• by Brunelson

CBGB: relembrando a última noite de show na despedida do clube em 2006


Quando Hilly Kristal, o lendário proprietário da meca do punk rock em New York, o clube CBGB, foi finalmente forçado a ceder às demandas financeiras de uma pequena casa de shows numa metrópole e fechar o icônico local, havia uma mulher determinada a garantir a despedida que o pico merecia - a poetisa e cantora punk de New York, Patti Smith.

Fechando oficialmente as suas portas em 15 de outubro de 2006, o icônico robusto clube de shows em New York era anteriormente um bar de motoqueiros, mas foi transformado por Kristal para se tornar um dos locais mais importantes do país durante o final dos anos 70 e 80.

As letras CBGB representam: Country, BlueGrass e Blues, que mostravam a visão original de Kristal. Apesar dessa visão um tanto saudável, o CBGB logo se tornou num famoso local de punk rock e bandas new wave, como RAMONES, TELEVISION, Patti Smith, BLONDIE, TALKING HEADS, THE HEARTBREAKERS e muitas outras, fornecendo uma das únicas plataformas acolhedoras para o punk hardcore durante os anos 70 em diante.

É um legado que viu o local - outrora famoso por sua temível reputação e pisos incrivelmente pegajosos (de cocô de cachorro) - transcender para se tornar uma lenda. Um local com tanta influência na indústria em geral que parecia quase impossível que pudesse ser declarado morto.

Uma figura chave no nascimento de uma cena tão infame foi Patti Smith e sua banda. A poetisa punk é uma das artistas favoritas e mais respeitadas de New York (em grande parte devido ao seu caso de amor com a cidade) e ela mostrou do que é feita cada vez que entrou no palco. Com todas as suas apresentações no CBGB e ao redor do mundo, ela também mostrou porque era a única escolha para estar no palco do CBGB em 2006 para marcar o encerramento do pico.

Em vez de fornecer um conjunto simples do seu próprio trabalho, algo que temos certeza que também teria caído muito bem com o pessoal do CBGB, Smith decidiu oferecer alguns covers comoventes. Ao fazer isso, ela não apenas deu ao público um bom show, mas prestou homenagem àqueles que haviam enfeitado o palco antes dela.

Fazendo o cover da música "Gimme Shelter" do ROLLING STONES com o baixista Flea (RED HOT CHILI PEPPERS) tocando junto com ela, a cantora adicionou o seu próprio ponto de vista único sobre este clássico do rock'n roll.

Depois, Smith deixou o palco para que a sua banda apresentasse um medley dos RAMONES com um entusiasmo elétrico e enérgico (no estilo deles) que teria deixado o quarteto punk orgulhoso, mas depois, ela retornou ao palco e ofereceu uma interpretação tocante da canção "Pale Blue Eyes" de Lou Reed (VELVET UNDERGROUND). É um conjunto verdadeiramente cativante, digno dos momentos finais do clube CBGB.

A série de covers e a performance em geral foi a última despedida de Patti Smith ao lugar, onde muito do que consideramos o punk rock hoje em dia havia encontrado um lar no final dos anos 70.

Da incubadora suja e cheia de fuligem do CBGB de New York e depois para o mundo, este era o local para você que tinha uma banda iniciante para querer gritar o seu nome na esperança de ser ouvido (cada cidade tem um pico assim para nós).


Fica a dica para quem ainda não viu o filme que leva o nome da casa de shows...

Confira alguns covers de Patti Smith na despedia do CBGB em 2006:


"Gimme Shelter"


"Ramones Medley"


"Pale Blue Eyes"


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques