• by Brunelson

Jeff Ament: "faz uns 25 anos que não escuto o disco 'Ten'", disse o baixista do Pearl Jam


O baixista do PEARL JAM, Jeff Ament, está saindo de uma pandemia sabática da banda, a qual ele passou gravando um disco solo e pintando os seus quadros artísticos, para retornar aos palcos com o grupo em 02 festivais americanos em setembro de 2021 - sendo que o primeiro será hoje a noite, sábado (18/09/2021).


* Pearl Jam: confirmado 1º show de retorno em 03 anos


* Pearl Jam: confirmado no Ohana Festival para setembro de 2021

“Ambas as experiências foram incríveis, mas também um pouco assustadoras”, disse Ament sobre o período pandêmico em uma nova entrevista para o site The Associated Press.

PEARL JAM se apresentará hoje a noite no SeaHearNow Festival, em Asbury Park, New Jersey. Este festival é organizado pelo amigo/diretor/fotógrafo, Danny Clinch. Amanhã, domingo, SMASHING PUMPKINS irá encerrar o festival.

Desde 04 de setembro de 2018 sem fazer um show, este foi o maior período que o PEARL JAM passou em sua carreira sem subir aos palcos.

Jeff Ament comentou que a banda vem se reunindo cerca de 02 semanas atrás para começar os ensaios para os shows.

“Indo para o ensaio, essa parte também foi um pouco assustadora”, disse Ament. “Será que eu iria me lembrar de todas estas canções antigas que foram uma espécie de memória muscular por 30 anos? Felizmente, muitas delas ainda estavam lá”.

Ament, o vocalista Eddie Vedder e os guitarristas Stone Gossard e Mike McCready, estão iniciando a sua 4ª década juntos e têm muito para explorar em um catálogo que vai desde o álbum de estreia de 1991, "Ten", até o seu 11º álbum de estúdio lançado em março de 2020, "Gigaton", que ainda não foi divulgado em turnês.

“Os últimos setlists que ensaiamos estavam bem pesados com muitas músicas do novo álbum”, disse Ament. “Espero que continuemos assim”.

Confira alguns trechos dessa entrevista de Jeff Ament:

Jornalista: Como criar música muda para você quando é um projeto solo versus a dinâmica da sua banda?

Jeff Ament: É a grama que é mais verde... Se você tem feito isso muito com a banda, você meio que mal pode esperar para começar a fazer por conta própria e tomar todas as decisões. Em qualquer uma de nossas mentes, nós meio que pensamos que as nossas ideias são as ideias certas, mas depois de querer voltar aos ensaios em 01 ano e 03 meses sem termos tocado juntos, primeiro nós nos reunimos e só nos vimos e conversamos, antes de realmente voltarmos aos ensaios e foi muito bom ter todo mundo fazendo as suas próprias coisas, sabe? Quando você volta com a banda, é quando se lembra: “Meu Deus, o nosso baterista Matt Cameron é um monstro”. Me sinto na melhor banda do mundo para plantar uma ideia ou tocar junto e estou meio que pronto para a colaboração novamente.

Jornalista: O que você pensa quando reflete sobre os 30 anos do disco “Ten” e o que isso significa para a banda e os fãs?

Ament: Provavelmente não ouço esse disco há 25 anos, a menos que haja uma música que não tocamos muito e estejamos tentando voltar a toca-la nos shows. Uma música como “Deep” ou algo assim, mas foi legal de grava-lo. Eu ouvi a mixagem original de Tim Palmer e realmente gostei do que Tim fez nesse álbum. Eu acho que por muito tempo, eu queria que fôssemos uma banda de rock mais direta, sabe? Senti que todos nós queríamos um som mais direto e seco, e isso me lembrou o motivo pelo qual decidimos trabalhar com ele em primeiro lugar.

Jornalista: Você estudou numa escola de arte e completou mais de 180 quadros para o seu novo álbum solo, "I Should Be Outside". Onde você encontrou inspiração?

Ament: É basicamente o que eu fiz durante a pandemia. Eu realmente lutei em colocar a arte lá fora, principalmente porque sinto que estou apenas a meio caminho de um lugar onde sinto que é bom o suficiente para estar lá. Eu sinto que há muito desenvolvimento que precisa acontecer para que eu me sinta totalmente confortável em tê-lo disponível, mas enquanto eu tentava montar a arte para essas músicas, parecia errado toda vez que tentava fazer outra coisa. Parecia que estava desconectado dela e essa arte estava tão ligada à minha experiência diária ao longo do ano que eu senti que tinha que colocar tudo isso ali.

Jornalista: Eddie Vedder também está lançando um álbum solo e Stone e Mike têm outros projetos. Já houve um momento em que o trabalho solo foi um problema para a banda?

Ament: Acho que no início éramos mais sensíveis a essas coisas. Quando o pessoal começou a fazer as coisas por conta própria nos primeiros anos, parecia que você estava sendo traído, mas todo mundo tem apoiado bastante uns aos outros a esse respeito. Acho que nos faz apreciar muito um ao outro e você está respeitando o trabalho do seu amigo. Se você está gravando uma parte de bateria ou cantando, cantando em particular tipo o domínio que Eddie tem, o poeta que ele se tornou e quão bom e rápido ele é, você realmente começa a entender o quão especial ele é.


"Deep"


  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques