estava escrevendo o livro dos RAMONES e do nada Joey me ligou para dar a notícia para nós. Daquele momento em diante, eu e Joey sempre mantivemos contato e eu sei que as pessoas dizem: ‘Oh, você partiu o coração dele’, mas Joey arranjou outra namorada logo depois que eu terminei com ele”.

Para Linda o seu coração falava mais alto para Johnny do que para Joey, e havia uma razão para que o seu relacionamento não durasse, no entanto, Joey nunca poderia perdoar o seu colega de banda por traí-lo, mesmo que pudesse entender por que Linda o deixou.

O relacionamento turbulento da banda era deixado para trás durante a hora que iriam subir ao palco e até nas entrevistas (sempre se respeitando), mas quando os RAMONES encerraram as atividades em 1996, Joey e Johnny voltaram a viver as suas vidas completamente separadas um do outro.


Somente para ficar registrado, a biografia citada dos RAMONES se chama “Hey Ho Let’s Go: A História dos Ramones”, escrita pelo jornalista musical inglês, Everett True, lançada originalmente em 2002.


Este jornalista era da revista Melody Maker e foi a mesma pessoa que "descobriu" o grunge em 1989 e mostrou à imprensa britânica, antes ainda do gênero explodir no mainstream em 1991.


E o DVD citado nesta matéria se chama "End of The Century: The Story of Ramones", lançado em 2003.


Fica a dica para quem não possui em casa ou ainda não viu/leu as fontes acima...


"The KKK Took My Baby Away"


Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page