Pixies: quando a banda retornou de seu hiato em 2004 com show memorável no Coachella Festival

September 16, 2020

 

É justo dizer que, quando o PIXIES se separou, parecia que não haveria caminho de volta... 

 

O frontman do grupo, Frank Black, não apenas anunciou a sua saída para os seus companheiros de banda por meio de uma mensagem por fax em 1993, mas a baixista, Kim Deal, não se dava bem com Black, eles não estavam se falando e isso não mudaria por mais 01 década.

 

As carreiras solo de cada membro lutaram para atingir as alturas, sem ter o mesmo impacto que o PIXIES desfrutou. 

 

Embora as bandas paralelas, THE CATHOLICS e THE BREEDERS, desfrutassem de um sucesso moderado, as recompensas não poderiam ser colocadas na mesma escala. Financeiramente, eles não estavam indo mal, mas os números que surgiram para uma turnê de reunião do PIXIES tornaram-se incomparáveis ​​com os números que os membros da banda estavam fazendo em seus empreendimentos paralelos.

 

“Ninguém foi roubado”, disse Frank Black sobre a reunião do grupo para a biografia da banda, "Fool The World: A História Oral de uma banda chamada PIXIES". 

 

Ele continuou: “Todos ganhamos muito dinheiro... Eu sei que todo mundo ganhou muito dinheiro porque estou a par de quanto foram os cheques. Todo mundo agiu bem, para uma pequena banda de rock independente, nós nos saímos muito bem”.

 

Como muitas bandas, a sua lenda cresceu consideravelmente durante a separação, graças a uma série de fatores que deram ao PIXIES uma relevância renovada. Como por exemplo, na clássica música "Where is My Mind" (trilha sonora do filme "Clube da Luta"), que trouxe um novo público mais jovem para a banda e que começou a mergulhar fundo em seu repertório.

 

Era um novo grupo de fãs começando a se apaixonar pela produção do PIXIES.

 

Depois que o seu status se tornou lendário durante o hiato de 01 década, a banda começou a receber ofertas lucrativas para se reunir. Em 2003, após uma série de telefonemas entre os membros da banda, PIXIES começou a participar de ensaios para ver se era possível deixar os seus problemas pessoais para trás. 

 

Em fevereiro de 2004, uma turnê completa foi anunciada com ingressos para quase todas as datas iniciais se esgotando em minutos. Notavelmente, a sua corrida de quatro noites no Brixton Academy em Londres foi a mais vendida na história do local, então com 20 anos de fundação.

 

Mas seria no Coachella Festival, EUA, a sua primeira aparição importante no palco desde 1992 e após uma série de apresentações discretas de aquecimento, quando o festival californiano chegou eles estavam ansiosos para compensar o tempo perdido.

 

“Eu me lembro que foi surreal, porque ir lá e ver antes de tudo aquela massa de pessoas que era tão expansiva e a maioria pelo menos me pareciam crianças que nem eram nascidas quando os nossos discos foram lançados e cantavam junto em cada palavra”, lembra o baterista, David Lovering, em uma entrevista para a Radio.com: “Com uma mistura de pessoas mais velhas da minha idade que estavam misturadas lá no meio, então, a justaposição de todos eles cantando foi incrível”.

 

A banda, que tocou um incrível setlist de 21 canções, retrocedeu anos nas músicas escolhidas, tanto para a sua base de fãs de culto leal, quanto para o seu público recém-recrutado para gerar um efeito marcante em suas vidas. 

 

Confira a performance do PIXIES no Coachella Festival em 2004, com a música "Caribou":

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Jimmy Chamberlin: baterista do Smashing Pumpkins revela bastidores de gravação e relacionamento musical com Billy Corgan

September 28, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead