Rage Against The Machine: breve review sobre a canção "Maggie's Farm", cover de Bob Dylan

June 15, 2020

 

Nesta semana que passou, RAGE AGAINST THE MACHINE foi alvo de certos comentários em rede social sobre o espectro político da banda (a princípio, nada de novo), mas desta vez foi de pessoas que ainda não haviam entendido, apesar do nome do grupo, que eles eram uma banda política.

 

Em consequência, 03 dos quatros álbuns de estúdio do RAGE AGAINST THE MACHINE apareceram nos rankings da Billboard (1º disco) e do iTunes (1º, 2º e 3º disco). 

 

Com este fatídico momento, o site rockinthehead revisitou uma canção do álbum que, por enquanto, não foi rankeado, "Renegades" (4º disco, 2000). Sendo um álbum só de covers, o mesmo apresenta uma das músicas mais políticas da banda, quando o grupo tocou gloriosamente a canção de Bob Dylan, "Maggie's Farm".

 

O álbum seria lançado 02 meses depois que a banda tinha se separado pela 1ª vez, onde o mundo pôde conferir o RAGE AGAINST THE MACHINE apresentar a sua própria versão de músicas clássicas do rock'n roll. Isso incluiu eles virando a mão para canções, como: "Street Fighting Man" (ROLLING STONES), "The Ghost of Tom Joad" (Bruce Springsteen), "Beautiful World" (DEVO) e muito mais, onde a clássica música "Maggie's Farm" encerra o disco.

 

Bob Dylan precisou notavelmente de apenas uma tomada para gravar a canção "Maggie's Farm" em 1º de janeiro de 1965. Como muitas outras músicas de Dylan daquela época, é originalmente um número de blues elétrico.

 

As letras são Bob Dylan, chutando a sua frustração por ser um servo de sua gravadora, onde ele exalta as suas queixas na indústria da música e revidando a mercantilização de si mesmo que a sua gravadora criou.

 

Não foi apenas o RAGE AGAINST THE MACHINE que fez um cover dessa música. Bandas como U2, THE SPECIALS e GRATEFUL DEAD já a tocaram ao longo dos anos, mas este esforço específico do RAGE AGAINST THE MACHINE é a próxima melhor coisa depois da versão original de Bob Dylan.

 

Embora sonoramente a música do RAGE AGAINST THE MACHINE não poderia estar mais distante do mundo de Bob Dylan, o guitarrista da banda, Tom Morello, reconheceu a influência de Dylan em sua música, quando foi entrevistado pela revista Forbes em 2018: "Bob Dylan mudou a minha vida. Comecei a escuta-lo tarde em minha vida, pois sempre fui fã de música pesada. Primeiro, foi o metal, depois o punk rock, hip hop e quanto mais difícil, melhor”.

 

Ele continuou: "As letras de Bob Dylan meio que tocaram a minha angústia e agressão latente que tinha. Me lembro de ter pensado que eram as letras mais pesadas da minha vida e aquilo me abriu para o mundo da música folk. Três acordes e uma navalha enferrujada da verdade, sabe? Depois, conheci Bruce Springsteen e por aí vai, e então, comecei a compor e escrever as minhas próprias músicas. Mas eu me lembro que, para mim, o peso das letras de Bob Dylan era tão devastador e muito mais pesado do que uma parede de pilhas de amplificadores da Marshall”.

 

Desfrute da homenagem do RAGE AGAINST THE MACHINE a Bob Dylan na canção "Maggie's Farm":

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Serial Hawk: bandas atuais de Seattle mantendo o legado rock - Parte 3

July 15, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead