• by Brunelson

Alice in Chains: "jogavam coisas em nós no palco quando apresentamos músicas acústicas do EP &#


Alice in Chains

Jerry Cantrell, guitarrista, compositor e membro fundador do ALICE IN CHAINS, foi recentemente entrevistado pelo programa Gibson Icons e lembrou de quando a gravadora da banda achava que o single de lançamento do grupo, a canção "Man in The Box", soava de forma errada.


Ele também falou da reação dos fãs quando eles lançaram o EP "Sap" (2º trabalho de estúdio, 1992), onde apresentaram músicas acústicas.


Recordando sobre a época de lançamento do álbum de estréia em 1990, "Facelift", Cantrell iniciou:


"Nós nunca fomos uma banda que precisava de alguém para nos dizer como compor uma música, sabe? Mas é bom ter orientação e alguém no volante para aliviar a pressão dos membros da banda enquanto você está gravando um disco, assim como um mediador neutro quando acontecer algum tipo de desacordo".


"Então, esse disco foi o nosso primeiro lançamento e o impacto que a canção 'Man in The Box' teve na rádio e na MTV, também foi uma das músicas que ajudou os nossos irmãos de Seattle a abrirem a porta, onde arrancamos as malditas dobradiças para derrubar toda a parede, sabe? Era como uma parede caindo atrás da outra..."


"Você podia sentir a energia de algo girando no ar, sabe? Mas você não sabia o que era e eu não sabia que seria um grande impacto no futuro. Nós só sabíamos que essa era a música a ser lançada como single do disco, dentre tantas outras que nós tínhamos lançado no álbum 'Facelift'".


"Havia algumas canções com ênfase para escolhermos, mas a música 'Man in The Box' era a que queríamos abordar. Me lembro de ter uma grande discussão com a gravadora, que não queria esta música para ser lançada como single. Eles falavam: 'Você sabe, a música é muito lenta. Você precisa acelera-la. Essa não é uma canção para ser lançada como single'".


"Eu só falei para eles: 'Cara, confiem em mim, a música é do caralho e iremos lança-la mesmo assim".


"O álbum 'Facelift' foi uma grande coisa para nós e logo depois de lançado, já tínhamos começado a pensar em novas canções ou pelo menos algumas músicas que seriam lançadas no álbum 'Dirt' (3º trabalho de estúdio, 1992)".


"Mas também tínhamos um monte de outras coisas meio acústicas, sabe? Foi quando o diretor de cinema, Cameron Crowe, nos convidou para a trilha sonora do filme 'Singles - Vida de Solteiro' e eu lembro dele me pedindo para compor uma música para o filme - foi quando a canção 'Would' foi criada e também seria lançada posteriormente no álbum 'Dirt'".


"Eu escrevi a música 'Would' para o falecido vocalista do MOTHER LOVE BONE, Andy Wood, que havia falecido no ano anterior, em 1990".


"Gravamos algumas demos numa mesa de 04 canais e entregamos para Cameron Crowe escuta-las e escolher as músicas para ele usar no filme".


"Nesta fita demo, tínhamos gravado também todas as canções acústicas que entrariam no EP 'Sap' e algumas coisas que se desenvolveram para serem lançadas no disco 'Dirt'".


"Foram composições diferentes, com umas 05 ou 06 músicas que basicamente acabamos decidindo lançar algumas no EP 'Sap'. Lembro que tivemos uma reunião no escritório com os nossos empresários sobre querer lançar este EP, quando o nosso baterista, Sean Kinney, entrou na sala e começou a falar todo empolgado: 'Cara, eu tive um sonho, onde lançamos essas músicas num EP acústico e demos o nome dele de 'Sap'".


"Aquilo foi matador para nós na hora, sabe? Falamos: 'Ok, isso parece uma boa ideia'. Ligamos para a nossa gravadora e eles também gostaram e resolvemos lançar o EP 'Sap'".


"Nós pensamos que seria uma coisa legal, tipo, não iríamos fazer nenhuma divulgação, seria como se fosse um ovo da Páscoa que você teria que encontrar, sabe? Apenas foram feitas as prensagens, o empacotamos, a gravadora mandou cópias para as lojas de discos e deixamos que os fãs o encontrasse, tipo: 'Que porra é essa?'"


"Não foi realmente um sucesso imediato, mas foi uma coisa legal de se fazer e eu lembro da primeira vez que tentamos tocar algumas dessas músicas acústicas nos shows, acho que foi num evento beneficente e tocamos apenas 03 ou 04 músicas no total da performance - que era um tempo curto que cada banda tinha para se apresentar".


"Lembro que as pessoas começaram a jogar um monte de porcaria em nós, como gelo, copos e outras coisas. A reação do público era sem entender nada, tipo, coçando a cabeça e pensando: 'Porra, todos da banda estão sentados tocando música acústica e queremos aquela banda de rock pesada que conhecemos'".


"Mas quer saber? Isto o que aconteceu com a banda foi muito legal. Abriu outro campo para tocarmos quando ainda estávamos num estágio muito inicial de nossa carreira. É por isso que lançamos o EP 'Jar of Flies' em 1994 (4º trabalho de estúdio), onde conseguimos incorporar mais elementos acústicos".


"O EP 'Sap' nos abriu para sermos realmente versáteis e para as pessoas ficarem bem conosco sendo versáteis".


"Logo depois, lançamos o álbum 'Dirt' e retornamos com uma gravação intensa e pesada, mas mesmo assim lançamos a canção 'Down in a Hole' neste disco também, certo?"


"Naqueles primeiros anos, estávamos criando um material bastante retorcido, mas também um material muito bonito, tipo, era uma boa mistura das duas coisas e eu acho que é esse o tipo de equação que forma o ALICE IN CHAINS. É uma mistura das coisas mais difíceis, pesadas e mais feias, com um som bonito do caralho".


Confira o áudio de estúdio da canção "Am I Inside", lançada no EP "Sap":

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques