The Who: "quebrar guitarras é um pouco de psicoterapia"

August 31, 2020

 

O guitarrista e compositor do THE WHO, Pete Townshend, é indiscutivelmente um dos maiores que o mundo do rock'n roll já produziu, mas não foi apenas a sua habilidade criativa que construiu a sua imensa reputação.

 

As suas travessuras no palco eram notoriamente selvagens, uma habilidade que surpreendeu o público em todo o mundo e que ficava pasmo com o comportamento feroz de Townshend - que muitas vezes o via quebrar uma guitarra em pedacinhos. 

 

Mas quando ele começou a fazer as suas "explosões" no final dos shows?

 

THE WHO rasgou o livro de regras na década de 60 e apresentou um show de rock de verdade que era diferente de tudo em 1965. Entrando em cena com autoridade implacável, a banda lançou a incrível música "I Can't Explain", que impulsionou o seu status para a fama internacional. No entanto, apesar do sucesso de estúdio, foram os shows da banda em que eles realmente se destacaram.

 

Townshend foi feito de um tecido diferente dos BEATLES. Ele não era uma figura encantadora, educada ou familiar. A sua presença no palco foi agressiva desde a primeira nota que ele tocou até que ele literalmente bateu a sua guitarra no chão no final de um show, um momento de arte performática se apresentando na frente do público todas as noites.

 

O deus da guitarra na verdade destruiu o seu primeiro instrumento de seis cordas antes de alcançar qualquer notoriedade, como ele uma vez revelou numa entrevista anterior para a revista Playboy: “Eu tinha 13 anos de idade. John Entwistle (baixista) e eu estávamos ensaiando juntos na sala da frente na minha casa. A minha avó entrou gritando: 'Abaixe essa maldita raquete!' E eu disse para ela: 'Farei melhor do que isso' e peguei o meu violão - era um violão bom que paguei com um dinheiro que havia ganho entregando jornal - e o quebrei em pedacinhos. Eu disse para ela: ‘Agora você vai sair da minha vida?’ E ela saiu pisando forte no chão".

 

Ele então continuou: “Eu olhei para John e disse: ‘E agora?’ E ele me respondeu: ‘Outra entrega de jornal, eu acho...’" 

 

"Depois que fiz a 1ª vez, a ideia sempre estava lá como uma possibilidade, sabe? Se alguma vez eu quisesse lidar com qualquer tipo de raiva oculta, eu sempre poderia descontar na guitarra. Eu sempre poderia desencadear o mesmo sentimento ou um pouco de psicoterapia”.

 

O jornalista então tentou entrar na mente de Townshend, para descobrir se ele faz isso como uma forma de expressar a sua raiva ou é apenas um teatro, para o qual o ícone do THE WHO declarou: “Bom, você tem que lembrar que não estou com raiva o tempo todo. Mesmo agora, ocasionalmente fico frustrado no palco com guitarras e quero esmagá-las. Costumo não fazer isso, mas a oportunidade está sempre lá. Eu quebrei uma guitarra numa turnê solo em 1993 e foi muito divertido”.

 

Como Townshend alude, ele só quebra uma guitarra quando está com vontade de fazê-lo, tornando-o um momento especial e quase simbólico. O jornalista, refletindo sobre a questão da culpa em relação a quebrar um instrumento tão caro, viu Townshend revelar os seus planos de leiloar as guitarras desmoronadas para causas de caridade.

 

Ele finalizou, dizendo como se sente quebrando guitarras depois da fase de ouro do THE WHO: "Atualmente, também é constrangedor, é o que é... É como se os comediantes fossem forçados a usar a sua frase de efeito depois de se tornarem atores sérios”.

 

Veja abaixo Townshend fazer o seu truque icônico em ação, ao qual ele se referiu em 1993:

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Metallica: baterista revela a canção da banda que ele nunca mais quer ouvir novamente

September 29, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead