• by Brunelson

Deep Purple: "Ritchie Blackmore é inconstante e segue os seus instintos"


Deep Purple

Em uma entrevista recente para o radialista Eddie Trunk da rádio SiriusXM, o baixista do DEEP PURPLE, Roger Glover, falou sobre a reputação do ex-guitarrista e membro fundador da banda, Ritchie Blackmore, de ser temperamental e egoísta.


Questionado se ele acha que o mau humor de Blackmore e até mesmo a hostilidade absoluta é "uma espécie de encenação para criar todo esse mistério ao seu redor" ou se ele acha que é realmente assim que Blackmore leva as coisas, o baixista respondeu: "Eu acho que ambos. Acho que ele está ligado a essa forma, mas depois ele gosta de colocar as pessoas no limite e as pessoas não sabem muito bem o que ele está querendo fazer. Essa é a personalidade dele, eu acho, mas ele é antes de tudo um músico e você tem que tirar a música do homem. Porque a música por si só é brilhante, ele é um músico incrível, um compositor e um instigador. Ele sempre ficou percorrendo a estrada dele e nós estivemos com ele nessa estrada por um tempo".


Glover continuou: “Quando ele me convidou para entrar no RAINBOW, eu disse: 'Bom, não quero mais mudanças e precisamos manter uma consistência', mas isso não aconteceu na época e era o que eu queria".


"Ele é inconstante e segue os seus instintos", continuou Glover. “Quando eu tinha saído do DEEP PURPLE em 1973, naquele último show ele não disse nada para mim, exceto passar por mim nas escadas e me dizer: 'Não é pessoal, é um negócio'. E isso realmente significou muito, porque eu estava passando por um inferno sendo expulso da maior banda do mundo na época".


"Porque ele foi sincero sobre isso, de que não era pessoal e nós sempre parecemos nos dar bem, sabe?"


"RAINBOW era uma configuração diferente do DEEP PURPLE. Com o DEEP PURPLE era mais ou menos uma unidade democrática, mas no RAINBOW era a banda dele... Blackmore era o governador", acrescentou Glover. "Então, eu entendi isso. Quando tínhamos o DEEP PURPLE novamente com o disco 'Perfect Strangers' em 1984, Blackmore voltou a ser quase tão democrático quanto era nos primeiros dias, mas depois de um tempo não era mais, porque ele se acostumou a ser o cara no comando".


"Seja o que for que ele queira fazer, Ritchie vai fazer de qualquer maneira. Acho que ele está no caminho dele e no caminho de sua própria criação. Eu posso entender isso perfeitamente, porque ele acredita em si mesmo como um artista muito mais do que uma celebridade".


Ritchie Blackmore é co-fundador do DEEP PURPLE e compôs muitos dos seus riffs mais memoráveis, incluindo a clássica canção "Smoke on The Water", mas ele nunca mais tocou com a banda desde a sua saída em 1993.


O guitarrista Steve Morse efetivamente assumiu o lugar de Blackmore em 1994 e desde então, está no DEEP PURPLE há mais tempo do que Ritchie Blackmore.


Blackmore disse anteriormente que o empresário do DEEP PURPLE o tinha impedido de se juntar aos seus ex-companheiros de banda no palco durante a cerimônia de indução no Rock'n Roll Hall of Fame em 2016, e ele usou isso como uma desculpa para não comparecer ao evento.


Apesar de Blackmore não ter comparecido ao Hall of Fame, ele recebeu vários gritos do público presente durante os discursos de posse dos membros do DEEP PURPLE. Além disso, o baterista do METALLICA, Lars Ulrich, que apresentou o DEEP PURPLE na cerimônia, elogiou o "Ritchie 'Fuck' Blackmore" por um dos riffs de guitarra mais memoráveis de todos os tempos na música "Smoke on The Water".


Em 2017, o vocalista do DEEP PURPLE, Ian Gillan, jogou sombra nas recentes apresentações de Ritchie Blackmore no RAINBOW, dizendo que Blackmore "não está tocando rock and roll como costumava fazer".

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques