top of page
  • by Brunelson

Lars Ulrich: baterista do Metallica escolhe o seu guitarrista preferido de todos os tempos


Depois de atingir as alturas de gigantes do heavy metal, o baterista do METALLICA, Lars Ulrich, nunca deixou de ser fã do hard rock.

Mesmo quando o METALLICA começou a alcançar o sucesso além dos seus sonhos mais loucos, Ulrich ainda era o mesmo garoto empolgado que queria assistir os shows de suas bandas favoritas como do MOTORHEAD. E embora ele possa ter começado a escutar rock com bandas precursoras do metal como o BLACK SABBATH, o grupo favorito de Ulrich é ainda um pouco mais antigo.

Junto com as montanhas de fitas-cassete piratas que ele colecionou ao longo dos anos, Ulrich sempre teve um lugar especial em seu coração para o DEEP PURPLE. Depois que essa banda trocou o seu vocalista e baixista originais e inserindo Ian Gillan e Roger Glover respectivamente, estava criada a formação clássica do DEEP PURPLE que foi de 1970 à 1973, onde lançariam 04 álbuns de estúdio e 01 disco ao vivo, e que começaria a redefinir como o hard rock deveria ser tocado. O guitarrista do DEEP PURPLE, Ritchie Blackmore, se tornaria um dos mestres por trás da composição de riffs de guitarra ao lado do guitarrista Jimmy Page do LED ZEPPELIN na história do rock'n roll.


E para Ulrich, ele sempre considerou Blackmore o auge do que um guitarrista deveria ser.


* Metallica: quando o baterista postou uma relação de suas músicas favoritas Ao ser entrevistado pelo site Louder, Ulrich se lembrou de ter visto o DEEP PURPLE pela 1ª vez e de ter sido nocauteado pela execução de Blackmore, dizendo: “O 1º show que eu fui ver na minha vida, foi do DEEP PURPLE. Eu tinha 09 anos de idade e ainda posso fechar os olhos e ver Ritchie Blackmore pegando a sua guitarra Fender Stratocaster preta e branca e tocando-a no chão com o pé ou esfregando-a nas caixas dos alto-falantes do PA. Isso deixou uma impressão em mim e acho que ele foi o melhor guitarrista daquela geração... Pelo menos pra mim, foi a epítome de um herói da guitarra”. Mesmo que Blackmore pudesse criar um espetáculo no palco com músicas como "Smoke on The Water", o DEEP PURPLE como um todo era uma unidade focada, com Blackmore sempre sendo a atração principal. Certamente deixou uma impressão na abordagem de Ulrich para escrever canções, sempre ditando a estrutura das músicas do METALLICA junto com o vocalista/guitarrista, James Hetfield, com base nestas canções clássicas com as quais Ulrich batia a cabeça quando era criança. Esse fogo interno não diminuiu ao longo dos anos, como evidenciado pela introdução do DEEP PURPLE no Rock and Roll Hall of Fame em 2016 com o discurso do próprio Ulrich.


Além dos seus elogios maciços a Blackmore, ele se maravilhou com a musicalidade de cada membro da banda, dizendo: “DEEP PURPLE era uma bela contradição. Era como se você encontrasse músicos no topo do seu jogo, tocando um clássico após o outro com intensidade crua, como se estivessem em uma garagem tocando pra ninguém além de si mesmos, mas ao mesmo tempo lançando um olhar de mil jardas nas entranhas das arenas em todo o mundo”. Assim como o LED ZEPPELIN e BLACK SABBATH, o DEEP PURPLE fecharia a tríade hard rock do final dos anos 60 e início dos anos 70, a qual abriria caminho para a criação do heavy metal nos anos 80 e seus consequentes subgêneros.


"Lazy" (6º disco, "Machine Head", 1972)

Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page