• by Brunelson

Tom Waits: Top 06 canções definitivas de sua carreira


Tom Waits é frequentemente retratado como o anti-herói do folk. O cantor atravessou o gênero com a mesma facilidade com que um arbusto no deserto se move com a força do vento e nunca foi realmente detido por nada além de si mesmo. 

Abaixo, organizamos um curso intensivo sobre o que torna Tom Waits excelente.

As 06 músicas escolhidas não são necessariamente as suas "melhores" ou mais famosas, mas representam um conjunto de canções que definem Tom Waits como artista e com certeza vão deixar você querendo mais. 

Quando Waits entrou em cena, ele o fez com um pacote de ótimas canções debaixo do braço e a cabeça cheia de sonhos. Assim que o seu álbum de estreia, "Closing Time" (1973), chegou nos mercados, foi com pouca fanfarra. As coisas poderiam ter parecido difíceis para Waits, mas como em todos os outros momentos de sua carreira, ele se recusou a ceder.

Em vez disso, ele traçou o seu próprio caminho, sua própria personalidade, seu próprio objetivo e rapidamente se tornou o anti-herói da cena de composição americana.


Waits é o que você obteria se fosse possível extrair de Frank Sinatra o seu lado-b musical. 

“Gosto de melodias bonitas que me dizem coisas terríveis”, disse Waits uma vez, o que é uma citação que resume perfeitamente a sua abordagem criativa. “O mundo é um lugar infernal e a má escrita está destruindo a qualidade do nosso sofrimento”, acrescentou.

A sua voz está cheia de poeira das estradas pelo deserto e o seu discurso tem sido desconcertante o suficiente para inspirar "super vilões"...

Abaixo e em ordem cronológica, confira as 06 canções que definem a carreira de Tom Waits.

Música: "The Heart of Saturday Night"

Álbum: "The Heart of The Night" (2º disco, 1974)

Quando Tom Waits lançou o seu álbum de estreia, "Closing Time", os murmúrios em torno do lançamento não eram exatamente desaprovadores, mas também não eram torrentes de elogios. Na verdade, a maioria das pessoas não percebeu a sua entrada na miríade de cantores e compositores semelhantes da época.

Seria necessário o 2º álbum de Waits, "The Heart of The Night", para ele realmente se estabelecer no cenário. Um desses momentos decisivos veria Waits tocar de forma divertida nos vários estados de embriaguez, que o levaram a uma noite de sábado perfeita na música "The Heart of Saturday Night".


Seria o início de uma bela carreira...


Música: "The Piano Has Been Drinking"

Álbum: "Small Change" (4º disco, 1976)

O título desta canção se refere ao diretor do famoso clube de jazz em Londres, Ronnie Scott’s, no distrito de Soho. Waits completou uma temporada no famoso local no início de junho de 1976, após o qual compôs esta canção.

A música vê Waits assumindo a ideia de letras absurdas e joias sendo cantadas sem um pingo de ironia. De alguma forma - junto com a entrega incomum de Waits - não apenas funcionou, mas marcou o cantor como um artista de pensamento livre.

Outro momento notável do mesmo álbum é a canção "Tom Traubert’s Blues", mas se você está procurando um momento icônico nesta passagem específica da carreira de Waits, então, a música "The Piano Has Been Drinking" só pode ser a sua música característica.


Música: "Heartattack and Vine"

Álbum: "Heartattack and Vine" (7º disco, 1980)

As canções que mostramos até agora são um pouco dolorosas, mas esta música faixa-título provou ser apenas um pouco menos dolorosa. Aqui, vimos Waits trazer um pouco de blues encharcado de uísque e cigarro para fermentar este processo musical.

Esta canção foi escolhida em 2002 no icônico programa de TV, The Wire, e apresentou Waits a um novo público.

Ela também marcou a luta de Waits contra as montadoras automobilísticas, Audi e Opel, por terem a usado sem autorização de Waits, onde ele disse na época "que a santidade da música não está à venda".


Ele continuou na mesma entrevista: “Não é de se admirar que uma empresa queira pegar uma carona no feitiço que essas músicas lançam e incentivá-lo a comprar refrigerantes, roupas íntimas ou automóveis enquanto você estiver em transe”.


Música: "Johnsburg, Illinois"

Álbum: "Swordfishtrombones" (8º disco, 1983)

Se você perguntar a qualquer fã real de Waits, eles provavelmente apontarão para o seu álbum de 1983, "Swordfishtrombones", como mais do que um momento crucial em sua carreira. O disco significou não apenas uma mudança de estilo e ritmo, mas também de perspectiva pessoal de Tom Waits, já que ele buscou uma vida mais tranquila após a conclusão deste álbum.

Nesse caso, um dos momentos mais comoventes do disco é um tributo à esposa de Waits, Kathleen Brennan. Uma ode à cidade natal de sua esposa também funciona como uma festa nostálgica para os dias antigos.


Waits está em sua forma mais simples e doce, sem letras absurdas ou estrutura fora do ritmo, apenas uma música simples com uma mensagem forte.


Música: "Rain Dogs"

Álbum: "Rain Dogs" (9º disco, 1985)

O álbum "Swordfishtrombones" pode muito bem ter sido Waits conseguindo se libertar de suas algemas auto impostas, mas foi no disco "Rain Dogs" que ele finalmente se sentiu livre. Não mais amarrado a uma imagem degradante de folia do rock and roll, Waits floresceu sob o microscópio.

Embora canções como "Cemetery Polka", "Hang Down Your Head", "Time", "Downtown Train" e "Singapore" sejam todas clássicas, é a faixa-título que abre o lado-b do disco que mais brilha neste álbum. Inspirada no documentário de Martin Bell Streetwise, a música se torna uma destilação do que torna Waits ótimo.

Um som incomum e cativante apoiado por uma voz espessa e tonificada, apenas combinada pelo uso de instrumentos - também conhecido como momentos de felicidade.


Música: "Hoist That Rag"

Álbum: "Real Gone" (16º disco, 2004)

Em 2004, o álbum "Real Gone" deu mais um salto e também angariou um novo público, abraçando algumas batidas do hip-hop como o apoio perfeito para o seu tom idiossincrático.


Usando todas as variações de instrumentos possíveis e musicais cirúrgicos, Tom Waits criou um som tipicamente "waitsiano". A canção "Hoist That Rag" atua como o hino distópico para o novo milênio e rapidamente transformou Waits em uma lenda.

Sem medo de mostrar as suas verdadeiras cores, Waits desafia a lei e se apresenta como a voz do passado, presente e provavelmente, o futuro que nos espera...


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead