Queens of The Stone Age: o que esperar da sua nova jornada?

June 26, 2017

 

Foram 04 longos anos desde que o QUEENS OF THE STONE AGE lançou o maravilhosamente melancólico “Like Clockwork”, o 6º disco da banda. O álbum, que estreou como nº 1 no ranking da Billboard e em vários outros países, fez o grupo ainda ser nomeado a 03 indicações ao Grammy. Não foi apenas um álbum histórico para a banda, mas para a música rock em geral. Nos anos que se seguiram, a música rock tomou bastantes golpes no estômago. Da passagem prematura das lendas Scott Weiland e Chris Cornell, para a falta geral de bandas novas e emocionantes, o rock precisa de um salvador agora.

 

Um rock alternativo de tipos que podem explodir e não apenas restaurar a ordem, mas permitir que o gênero volte à sua antiga glória. Atualmente, o gênero da música alternativa está sangrando... Não está prosperando e isso é doloroso de salientar. Precisamos de uma banda para assumir o controle e liderar o caminho. Uma força intransigente de boas intenções e melhor música para os nossos ouvidos. Precisamos de uma saga. Mas qual é a saga? Com a notícia recente do 1º single lançado, “The Way You Used to Do”, para o tão esperado novo álbum de estúdio, “Villains”, aqui irão os porquês do QUEENS OF THE STONE AGE ser exatamente o que a música rock precisa no momento.

 

O que aconteceu com este nosso amado gênero da música? Após o final dos anos 90, os dias iniciais de guitarras desanimadas e os “prazeres” de bandas querendo ser rapcore, a música alternativa mudou do parâmetro de "quem é quem" das lendas vivas para um show antiquado de nostalgia. Não há novas bandas neste gênero... Bem, existem, mas elas não são os anti-heróis inspiradores do apogeu de Seattle.

 

Bandas como CAGE THE ELEPHANT, BLACK KEYS e ARCTIC MONKEYS produziram uma boa música – sendo fã deles ou não. Eles lutaram para adicionar uma nova vida a um gênero estagnado, enquanto bandas como GREEN DAY, WEEZER e FOO FIGHTERS ainda continuam lutando por uma boa causa. Todas essas bandas produziram um material decente em bons anos, mas até que o QUEENS OF THE STONE AGE lançou o álbum “Like Clockwork”, nenhuma deles havia lançado um disco dessa magnitude.

 

Ao longo da última década, vimos reuniões de muitas bandas grandes e antigas do grunge e do rock alternativo: SOUNDGARDEN, STONE TEMPLE PILOTS, SMASHING PUMPKINS, ALICE IN CHAINS... Mas assim que algumas dessas bandas voltaram ao seu antigo domínio, o tapete proverbial foi retirado debaixo de algumas delas. Mesmo com o falecimento de Scott Weiland e a saída de Chester Bennington antes da sua morte, o STONE TEMPLE PILOTS pelo menos prometeu seguir com a sua carreira.

 

No final de 2016, vimos o enorme potencial para que o gênero fosse passado para a próxima geração com a reunião do TEMPLE OF THE DOG – e 01 ano antes, lembremos da reunião do MAD SEASON com Chris Cornell levando os vocais naquele show em Seattle junto com a orquestra da cidade, além do show de reunião do AUDIOSLAVE no começo deste ano. Sendo o 1º super grupo do rock alternativo, críticos, fãs e músicos estavam sob a magia lunar com entusiasmo e empolgação pela reunião do TEMPLE OF THE DOG. Uma reunião verdadeiramente mágica para o momento atual, pois foi uma reunião única na vida depois da trágica morte de Chris Cornell.

 

Nesta fase de luto em que há danos e devastação, a música pode ser a grande curandeira. A música é a linguagem universal e fala a todos, ainda por significar algo completamente diferente para cada pessoa. Atualmente, o QUEENS OF THE STONE AGE poderia ser o fornecedor dessa falta sonora oferecendo um álbum esplêndido.

 

O QUEENS OF THE STONE AGE nunca foi uma banda para seguir as tendências. Em vez disso, o grupo e o seu frontman, Josh Homme, sempre forjaram o seu próprio caminho. Quando o clássico 3º álbum foi lançado em 2002, “Songs For The Deaf”, esse disco catapultou a banda para o mainstream, onde na sequência eles escolheram lançar um álbum sombrio e misterioso, “Lullabies To Paralyze” (2005), em vez de fazer um novo disco só de clones.

 

É essa mentalidade que faz todas as pessoas do bar se levantarem para escutar o próximo álbum da banda que será lançado em 25 de Agosto/2017. Você sabe que não será o mesmo como o seu anterior – mas você não quer que seja o mesmo, certo? Mas o não saber leva a intrigas... Por qual caminho a banda irá percorrer sonicamente e liricamente? Quantas voltas e meia voltas podemos antecipar? Isso é o que falta na música alternativa e por que precisamos do QUEENS OF THE STONE AGE mais do que nunca agora - e por que precisamos agora com este novo disco.

 

Com 06 álbuns de estúdio já lançados, uma coisa é inegável com o QUEENS OF THE STONE AGE: a sua música é divertida. Talvez, não seja divertido no sentido literário da palavra, mas há uma energia, uma sofisticação e um domínio profundo para a produção dos seus discos e músicas – e atitudes. Mas também é divertido literalmente por fazer você se balançar e isso faz você se mover. Basta ver o grupo ao vivo e você sabe o que essa caótica e magnificente banda é capaz de nos proporcionar com um deleite de primeira mão.

 

Precisamos de um “elevador” na música alternativa atual. Algo para se sentir bem. Algo para unir os fãs do gênero para celebrarmos. Este poderia ser não apenas o álbum que queremos, mas o álbum que precisamos.

 

O ano de 2017 tem sido difícil para os fãs da música e certamente 2016 também teve muitos golpes na estrada. Precisamos do QUEENS OF THE STONE AGE para deixar o mundo de boa para nós mais uma vez.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Dave Grohl: falando sobre a droga "Love Boat" de quando era jovem

November 17, 2019

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead