• by Brunelson

Tom Morello: "fiz a transição de um triturador heavy metal estereotipado, para criar sons mais


Durante uma recente conversa com a revista Rolling Stone, o guitarrista do RAGE AGAINST THE MACHINE, Tom Morello, relembrou - dentre vários assuntos que o site rockinthehead está publicando em partes - os primeiros dias de sua jornada musical, o desenvolvimento do seu estilo característico, a amizade com os membros da banda TOOL, bem como sobre a clássica música de sua banda, "Killing in The Name" (1º disco, "Rage Against The Machine", 1992).


Anteriormente, Morello havia comentado quando estava em sua 1ª banda de garagem chamada ELECTRIC SHEEP, que contava com o futuro guitarrista da banda TOOL, Adam Jones - que tocava baixo nesta banda com Morello (foto).


Questionado sobre Adam Jones, Morello respondeu:


"Adam Jones era um guitarrista muito habilidoso naquela época. Comecei a tocar guitarra depois dele e Jones foi um dos meus primeiros mentores, me ajudando a aprender alguns acordes e outras coisas na guitarra".


Jornalista: Como ele tocava naquela época? Quão longe ele estava para ser o guitarrista que sabemos que ele é?


Tom Morello: Nenhum de nós chegava perto da qualidade dele na guitarra, quero dizer, ele tinha habilidade técnica, mas era também uma espécie de personagem sombrio e misterioso, sabe? Uma espécie de personagem sombrio e misterioso que tinha habilidades musicais.


Morello também foi perguntado sobre o nascimento do seu estilo próprio característico de tocar guitarra, que inclui a criação de sons incomuns no seu instrumento:


"Fiz a transição de um triturador heavy metal estereotipado, para criar sons mais experimentais. Eu criava esses sons malucos e no dia seguinte esquecia como os fazia".


"Comecei a gravá-los em um pequeno toca-fitas e escrevia na fita cassete: 'Usei a guitarra tal com tal configuração de pedal e etc'".


“Então, eu fazia esses 'gráficos de ruído' que eram realmente os blocos de construção da extremidade mais exótica do meu espectro sônico".


"Os melhores momentos de ser músico são aqueles momentos de inspiração inesperada... Pode ser uma 'sorte' do som, dos vetores do tempo, da habilidade e tudo o que se junta mais para criar estes momentos".


"É como se você tivesse uma vara divina levantada e derrubasse algo que nunca tinha ouvido antes de um instrumento, mas então, descobre que há uma certa quantidade de 'embarcações' que precisa criar para obter o desenvolvimento necessário daquele som que você criou".


"Não sei dizer quantas dessas grandes ideias foram perdidas porque eu dormia literalmente sobre elas de tanto praticar e pensava: 'Ah, vai ficar tudo bem, vou pensar nisso amanhã de manhã'. Então, comecei esse rigoroso regimento de anotá-las todas e em seguida, encontrar maneiras de integrá-las nas canções".


Um tempo atrás, Tom Morello havia comentando sobre as suas inspirações para criar os exóticos e únicos sons de sua guitarra. O site rockinthehead tinha publicado essa entrevista e você pode conferir logo abaixo:


* Rage Against The Machine: "procurava emular sons de aspirador de pó, rinoceronte e liquidificador na guitarra"


Confira as matérias que estamos publicando sobre esta recente entrevista de Tom Morello para as revistas Rolling Stone e Premier Guitar:


* Tom Morello: falando sobre mais pedais de distorção para guitarra que ele usa


* Tom Morello: revelando qual foi o seu momento de epifania no rock'n roll


* Rage Against The Machine: guitarrista revela o significado das letras da canção "Killing in The Name"

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead