top of page
  • by Brunelson

Jimi Hendrix: relembrando show desastroso ao se apresentar no Harlem, New York


Embora pensemos na carreira de Jimi Hendrix como cheia de muitos destaques, também houve desvantagens notáveis.

Uma das baixas mais extraordinárias ocorreu apenas 02 semanas após a alta vertiginosa que o testemunhou reinventar o hino nacional americano no Woodstock Fetival em 1969. Depois de atingir o que é ostensivamente o auge de sua curta, mas importante carreira, Hendrix passaria por um ocorrido que ele descreveu ter acontecido com o "meu povo".

O show foi realizado para um público totalmente afro-americano no bairro Harlem, em New York (foto), o lugar que ele chamou de lar antes de ser levado para Londres pelo empresário Chas Chandler em 1966. No entanto, a sua volta para casa não poderia ter sido mais diferente do que ele esperava.


Assim que Hendrix pisou no palco no Harlem, parecia que o show já estava quase no fim. Desde que ele foi descoberto em um clube noturno em New York, levado para Londres e se tornando um dos ícones da época, o seu status na comunidade afro-americana havia diminuído.

Logo após subir ao palco, um membro da multidão jogou uma garrafa em Hendrix e ela quebrou contra uma das caixas de som do palco. Além disso, enxurradas de ovos cobriram o palco, uma prova de como a comunidade local se sentiu decepcionada com Hendrix. Mesmo assim, a sua banda começou a tocar enquanto boa parte da multidão enfurecida se dispersava gradualmente.

“Eles não gostavam dele”, disse Charles R. Cross em sua biografia de Jimi Hendrix, "Room Full of Mirrors": “Ele foi vaiado e as pessoas o importunavam. Na época, Hendrix foi erroneamente considerado como um 'Tio Tom', sendo um apologista dos negros que incentivava a América branca tocando música para brancos".

Isso foi profundamente irônico, pois essa afirmação não poderia estar mais longe da verdade.

O conflito racial frustrou Hendrix profundamente desde que ele entrou no cenário musical em 1967. Ele odiava ter sido reduzido a um estereótipo por muitos fãs brancos, que o viam claramente como um homem negro levando a vida no estilo rock'n roll de ser, em vez do que ele realmente era: um músico e um gênio nisso.

Curiosamente, Jeremy Wells, professor da Indiana University Southeast e autor do livro, "Blackness Scuzed: Jimi Hendrix's Invisible Legacy in Heavy Metal", notou uma disparidade na forma como Hendrix e os seus heróis musicais, como Muddy Waters e B.B. King, eram vistos pelos fãs brancos do heavy metal nos anos que se seguiram após o seu falecimento em 1970.


Isso apenas indica a tendência mais ampla quando se trata de ver o lugar de Jimi Hendrix na história racial e musical.

“Ninguém diria que a raça não importava para Muddy Waters”, explicou Wells em seu livro. “Mas há toda uma indústria dedicada a dizer que isso não importava para Jimi Hendrix”.

A opinião de Wells está correta. Hendrix se importava com a questão racial e seria uma farsa absoluta pra ele o fato de pessoas de ambos os lados do argumento racial tentarem negar a importância de sua etnia. É discutível que, como muitos comentários brancos queriam que ele fosse racial, isso se infiltrou na narrativa daqueles que ficaram tão furiosos com a apresentação de Hendrix no Harlem, quando na verdade, tudo o que ele queria fazer era retribuir àqueles que conhecia e amava como “meu povo".

De muitas maneiras, Hendrix foi um dano colateral quando se tratava de relações raciais. Ele não apenas sentiu a reação dos elementos da sociedade afro-americana, como o show no Harlem e a recusa da estação de rádio negra em tocar a sua música, mas também experimentou racismo significativo ao longo de sua vida.

Seja na época em que ele estava começando como músico nos bares e clubes dos EUA e depois indo para a Inglaterra para se tornar uma estrela, Hendrix ainda era um homem negro antes de qualquer coisa e isso não poderia ter sido mais comovente durante a época em que o movimento dos direitos civis foi em seu pico.

Jimi Hendrix foi um ícone por tudo o que ele era e os seus pensamentos sobre os conflitos raciais permanecem tão pertinentes quanto eram naquela época.

Felizmente hoje, o lugar de Hendrix na história afro-americana foi revisitado e nesse discurso ele é visto com o respeito que sempre mereceu. E com certeza, devem ter algumas pessoas que foram a este show no Harlem para vaia-lo e que estão vivas, e provavelmente elas se arrependeram de suas ações, já que Jimi Hendrix não ficou muito tempo no planeta Terra.



Comments


Mais Recentes
Destaques
bottom of page