Foo Fighters: resenha profética de jornalista sobre a banda em 1995

July 2, 2020

 

Em 03 de junho de 1995, FOO FIGHTERS fazia o seu primeiro show em território britânico, no King's College Students Union, na cidade de Londres (foto).

 

Há 25 anos, Dave Grohl e sua recém formada banda, debutaram no velho continente num sábado a noite e por apenas 7 libras levariam o povo londrino a novamente assistir Dave Grohl em um palco.

 

Pasmem, NIRVANA havia se apresentado a última vez na Inglaterra em 1992, no lendário Reading Festival - 02 anos antes da banda acabar.

 

Esta aguardada aparição de Grohl, se daria também 01 mês antes do lançamento do álbum homônimo de estreia do FOO FIGHTERS. Veja o cartaz do show:

 

Confira agora alguns trechos do rico parecer de Keith Cameron, renomado jornalista da revista britânica New Music Express, através de sua resenha original feita para a revista lá em 1995 e que o mesmo estava presente neste show do FOO FIGHTERS.

 

 

Sim, em um testemunho de sua suprema autoconfiança ou absoluta insensatez, FOO FIGHTERS fará a sua estréia no Reino Unido, ao vivo, em uma noite de sábado e num local administrado por pessoas atualmente envolvidas em educação. Também palpavelmente fora de dúvida, é um sentimento picante de ansiedade... 

 

Embora isso se deva, em parte, à ilustre turnê agora do vocalista/guitarrista do FOO FIGHTERS, Dave Grohl, e até 01 ano atrás como baterista na banda de rock mais importante da década, NIRVANA, os jornais da capital estavam em constante ação nos últimos sete dias, repleto de relatórios e resenhas que sugeriam todos os avanços referente a era Cobain - pareceres verdadeiros com preconceitos caindo por terra, ou seja, o garoto poderia tocar.

 

De fato, no final da tarde de sexta-feira, os boatos e notícias eram fortes e inesperados na cidade.

 

Na noite do show, assim que as ondas de delírio começaram nublar a mente, a presença no palco do roadie extraordinário do NIRVANA e velho guitarrista extra-oficial, Big John Duncan, fornece as devidas garantias. Em seguida, Dave Grohl aparece, seguido pelo ex-colega do NIRVANA, o guitarrista Pat Smear, além do baterista William Goldsmith e do baixista Nate Mendel, ambos "de licença" do SUNNY DAY REAL ESTATE. 

 

Grohl dá um sorriso rápido, um pequeno aceno de cabeça e lá vai a música "This is a Call", a maravilha feliz que você agora pode admitir e destinada a ser um dos singles do ano... Parece simples assim.

 

Isso ameaçou ser uma ocasião emocionalmente carregada, considerando que a última vez que alguém presente poderia ter visto Dave Grohl em um palco britânico, tinha sido 03 anos antes no Reading Festival em 1992. Naquela ocasião, NIRVANA destruiu a sensação de tristeza iminente com uma performance incandescente e agora o FOO FIGHTERS dissipa um conjunto diferente de emoções, misturadas com uma performance indiferente de brilho.

 

É louvável que Dave Grohl dissipe o maior boato antes mesmo de começar: “Nenhuma das músicas é sobre Kurt”, ele afirma com convicção no começo do show - enquanto que o final da canção "This is a Call” ainda ecoa pelo meu cérebro. "Eu nem o envergonharia assim", foi a coisa certa a dizer e você apreciará um cara gentil e decente no futuro.

 

Que por acaso é um bom compositor, com um vocal altamente registrado e um guitarrista capaz - claro, além de ser um baterista incrível. No álbum, Grohl toca todos os instrumentos, mas aqui os seus amigos são uma unidade ao vivo sem rodeios. Pat Smear chama a atenção, me lembrando das filmagens dos shows do NIRVANA em sua última turnê, as quais sempre me deram a impressão de que Smear estava se divertindo mais do que qualquer outra pessoa, por isso não é surpresa vê-lo sorrindo amplamente para os adolescentes felizes aqui na frente. A sua guitarra fornece a essas canções alternâncias esplênicas e reservas vitais de calmaria em seu lastro - enquanto os garotos (baixista e baterista), que parecem mais trabalhadores do setor imobiliário, funcionam muito bem. 

 

Não é de admirar que Dave Grohl pareça tão relaxado.

 

Ou, pelo menos, tão relaxado quanto qualquer um que pula e bate cabeça com essas músicas "ridiculamente" cativantes. A premissa é básica e verdadeira, apesar de muitos supostos filhotes do grunge - praticamente nenhuma outra banda da geração pós-NIRVANA - não mastigaram a semente melódica viril da qual surgiu a genialidade da banda de Kurt Cobain. A maioria ignorou os BEATLES e foi direto para o BLACK SABBATH, mas agora, FOO FIGHTERS parece que gradativamente irá se juntar ao seu devido posto como aliados espirituais, como autores dessa adrenalina única que nasce apenas do casamento entre velocidade, volume e as melodias mais doces da Terra.

 

Eles terminam o show com o dilúvio persistente e prolongado da música "Exhausted", onde Grohl disse no final que os veremos novamente ainda neste verão. 

 

Sem dramas e sem crises, FOO FIGHTERS parte e o mundo continua essencialmente imóvel do seu eixo, mas ouça com atenção: são músicas do caralho que irão assobiar muito alto ainda.

 

Setlist:

 

1. This is a Call

2. I’ll Stick Around

3. Winnebago (b-side)

4. Wattershed

5. For All The Cows

6. Weenie Beenie

7. Butterflies (b-side)

8. Floaty

9. Big Me

10. Podunk (b-side)

11. Good Grief

12. X-Static

13. Alone and Easy Target

14. Exhausted

 

Confira o áudio completo desse histórico show:

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Pearl Jam: resenha das músicas de PJ20 pelo próprio diretor do documentário - Parte 2 (última)

August 10, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead