Jimi Hendrix: nomeando os seus 09 guitarristas preferidos

July 19, 2020

 

Jimi Hendrix é o melhor guitarrista de todos os tempos e com o seu talento genial, elevou o instrumento a alturas inebriantes que nunca foram alcançadas por ninguém antes dele. 

 

Fazendo 50 anos desde sua morte prematura, permanecem pontos de interrogação se alguém já superou Hendrix em nível (inovação) técnico.

 

Alguns dos guitarristas considerados ídolos de Hendrix são músicos que não receberam quase tantos elogios quanto ele e para retificar essa questão, aqui vamos ver algumas das razões pelas quais Jimi Hendrix amava tanto esses 09 guitarristas preferidos.

 

Confira a lista logo abaixo e sem nenhuma ordem qualitativa:

 

Rory Gallagher

 

O guitarrista irlandês Rory Gallagher foi um músico de grande sucesso que gravou 14 álbuns de estúdio que, até o momento, venderam mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo. A sua estimada carreira solo começou depois que ele deixou a banda TASTE em 1970, que havia fundado quatro anos antes. Gallagher, que é visto como um artista importante no movimento blues, faleceu tragicamente em 1994, aos 47 anos, após um transplante de fígado que não deu certo.

 

Hendrix falou sobre a sua apreciação pelos talentos de Gallagher quando apareceu no popular programa de TV, The Mike Douglas Show. Quando o apresentador perguntou a Hendrix: "Como é ser o melhor guitarrista de rock do mundo?" Hendrix respondeu lindamente: "Não sei, você precisará perguntar a Rory Gallagher".

 

Otis Rush

 

Otis Rush é um músico que, infelizmente, está longe de ser um nome familiar. No entanto, o guitarrista foi uma figura que desempenhou um papel influente na formação do DNA musical de Jimi Hendrix e ele também foi citado como uma influência sobre artistas como Eric Clapton, Jimmy Page e Buddy Guy.

 

Rush ajudou a criar um som modernizado do blues de raiz de Chicago - fundido em R&B - que mais tarde seria rotulado como o "Som do Lado Oeste" e por fim, mudar o som do violão/guitarra para sempre. Como Hendrix, Rush era um guitarrista canhoto. Apesar de não ter obtido sucesso comercial, Rush permanece como um dos grandes pioneiros do instrumento e é visto como um ícone que ajudou a moldar a imagem musical de Chicago.

 

Steve Cropper

 

Cropper, também conhecido como "O Coronel", foi guitarrista do BOOKER T. & MG's que, notavelmente, ainda está ativo até hoje - mesmo tendo sido formado em 1962. Os dois estilos de Cropper e Hendrix são incomparáveis com o Coronel optando por um estilo minimalista - que talvez seja a última palavra que você usaria para descrever o estilo bombástico de Hendrix.

 

O baixista final da banda de Hendrix, Billy Cox, revelou numa entrevista em 2014 como Cropper influenciou o som inicial de Jimi Hendrix: “Jimi estava na sua infância naquele momento, enquanto Steve e a sua banda, BOOKER T. & MG's, estavam produzindo muitas músicas de R&B naquela época, sendo que 'copiamos' isso antes de entrarmos em nossa própria personalidade”.

 

Quando Cropper esteve na cidade de Memphis durante uma turnê com Sam Cooke no início dos anos 60, Hendrix o procurou e os dois passaram o dia se unindo ao amor mútuo pelo seus queridos instrumentos. Hendrix disse uma vez: “Steve Cropper me incentivou há milhões de anos atrás e ele me disse que eu também o incentivei... Ele me transformou em muitas novas coisas".

 

Eric Clapton

 

Quando Hendrix se mudou para Londres, ele causou um impacto instantâneo e conseguiu provar ao seu ídolo, Eric Clapton, poucos dias após a sua chegada, que havia um novo rei da guitarra na cidade. A banda de Clapton, CREAM, ouviu coisas impressionantes sobre a última importação chegada em Londres (Hendrix) e o convidou (a pedido de Hendrix) para subir ao palco para tocar com eles - uma atitude que viu Jimi Hendrix "envergonhar" toda a banda.

 

Hendrix, animado pelo convite, subiu ao palco e pegou uma guitarra para fazer o cover da canção "Killing Floor" de Howlin' Wolf. Eric Clapton havia dito uma vez em entrevista para a revista Planet Rock: “Subimos ao palco e o baixista do THE ANIMALS e empresário de Hendrix, Chas Chandler, havia nos dito: 'Eu tenho um amigo que gostaria de tocar com você'”.

 

Clapton acrescentou: “Foi engraçado, porque naqueles dias qualquer um poderia se relacionar com alguém se você fosse convincente o suficiente para poder tocar junto, sabe? Ele se levantou, subiu ao palco e explodiu a mente de todos. Eu apenas pensei: 'Cara, tem alguém que também toca as coisas que eu amo tocar aqui no palco comigo'. Na verdade, tive o privilégio de estar no palco com ele, certo? Foi um momento na minha vida que nunca ninguém irá superar para mim. Aquela noite foi histórica em minha mente, mas apenas algumas pessoas que ainda estão vivas irão se lembrar deste momento..."

 

O famoso jornalista de rock do jornal britânico The Guardian, Keith Altham, foi uma dessas pessoas que estava neste show e presenciou o encontro entre Clapton e Hendrix, onde ele escreveu em seu livro: “Me lembro de Chas Chandler indo aos bastidores depois que Clapton saiu no meio da música que Hendrix estava tocando. Clapton estava furiosamente fumando um cigarro e dizendo para Chas: 'Você nunca me disse que ele era tão bom assim'”. Altham também escreveu que Hendrix queria somente provar ao seu ídolo que também era capaz na guitarra, onde em nenhum momento Hendrix quis parecer pretensioso ou arrogante.

 

Albert Collins

 

Albert Collins, também conhecido como "O Homem Gelo", foi uma figura pioneira que moldou a cena do blues texano nos anos 50 e 60, sendo que a sua influência iria muito além do sul dos EUA - mesmo que o seu nome talvez não impactasse tanto.

 

Em 1968, Jimi Hendrix declarou o seu amor pelo subestimado valor da cena blues da cidade de Houston: "Há um 'gato malandro' que ainda estou tentando divulgar ao meu público... Ele se chama Albert Collins".

 

Ele acrescentou nesta mesma entrevista: "Ele é realmente bom, um dos melhores guitarristas do mundo".

 

Elmore James

 

Infelizmente, Elmore James morreu aos 45 anos em 1961, antes de ver toda a escala da influência que as suas habilidades teriam ao longo dos anos 60 e além. Muitos tentaram reproduzir o som da guitarra que ele não apenas aperfeiçoou, mas foi pioneiro.

 

No início de sua carreira, Hendrix se denominava "Maurice James" e posteriormente, mudou para "Jimmy James" - antes de virar Jimi Hendrix. Algo que chegou como uma homenagem a Elmore James, segundo pessoas que conviviam com Hendrix.

 

Jimi Hendrix costumava citar Elmore James como uma influência e chegou a gravar vários arranjos diferentes para o cover "Bleeding Heart", que se tornaria uma lenda entre os fãs de Hendrix, já que vários lançamentos piratas foram lançados no final dos anos 60, antes de ser oficialmente lançado postumamente na discografia de Hendrix.

 

BB King

 

BB King é um ícone do blues autêntico que é um dos nomes mais influentes do gênero, sendo que o seu estilo icônico ainda pode ser sentido na música até hoje. Hendrix tocava regularmente o cover "Every Day I Have The Blues" quando era membro de apoio da banda ROCKING KINGS.

 

Durante o período em que Hendrix também tocou na banda de apoio a Little Richard, ele recebeu muitas críticas por tentar copiar o estilo de BB King e depois que se transformou no maior guitarrista do mundo, Hendrix voltou a emular os trejeitos de King, onde talvez seja mais notável em canções como "Hey Joe" e "Voodoo Child".

 

Muddy Waters

 

O lendário Muddy Waters é um dos primeiros artistas que Jimi Hendrix se lembra de ouvir quando criança. Muitos argumentaram que a música de Waters foi o que capturou a imaginação de Hendrix e inadvertidamente o colocou no caminho do estrelato. A lenda do blues desempenhou um papel fundamental na reformulação da cultura pós-guerra e sem ele quem saberia como a cultura musical seria hoje.

 

Hendrix comentou isso numa entrevista para a revista Rolling Stone em 1968: “O primeiro guitarrista que eu conheci foi Muddy Waters. Ouvi um dos seus discos antigos quando menino e aquilo me 'assustava' um monte, porque estava escutando todos aqueles sons de guitarra pela 1ª vez, sabe? Nunca tinha escutado aquilo antes e foi ótimo".

 

Albert King

 

Outro rei pioneiro que ajudou a colocar a cena do blues no mapa, o qual também teve uma enorme influência sobre Jimi Hendrix e é amplamente visto como um dos maiores guitarristas de todos os tempos, com a revista Rolling Stone o nomeando o 13º melhor guitarrista da história.

 

Hendrix também havia dito numa entrevista a respeito sobre os imensos talentos de Albert King: "Eu gosto de Albert King. Ele toca completamente e estritamente de uma maneira única, apenas um blues funk direto ao ponto, sabe? É uma nova maneira de tocar blues na  guitarra, com um som muito jovem, descolado e que é ótimo! Ele também é um dos mais engraçados que já ouvi, pelo fato dele tocar estritamente dessa maneira dele... Essa é a cena dele".

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Pearl Jam: resenha das músicas de PJ20 pelo próprio diretor do documentário - Parte 2 (última)

August 10, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead