Jimi Hendrix: a influência dos livros de ficção científica que inspiraram o músico

June 10, 2020

 

Todos sabemos que Jimi Hendrix era para música o que Einstein foi para a ciência - uma comparação adequada à sua capacidade virtuosa. No entanto, onde muitos podem facilmente desenhar a semelhança entre os dois como titãs de seus respectivos campos, alguns não sabem da profunda apreciação de Hendrix por todas as coisas da ficção científica, e em particular, de romances da ficção científica.

 

Entre a lista de livros que moldou a mente de Jimi Hendrix, havia uma série de livros de ficção científica e é fácil ver como Hendrix e o assunto se entrelaçaram, lançando o músico para fora deste mundo e sonhando com experiências de outras dimensões.

 

Muitas pessoas poderão ver os elementos fantásticos que percorrem a música de Hendrix. O seu poder com a guitarra só era possível relacionar à imaginação furiosa e à criatividade desenfreada que ele empregava para levar o instrumento a um território desconhecido.

 

Foi uma imaginação arrepiante que o manteve ocupado na sua juventude. O jovem James era conhecido por carregar uma vassoura quando criança e por mais de 01 ano fingir estar tocando guitarra nela, até que pudesse pagar por uma. Era uma ferramenta vital para o jovem James escapar da sua vida agitada em Seattle.

 

Hendrix passou muito tempo entre as casas inquietas de famílias, amigos e vizinhos, e durante esse período de revolta contínua, ele precisava de uma forma de escapismo. Mais tarde, ele encontrou a guitarra como uma chave mestra para desbloquear todo o seu potencial, mas antes disso, Hendrix geralmente mergulhava a cabeça em livros e normalmente esses livros eram ambientados em terras de fantasia.

 

Por exemplo, sabe-se que o músico idolatrava Flash Gordon e a série de mesmo nome de ficção científica dos anos 30.

 

No entanto, o amor de Hendrix pela ficção científica não veio apenas dos livros. Sabe-se que o guitarrista afirmou ter visto um OVNI pairando sobre o quintal de sua casa numa certa noite e a partir deste momento, começou a escrever as suas próprias histórias. Ele enchia cadernos após cadernos com histórias sobre naves espaciais, alienígenas e batalhas galácticas que deixariam o diretor George Lucas com ciúmes.

 

À medida que Jimi Hendrix crescia, a música foi tomando parte da sua personalidade, mas ele nunca perdeu o amor pela ficção científica. Após o seu posto no Exército como pára-quedista, Hendrix passou a ser um guitarrista de apoio na banda de várias artistas consagrados, como do saudoso Little Richard, onde mais tarde se mudou para os mesmos círculos musicais que o baixista do THE ANIMALS, Chas Chandler, frequentava em Londres. 

 

Hendrix aceitou a proposta de gerenciamento por parte de Chandler e viajou para a Europa, onde a dupla trocaria histórias espaciais emprestando livros uns aos outros de suas próprias coleções de ficção científica.

 

Quando Hendrix chegou a Londres e suas composições começaram a serem levadas a sério, a lenda incorporaria o seu amor à ficção científica em seu trabalho musical. Ele afirmou numa entrevista que a clássica música "Purple Haze" (1º disco, "Are You Experienced", 1967) foi inspirada na ficção científica: "Eu tinha isso em mente sobre um sonho que tive, onde estava andando no fundo do mar", disse Hendrix. "Está ligado a uma história que li numa revista de ficção científica sobre um raio roxo da morte. A música chama-se 'Purple Haze'".

 

Esse não foi o único tipo de literatura em que Hendrix encontrou conforto e inspiração. O guitarrista era famoso pelo seu amor a Bob Dylan e mais importante, pelas suas letras. Sabe-se que Hendrix possuía e apreciava um livro de canções de Dylan, mas como Hendrix não sabia ler música, eram as letras de Bob Dylan que tinham peso para Hendrix.

 

Dylan e Hendrix eram diferentes em suas abordagens, mas ambos especialistas em criar as suas próprias realidades em seus trabalhos: “O que eu gosto de fazer é escrever muitas cenas míticas, como a história das guerras em Netuno e a razão pela qual os anéis de Saturno se formaram. Você pode escrever a sua própria mitologia, sabe?”, disse Hendrix na mesma entrevista. 

 

É claro que a conexão final viria quando Hendrix começou a apresentar o cover de Bob Dylan nos shows, "All Along The Watchtower", que inclusive fez questão de lançar no álbum "Electric Ladyland" (3º disco, 1968).

 

A sua paixão por livros é uma linha de pensamento que provavelmente o tomou conta desde os princípios de sua vida, e surgiu de sua adoração aos contos de fadas tradicionais e livros infantis: "Adoro ler contos de fadas, como Hans Christian Andersen e Winnie-The-Pooh", disse Hendrix.

 

Todo esse amor combinado à literatura e às fantasias escapistas que elas poderiam lhe proporcionar, inspiraram Jimi Hendrix a se tornar um dos artistas mais influentes de todos os tempos.

 

Com base em livros, biografias, revistas das antiga e documentários que possuo, veja abaixo os livros favoritos de Jimi Hendrix e o profundo amor pela ficção científica que ele tinha.

 

  • The Tibetan Book of the Dead

  • The Urantia Book

  • The Penguin Science Fiction Omnibus by Brian Wilson Aldiss

  • Complete Fairy Tales by Hans Christian Andersen

  • Night of Light by Philip José Farmer

  • Winnie-The-Pooh by A. A. Milne

  • Lot by Ward Moore

  • Earth Abides by George Stewart

  • Secret Places of the Lion: Alien Influences on Earth’s Destiny by George Hunt Williamson

 

E a performance de Jimi Hendrix da canção citada nesta matéria, "Purple Haze":

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Smashing Pumpkins: confira duas novas músicas, "Confessions of a Dopamine Addict" e "Wrath"

September 26, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead