• by Brunelson

Pisces Iscariot: a resenha pelo próprio Billy Corgan.


Em 1994, a banda SMASHING PUMPKINS estava lançando o disco “Pisces Iscariot”, que é um álbum de lados-b, covers e músicas que haviam ficado de fora dos seus 02 primeiros álbuns de estúdio, respectivamente “Gish” (1991) e “Siamese Dream” (1993).


E dentro do livrinho que acompanha esse disco, consta uma resenha escrita pelo próprio vocalista/guitarrista da banda, Billy Corgan, dissecando este álbum música por música...


Segue esta resenha traduzida na íntegra:



Subtrair..., multiplicar... Uma mensagem vinda de cima e de baixo. O meu beijo de toupeira para os seus preciosos lábios. Não pense... Basta ser a minha doce querida...


02 álbuns de estúdio e acerca de 27 outras músicas mais antigas (compilações de lados-b, covers e trilhas sonoras), este disco é um conjunto de boas coisas. Canções que nunca significaram algo para serem lançadas, sendo que algumas foram escritas com tais grandes esperanças tudo especialmente para o coração. Da Sub-Pop (selo independente de Seattle) para a Wergen (empresa responsável por trilhas sonoras), aqui está tudo. Tristeza e felicidade.



"Soothe", gravada no meu quarto em meu antigo apartamento. Você pode ouvir o metrô das 07:00hs da manhã deslizando pela gravação... Eu costumava ir dormir com os ruídos dos carros indo e voltando pela rua. Esta canção é o assobio que tínhamos perdido... Eu realmente só queria que esta música tivesse sido incluída no álbum por minha própria vontade pessoal, mas um amigo meu me disse na época: "eu não acho que você pode aperfeiçoar esta canção mais ainda...” Então, eu a deixei estar... "Soothe" é uma canção para os meus fãs, crianças da terra e semelhantes. Eu queria colocar essa música no álbum "Siamese Dream", mas eu a descartei. Deveria, poderia, meio que não, mas eu a adoro de qualquer maneira..., me faz chorar.



"Frail and Bedazzled", escrita em 1992 para ser incluída no nosso monólito álbum “Siamese Dream” e que acabamos nunca chegando a investir o tempo adequado para esta "canção de ninar". Nós gravamos esta música em torno de 01 hora somente, sendo que eu desejaria que tivéssemos passado mais tempo para poder trabalhar nela, mas... A letra desta canção é outra mensagem minha contra os arquivos do rock e eu escrevi essas letras no estacionamento da minha garagem, que era o local onde eu morava para viver e para ensaiar. Estava muito frio naquela época, mas com um ambiente calmo e tranquilo... Você consegue ouvir em certos momentos na gravação desta música a guitarra "gemendo” que nem pneus de carro “cantando” no asfalto, soando mais como fantasmas à noite ou algo assim, mas eu escrevi esta mensagem de mim para mim mesmo e para vocês também. Uma palavra perdida em um mar infinito... "Frail and Bedazzled" tem uma grande dívida com uma banda chamada SKUNK, a qual foi à banda que eu “arranquei” uma parte desta canção. A banda SKUNK foi provavelmente a maior banda que eu já conheci e vi em um show que é virtualmente desconhecida, mais ainda desconhecida do que a banda THE FROGS. THE FROGS..., SKUNK. Eu sinto falta do SKUNK. Esta canção é o que é! Potência do rock vezes 100!



"Plume", um groover dos arquivos de James Iha (guitarrista) criada no mesmo quarto que eu citei antes e gravado apenas um par de dias mais tarde no estúdio de Kerry. Outra demo feia que se transformou significativa e que foi lançada. Nós não tínhamos um baixo, então nós pegamos o baixo "emprestado" de Eric que era da cor de um profundo sonho azul. Ele nunca soube disso e nós lamentamos não ter lhe dito isso antes Eric, mas o seu baixo soou muito bem. Eu sei que escrevi algumas dessas letras da música “Plume” à espera do meu pai vindo me pegar em algum aeroporto: "O meu tédio tem ofuscado o sol..." Às vezes você não gasta tanto tempo na composição das letras de uma música em relação ao tempo de como você REALMENTE se sente no momento (sendo que às vezes elas acabam ficando melhores do que o esperado). "Plume" caracteriza a fase de “maestro” da banda por empréstimo de Matt S. Se você subtrair os nossos 02 álbuns de estúdio, há mais 27 canções que pelo menos foram lançadas e que é de onde também veio esta música. Em compensação, há mais 15 a 20 ou 30 músicas escondidas que não foram lançadas porque elas não ficaram muito boas. Eu voltava ao estúdio toda hora para ouvir todas estas canções novamente, porque eu não queria que vocês ficassem entediados com as músicas que iriam entrar neste álbum. Na época, eu havia decidido deixar estas canções se afogarem sozinhas mesmo... Portanto, das músicas escondidas, há umas 25 canções que nós deixamos agora suspensas caso elas sejam escolhidas por algum bom motivo no futuro ou o que quer que seja, mas dessas 25 músicas que foram separadas, descobrimos mais 03 canções escondidas que nós nem lembrávamos mais. Então, veja: conte todos os anos de vida que o SMASHING PUMPKINS já possui até aqui desde a nossa época de banda de garagem, que você irá perceber o quanto de músicas escondidas que meio que estão andando juntas por aí em algum tipo de caminho...



"Whir", outra gravação em 01 hora escassa realizada no estúdio onde estávamos gravando o álbum "Siamese Dream". Parte de uma linhagem doce e triste que eu a desperdicei durante todos os meus anos... Eu devo ter escrito as letras desta canção há zilhões de tempos atrás, mas ela simplesmente acabou por aqui... Às vezes, quando eu a escuto, consigo ouvir quem realmente nós somos como pessoas: frágeis e delicadas. Note o final assustador desta música... Nós queríamos ficar tocando esta parte final da canção por uns 15 minutos ainda...



"Blew Away" foi escrita e produzida pelo próprio homem: bem vindo a James Iha. Fresca, silenciosa e sussurrante. Esta é uma bela canção... A única música que nós já fizemos juntos que eu não fiquei ditando ordens ou pedindo para alterar alguma coisa, sendo que eu fiquei feliz mesmo por não ter tido essa atitude. Não deve ser confundida com a palavra “blue” quando James canta e eu amo esta canção mesmo assim... "Blew Away" tem Kerry tocando a bateria nesta gravação, porque Jimmy estava de férias.



"Pissant" é uma das poucas músicas que nós já gravamos ao vivo no estúdio. Criada durante as sessões de gravação do álbum "Siamese Dream" na calada da noite e cheio de dor adolescente. Eu fiz todas as letras desta canção em apenas 10 minutos: "Eu não consigo deixar de sentir qualquer coisa de errado com cada um de vocês..." Vocês não sabem do que se trata esta música sendo que eu não tenho vontade mesmo em dizer. Kerry e D'arcy (baixista) tentaram me convencer a lançar esta canção no álbum, sendo que eu estava realmente tentado a aceitar..., mas não, eu simplesmente não conseguia vê-la lá dentro entre as árvores mais altas que acabaram entrando nesse disco. Não possui aquela tonalidade ou sentimentos gerados quando se está sozinho no seu quarto criando uma música nova e que seja digna para os pequeninos...



"Hello Kitty Kat", esta música tem uma sonoridade pesada mesmo porque eu realmente tinha a intenção de lançá-la ainda no álbum “Gish”... Mas os fantasmas deste disco me disseram: “não, não e não...” Então, eu a deixei sozinha num canto porque eu realmente havia destruído a mixagem final desta canção. A minha música mais passiva-agressiva de todas... A letra desta canção começa dizendo: “Diga olá antes de você dizer adeus / Eu devo ir antes que você me faça chorar / Ela quer sangrar cada gota dentro de mim / Mas o meu objetivo é agradar também a garotinha que está dentro de mim / Você sabe, eu odeio em dizer / Ah, não, eu sempre fico / Eu não quero ser como os outros, por favor / Quem está arrependido agora? / Se eu te mostrar como / Você vai me deixar para baixo?” Amor para amar e ame o que você adora, monte uma coleção contínua com um pouco disso que eu acabei de falar...



"Obscured" é velha porque foi originalmente gravada para ser lançada no 1º EP do SMASHING PUMPKINS em 1991, chamado “Lull” e que foi realmente considerada a ser lançada como o single deste EP..., mas eles me enganaram! Escrita durante as gravações do álbum "Gish", nós tivemos que logo finaliza-la e deixa-la “sentada” por 02 anos ainda, para que em seguida ela fosse novamente regravada e incluída no single lançado no Reino Unido (a Terra das Trevas) como lado-b da música "Today". Então, estas foram todas as minhas suposições e gravações de fitas amigáveis para que esta música se tornasse no próximo single, mas eu jurei que nunca mais iria regravar uma das nossas próprias músicas novamente, porque na minha opinião isso é uma coisa “aleijada” de se fazer... 1991, mas que ano, hein? Tal linda canção sendo tocada em um domingo de Festival de Música em um parque de Chicago...



"Landslide" é uma canção da Stevie Nicks (vocalista da banda FLEETWOOD MAC). Eu me apaixonei por essa música e me forcei aprendê-la a tocar corretamente, porque eu sou muito ruim em compreender as músicas das outras pessoas... É claro que eu aprendi a tocar esta canção totalmente do jeito errado de ser, mas depois que ela foi gravada por Jim O’Rourke (guitarrista da banda THE FROGS e que depois também fez parte do SONIC YOUTH), ele me mostrou uma maneira mais fácil de toca-la. Esta canção é muito relevante para a minha vida e ainda é neste momento, e é por isso que eu gosto de canta-la... "Landslide" foi gravada na Rádio BBC (Reino Unido) no John Peel Sessions, que não é o meu lugar favorito para gravar alguma coisa. Eles ainda estão no ano de 1971, sabe? Mas Ted (produtor da rádio) foi muito gentil conosco. A gravação dela ficou com um chiado e nós pedimos desculpas por isso..., mas a culpa é da BBC! Lembrando ainda o estupro financeiro que nós sofremos pela BBC para podermos usar as gravações desta canção e de uma outra música gravada nesta mesmo sessão, “A Girl Named Sandoz”, que quase não foi possível colocar essas canções para lançamento..., mas ambas estão aqui neste álbum agora.



"Starla". A minha amiga chamada Aneta ainda fica me dizendo que essa música deveria ter sido incluída, na verdade mesmo, no álbum "Siamese Dream". Mas de novo voltamos para aquela regra sobre regravações... Ela foi registrada na mesma sessão de gravação da música "Plume" e também foi destinada a ser uma demo qualquer, mas nós precisávamos de lados-b para o nosso querido e inútil single lançado no Reino Unido (o Continente das Trevas) da música "I Am One". Então, de alguma forma, as canções "Plume" e "Starla" estão lançadas no seu próprio single..., se isso que eu falei faz algum sentido... Gravado ao longo do tempo, quero dizer, em 02 sessões diferentes, sendo que uma foi para os vocais e solos (realizada naquele meu velho apartamento) e a outra gravação foi para a bateria e etc (realizada no estúdio)... Outra canção com letras escritas no último segundo. Eu escrevi a letra desta música no verso de um envelope, mais especificamente a última parte da canção onde diz: “Sirva-se a si mesmo / Ninguém mais pode fazer por você do jeito que você faz / E ninguém mais fracassa como eu / Nos meus olhos eu queimo vivo / Voo como um pássaro / Sem mais palavras, apenas você e eu / Altos no céu”. Algumas das minhas letras favoritas... Foi melhor mesmo que eu não tenha me importado em ter tocado o solo desta música às 07:00hs da manhã... Ouça o carro da polícia passando na gravação antes do solo da guitarra começar... Eu conheci essa garota na cidade de Dallas quando estávamos em turnê junto com o RED HOT CHILI PEPPERS, que foi daí a ideia que eu tive para o nome desta música. Eu me lembro quando ela disse o nome dela para mim e eu havia pensado na hora: “Uau! Mas que grande título para uma canção”. 02 anos e meio mais tarde, eu me deparei com esta mesma garota em uma festa e eu havia perguntado para ela se já havia escutado esta canção que gravamos usando o nome dela como título? Ela me respondeu, falando: "Starla? Não, não..., o meu nome é Darla! Mas, quer saber? Starla, Darla..., o que isso importa?”. Então, lá vai: nunca confie em uma garota em que o seu nome termina com..., bem..., eu não posso dizer.



“Blue” é a única música, dentre todas representadas aqui neste disco, que estava 100% pronta em quesitos de gravação e que realmente ficou de fora do álbum "Gish". Mas ela foi lançada no EP “Lull”... Viva o “Lull”! Remasterizada pelo nosso homem de confiança, Howie, que ainda escuta as nossas músicas com prazer. No entanto, outra feliz e tristonha canção dos arquivos que já estavam enterrados. Eu pensei em usar uma versão acústica desta canção para o álbum “Pisces Iscariot”, mas parecia uma bobagem ter uma versão diferente de uma canção desconhecida. Talvez eu mostre esta versão algum dia para vocês..., talvez em alguma dessas turnês incessantes... A parte final da letra dessa música fala: “Eu me deito com você nesta manhã aveludada / Fique comigo por um momento”. Um milhão de “sins” e “nãos” se espalharam por 06 longos anos se esta música deveria ter sido lançada no álbum “Gish”. Mas assim como todas as coisas que nós passamos neste mundo, nós sempre acrescentamos algo para as nossas vidas mesmo quando você não tem muita certeza do que é este algo.



"A Girl Named Sandoz" foi gravada também naquela infame e ligeira passagem no John Peel Sessions da Rádio BBC. A banda, naturalmente, mostrou-se muito empolgada em conhecer John Peel, mas não foi isso tudo não... Nós estávamos atrasados já 02 horas devido a algum “mal-entendido-técnico”, sendo que nós ainda fomos muito mal tratados por este técnico de som idiota! Esse cara era a mesma pessoa que costumava ser o baterista da banda MOTT THE “Supple” (aqui, Billy escreve “por engano” a palavra “SUPPLE” em vez de “HOOPLE”), o que, provavelmente, toda esta situação que nós tivemos que passar foi parar na posição top 01 da nossa lista das: piores experiências de todos os tempos da banda. Esta música foi originalmente gravada pela banda THE ANIMALS (do baixista Chas Chandler, que foi quem “descobriu” JIMI HENDRIX), mais ou menos na mesma época em que JIMI HENDRIX estava indo para a Inglaterra para se tornar..., bem..., você me entende. Por muitos anos afora, esta música foi ventilada de vez em quando nos nossos shows através do seu riff sinistro. Ela ainda soa poderosa para os meus calejados ouvidos..., na verdade, eu quero dizer que significava isso naquela época, mas isso foi há muito tempo atrás, então, agora, escute-a e ouça-a bem... Eu só queria que ela soasse tão..., clara e livre. Então, nós incluímos no nosso 2º EP, chamado “Peel Sessions”, a gravação de somente 03 músicas daquelas que foram registradas naquele dia, que foram as canções: “A Girl Named Sandoz”, "Siva" e "Smiley". Só estas 03 músicas porque este dia foi realmente uma situação muito tensa e nervosa para a banda... Mas eu estou feliz que neste dia nós conseguimos tolerar aquele MOTT THE “Nipple” (aqui, Billy troca o nome da banda de novo), mesmo que eu não ache que iria conseguir tolera-lo se fosse nos dias de hoje...



"La Dolly Vita" é tão velha que de alguma forma estranha ela ainda soa meio que atemporal... Eu acho que é porque ela tem toda uma dignidade no seu próprio ser. Nós também tentamos grava-la para que fosse incluída no álbum "Gish", mas o meu coração não estava nela naquela época. Assim, muitos enganos foram cometidos, sendo que a “arma laser” está sempre me apanhando nas minhas suposições... A mulher relatada nas letras dessa música se chama Mary, sempre com o diabo segurando o seu tridente tatuado na parte de trás do seu ombro. Uma parte da letra desta canção diz: "A doce vida / Verdadeira como o céu azul / A doce vida / Fria como um sorvete”. Esta música foi o lado-b do nosso 2º single e que foi gravado pelo produtor Butch Vig (o mesmo que gravou o disco “Nevermind” do NIRVANA). Nós gravamos ela e o single da música "Tristessa" no mesmo dia em algum lugar no passado, o que foi também o 1º dia em que nós estávamos nos encontrando com Butch Vig. Ainda é uma das minhas músicas escondidas favoritas, sendo que ainda traz de volta para mim muitas memórias também. Me desculpem, eu sei que fui um pouco demasiado com coisas particulares minhas neste momento... Cuidado com o que você fala, mas realmente tenha cuidado com o que você não fala.


"Spaced" é meio difícil de explicar, então, eu não vou nem tentar..., mas se você a ouvir atentamente, você pode escutar os 07 segredos dos 07 véus de Apollo. Esta música é parte da coleção de detritos do álbum "Siamese Dream".


Eu só sei que estou muito orgulhoso de todas essas músicas que entraram no álbum “Pisces Iscariot”, porque elas perseveraram durante todo este tempo e espaço entre os álbuns lançados, e mais ainda sobre todas as opiniões subjetivas das pessoas...


Atenciosamente incluídas neste disco.


Obrigado por estarem conosco, obrigado por nos escutarem e obrigado por ficarem com raiva, felizes e tristes tudo ao mesmo tempo. A vida é tudo e nada ao mesmo tempo também (se é que eu tenho permissão para filosofar pela metade) e nós esperamos que estas músicas tenham algum significado para você. Até a próxima placa de aviso...


Ass: Billy Corgan.



ps: Alguém vem até você em um bar e lhe pergunta se você é a pessoa que eles acham que você é? E então você diz se você sabe... Então eu sou e se você não for, então eu não sou... Um agradecimento especial para todas as pessoas pelo seu contínuo apoio e um foda-se àqueles que nunca irão entender.


Amor, paz, empatia, desejos, travessuras e alegria.

Track-list:

1- Soothe (b-side “Disarm” U.K.)

2- Frail and Bedazzled (“Siamese Dream” outtake)

3- Plume (b-side “I am One” U.K.)

4- Whir (“Siamese Dream” outtake)

5- Blew Away (b-side “Disarm” U.K.)

6- Pissant (b-side “Cherub Rock” U.K.)

7- Hello Kitty Kat (b-side “Today” U.K.)

8- Obscured (b-side “Today” U.K.)

9- Landslide (b-side “Disarm” U.K.)

10- Starla (b-side “I Am One” U.K.)

11- Blue (“Lull” EP)

12- A Girl Named Sandoz (“Peel Sessions” EP)

13- La Dolly Vita (b-side “Tristessa”)

14- Spaced (“Siamese Dream” outtake)

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead