Jeff Ament: baixista do Pearl Jam fala sobre o novo álbum da banda, novo EP solo, vida pós-Hall of Fame e mais...

July 9, 2020

 

O baixista, compositor e membro fundador do PEARL JAM, Jeff Ament, foi recentemente entrevistado pela revista Spin e falou sobre o seu novo EP solo lançado em plena pandemia e do último álbum de estúdio do PEARL JAM, "Gigaton" (11º disco, 2020).

 

Neste momento, Ament deveria estar na Europa realizando a turnê promocional do álbum "Gigaton" com o PEARL JAM, se apresentando na frente de dezenas de milhares de fãs - depois de já terem feito a 1ª perna da turnê americana/canadense - mas nenhuma dessas turnês foram realizadas devido a situação atual da saúde mundial.

 

Quando o PEARL JAM adiou a primeira etapa de sua turnê nos EUA em março e mais tarde, a europeia, fãs de todo o mundo ficaram chateados, especialmente quando a banda soube que fãs de 12 países diferentes estavam indo para Toronto, no Canadá, para a noite de abertura da turnê. A equipe de iluminação da banda já estava na cidade e o restante dos roadies estavam programados para chegar no dia seguinte.

 

Forçados a tomarem uma decisão difícil, com apenas 02 dias, eles tiveram que descobrir como eles impactariam a vida e os meios de subsistência de tantas pessoas ao seu redor que a banda emprega. O grupo não teve escolha e cancelaram tudo - especialmente depois que a sobrinha e enfermeira de Ament, compartilhou histórias de horror.

 

"Tudo o que você precisava fazer era conversar com algumas pessoas que eram enfermeiras ou profissionais de saúde para descobrir o quão horrível era", disse Ament, 57 anos, por telefone, em seu esconderijo no estado de Montana, sobre os dias tensos em hospitais. "Não queríamos fazer parte daquilo".

 

Então, o que ele fez além de deixar Seattle para ir ao seu estado natal, Montana? Ele começou a escrever, escrever, escrever e compor. Em poucas semanas, ele tinha músicas suficientes para lançar um novo EP. Cansado de assistir às notícias, Ament diz que escrever provou ser uma maneira melhor de canalizar a sua angústia e ansiedade durante os estágios iniciais da pandemia de coronavírus.

 

Com 05 músicas, o EP solo de Jeff Ament recebeu o nome de "American Death Squad".

 

Quanto ao álbum "Gigaton" do PEARL JAM, como o produtor Josh Evans falou, a banda começou a trabalhar no disco em 2017. Quando o álbum avançou sonoramente pela banda pela primeira vez em anos, o DNA do PEARL JAM permaneceu o mesmo, com o produtor dizendo: "Quando Eddie Vedder canta e Mike McCready começa a tocar guitarra, torna-se uma música do PEARL JAM, não importa o que seja”. 

 

Os dois álbuns anteriores, "Backspacer" (9º disco, 2009) e "Lightning Bolt" (10º disco, 2013), foram produzidos com o colaborador de longa data da banda, Brendan O’Brien, onde Ament admitiu que eles se sentiam confortáveis com "arranjos super apertados e sem espaços desperdiçados", enquanto que para o disco "Gigaton" eles "exploravam mais".

 

O baixista também falou de quando foram eleitos no Rock'n Roll Hall of Fame em 2017: “Bem, atingimos um ritmo realmente muito bom com a eleição da banda ao Hall of Fame em 2017 e tipo, tudo aquilo aconteceu e nós meio que tivemos que começar a pensar direito sobre essas novas coisas, sabe? Nós sabíamos que aquela noite iria acontecer em nosso calendário, mas apenas chegando naquela noite e acontecendo realmente uma coisa assim conosco, cara, aquilo mudou tudo..."

 

"Só sabíamos na hora que não queríamos focar em nada nostálgico, porque fomos eleitos a partir dos 25 anos de lançamento do álbum 'Ten' e naquele período em 2017 já tínhamos começado o processo deste novo álbum, o qual parecia ser tão bom quanto qualquer coisa que fizemos há muito tempo, sabe? Naquela noite da cerimônia tocamos algumas coisas legais, você sabe, uma delas foi a música 'Alive' com o nosso baterista original e que gravou no disco 'Ten', Dave Krusen... Este ato foi fantástico, mas foi um ato bastante nostálgico". 

 

"Para mim, a parte mais empolgante de qualquer novo álbum é aquela música que se enquadra um pouco fora de tudo que já fizemos até aquele momento..."

 

Jeff Ament ainda disse que várias inspirações para as suas letras neste álbum do PEARL JAM, foram algumas "coisas da vida" que aconteceram, como "coisas de família e amigos morrendo".

 

Mas tocar a canção "Dance of The Clairvoyants" pela primeira vez ao vivo (apesar de separados) num evento beneficente de fundos à pandemia, ajudou a devolver um senso de normalidade.

 

Ament acrescentou: "Eu não tinha escutado mais nada do nosso ensaio depois que adiamos a turnê... Me lembro que tinha ficado muito chateado, porque eu estava, tipo: 'Porra, cara, os ensaios para a turnê estavam realmente começando a parecer ótimo, mas...' E uma música como 'Dance of The Clairvoyants', tipo, era um projeto de estúdio, sabe? Você podia ouvir realmente ela se transformando no processo criativo, mais em quem somos e como tocamos”.

 

Com o isolamento social, a banda nunca mais entrou numa mesma sala, embora isso não signifique que eles não possam ainda arrasar no som.

 

Ament finalizou: “Quero dizer, não importa o que aconteça, mas espero que possamos gravar outro disco em algum momento, não sei... Mesmo que tenhamos que fazê-lo separadamente... Nós temos a tecnologia, então, acho que poderíamos fazê-lo como se estivéssemos todos em uma sala. Todos temos tempo de sobra em nossas mãos, mas quando for a hora certa de retornarmos, creio que não será muito difícil com a música, pois tenho certeza de que todos estão 'estocando' os seus riffs neste momento".

 

Confira esta recente live na internet citada aqui nesta matéria, com a performance do PEARL JAM da canção "Dance of The Clairvoyants", single do álbum "Gigaton": 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Pearl Jam: resenha das músicas de PJ20 pelo próprio diretor do documentário - Parte 2 (última)

August 10, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead