• by Brunelson

As vendas físicas de música crescem pelo 9º ano consecutivo


A Entertainment Retailers Association vem registrando um aumento na receita de vendas físicas de álbuns.

Talvez não tenha sido uma ideia tão ruim relançar em vinil o disco do PINK FLOYD, "Dark Side of The Moon" - dentre outros...

Este relatório segue os dados de mercado do BPI com base nas vendas unitárias, que apontam para o aumento das compras de vinil.


Não cabe a nós dizer se o vinil é ou não melhor (embora obviamente seja), mas bandas e artistas como ABBA, Adele e Ed Sheeran, ajudaram a mudar o foco do digital novamente para o físico.

Ao contrário dos feitos projetados de que o bloqueio do covid poderia ter um impacto negativo nas vendas de música, os números de 2021 revelados pela ERA mostram que os mercados de música, vídeo e jogos, geraram outro recorde de vendas num total de 9,72 bilhões de euros, sendo o 9º ano consecutivo de crescimento.

Um dos conselheiros da ERA, Kim Bayley, afirmou: “O retorno das vendas físicas de música ao crescimento por 02 décadas inteiras desde que começaram a declinar, é nada menos que um milagre. É mais uma prova da obstinação e resiliência dos varejistas físicos, liderados pelo mercado independente e que impulsionaram o renascimento do vinil em face de algum ceticismo inicial".

Impulsionada pelas plataformas de streaming do Spotify, YouTube e Amazon, a indústria da música embolsou 1,33 bilhão de euros pelos seus esforços em 2021.

Bayley concluiu em seu comunicado oficial: “Novos lançamentos sem dúvida aumentam o envolvimento dos fãs de música com serviços de streaming e em 2021 a indústria da música entregou vários sucessos de bilheteria para que impulsionassem a venda física de discos".

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques