• by Brunelson

Neil Young: relembrando lendário show secreto de madrugada em New York, 1974


O legado de Neil Young como uma verdadeira lenda do rock foi confirmado há mais de 50 anos, onde muitos dizem que foi cimentado com o álbum profundamente pessoal de 1974, "On The Beach" (5º disco).


Esse álbum elevou Neil Young de estrela do rock a ícone e viu seu terno coração ser exposto para sempre. Foi uma mudança de ritmo que o rock precisava desesperadamente e veio nesta forma sonora.

Porém, esse disco ainda não tinha sido lançado e Neil Young decidiu exibir as suas novas músicas num show secreto por volta das 02:00hs da madrugada no Bottom Line, na cidade de New York (foto), para um público muito sortudo.

Ry Cooder e Leon Redbone terminaram o seu setlist no Bottom Line quando disseram ao público para não irem embora, sugerindo que um bônus pudesse assumir o palco. Eles tinham uma surpresa especial e quando Neil Young apareceu com o seu violão pendurado no ombro, logo ficou claro que as coisas estavam prestes a ficar muito interessantes.

No entanto, não eram apenas algumas das suas antigas canções que Young iria presentear ao público naquela noite e de uma forma surpresa, ele adicionou uma prévia do seu novo disco, "On The Beach", tocando 04 músicas e dando ao público um gostinho do que estaria por vir. Foi um teste decisivo de como o novo som funcionaria para o seu público, já que o disco era diferente de tudo o que Young havia composto anteriormente e dando muito mais de si mesmo do que já havia compartilhado antes.

Relembrando o período em torno da composição desse disco, Young comentou em sua biografia de 2002: “Muito escuro e não estava feliz. Acho que foi um período de desilusão sobre as coisas terem saído diferentes do que eu esperava”. Foi um momento estranho para Young, uma época em que ele se sentia desequilibrado e perdido. Tentar acompanhar o clássico álbum "Harvest" (4º disco, 1972) sempre seria difícil e parecia uma façanha inatingível.

E essa questão e assuntos culinários foram revelações que Young compartilhou com o público no Bottom Line.


Ele e os seus companheiros de banda do CRAZY HORSE estavam hospedados num hotel próximo, enquanto estavam na cidade para gravarem o álbum. Sempre adeptos a algum aperitivo específico à base de maconha, Young e sua equipe estavam comendo "Honey Slides".

"Vocês sabem o que é um Honey Slides?" Young perguntou à multidão. Ele então, ofereceu um guia passo a passo para aqueles interessados na refeição gourmet, sugerindo que eles usassem “maconha de baixa qualidade”, bem como alguns detalhes sobre como cozinhá-la: “Essa erva barata é ótima”, brincou Young. “Sabe, nesses tempos, você tem que pensar em preços baratos e coisas assim”, ele falou à plateia.

Young também proporcionou ao público uma das poucas ocasiões em que as músicas do disco "On The Beach" seriam ouvidas num palco. Young cantou 04 canções do álbum, incluindo a sombria faixa-título, "Ambulance Blues", "Revolution Blues" e "Motion Pictures". Esta última ele nunca mais tocaria ao vivo novamente.

A música é sobre o seu relacionamento com a atriz Carrie Snodgress que estava se deteriorando rapidamente, como ele confirmou mais tarde em sua biografia: “Acho que estava começando a perceber que vida fodida eu tinha escolhido pra mim com Carrie”. A única apresentação desta canção ao vivo já é motivo suficiente para ouvir o show completo que separamos no final dessa matéria, oferecendo uma imagem cristalina de Neil Young durante a sua fase mais vulnerável.

"On The Beach" é apontado como um dos maiores álbuns da década. Foi uma descrição tão precisa dos tempos turbulentos que o cercou, uma miscelânea de devassidão ansiosa e vida ferida.


Confira o áudio deste show de Neil Young no Bottom Line na cidade de New York em 1974:


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques