• by Brunelson

John Bonham: "sentimento é muito mais importante do que a técnica"


Não havia absolutamente nada "normal" em John Bonham quando ele sentava atrás de uma bateria.

Fora dos palcos, Bonham era certamente uma estrela clichê do rock - se embargando em bebida e causando confusão como todas as lendas do rock'n roll - mas o que destacou o baterista foi que, quando ele subia ao palco, ele entregava um caminhão de som com muito peso, originalidade e ferocidade.

Ele era um baterista poderoso que mantinha as fornalhas do trem chamado LED ZEPPELIN sempre acesas. Bonham também impulsionou a banda ao estrelato e garantiu que eles sempre pudessem seguir em frente.

Da mesma forma, a maneira como John Bonham aprendeu a tocar bateria foi proporcionalmente estranha.

Aprender a tocar bateria durante os anos 50 e 60 não era comum para as crianças e Bonham já havia se destacado quando conheceu o instrumento. Além do mais, quando chegou a hora de ser ensinado, Bonham mais uma vez se reuniu contra as normas da sociedade e escolheu um caminho diferente para si mesmo.

Enquanto para muitos que aprendem um instrumento, para John Bonham ser baterista era uma coisa natural para ele e veio quando tinha apenas 05 anos de idade.


De acordo com o livro biográfico de seu irmão, Mick Bonham, o falecido baterista do LED ZEPPELIN falou sobre como se tornou baterista: “Eu queria ser baterista desde os 05 anos de idade”, disse John Bonham. “Eu costumava tocar numa lata onde guardávamos o sal. Essa lata tinha arames no fundo e também tinha uma lata de café redonda com um arame solto para dar um efeito de caixa. Além disso, sempre havia panelas e frigideiras da minha mãe na cozinha".

John Bonham iria praticar bateria dessa forma por 05 anos: “Quando eu tinha 10 anos de idade, a minha mãe comprou uma caixa de bateria pra mim”, explicou o baterista do LED ZEPPELIN. “O meu pai comprou a minha 1ª bateria completa quando eu tinha 15 anos. Era quase pré-histórica e a maior parte dela estava enferrujada”.

Considerando que na época em que John Bonham pegou o seu 1º kit de bateria - em 1963 com os BEATLES dominando o mundo - este fogo interno começou a ser alimentado no adolescente.

Apesar disso, a realidade de tentar ser um baterista de rock no início dos anos 60 nunca esteve longe do desastre, como Bonham continuou: “Quando eu terminei a escola, entrei no ramo de serviços com o meu pai. Ele tinha um negócio de construção e eu gostava do trabalho, mas tocar bateria era a única coisa em que eu era realmente bom e me mantive em bandas de garagem por 03 ou 04 anos. Se as coisas piorassem, eu sempre poderia voltar ao ramo da construção, sabe?”

Para John Bonham, ser baterista não era apenas uma moda passageira ou mesmo uma vocação. Era o seu modo de vida: “Eu estava tão ansioso para tocar bateria quando terminei a escola que tocaria de graça. Na verdade, eu fiz isso por um longo tempo e os meus pais me apoiaram. Eu tinha jurado a Pat que desistiria de tocar bateria quando nos casássemos, mas todas as noites eu voltava para casa e apenas me sentava na bateria e começaria a tocar. Eu seria uma pessoa infeliz se não tocasse bateria".

Com poucos bateristas de rock à sua frente, os ícones de John Bonham vieram em grande parte da era do jazz. Dentro do jazz estão alguns dos bateristas mais talentosos de todos os tempos, incluindo Art Blakely e Buddy Rich. Esses bateristas eram músicos sérios, do tipo que estudaram, treinaram na arte da música e foram tratados com grande reverência por ela, mas para Bonham, aprender a tocar bateria como eles nunca foi uma questão.


* Led Zeppelin: quais foram os bateristas que influenciaram John Bonham?

“Eu nunca tive aulas”, ele continuou. “Quando comecei a tocar, estava muito interessado no que a música me apresentava".

Bonham falou sobre como a bateria o fazia se sentir: “Eu sempre fui obcecado por baterias. Elas me fascinam mais do que qualquer outro instrumento. Eu toco um pouco de violão, mas sempre foi a bateria em 1º lugar. Pra mim, acho que sentimento é muito mais importante do que a técnica”, proclamou Bonham, oferecendo alguns conselhos sinceros.

O melhor baterista de todos os tempos concluiu audaciosamente: "Se você tocar tecnicamente, você soa como todo mundo, então, o que conta é ser original”.

Com aquele endosso retumbante de buscar a sua própria originalidade reverberando em nossos ouvidos, ainda há sempre tempo para revisitar um mestre no trabalho em busca de inspiração.

Confira a clássica performance do LED ZEPPELIN e solo de bateria de John Bonham na música "Moby Dick":


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques