Foo Fighters: Dave Grohl conta como foi a preparação para o show no estádio Wembley em 2008

May 27, 2020

 

"É quase como se eu tivesse caído em um filme do LED ZEPPELIN ou algo assim, nem parecia real", disse Dave Grohl em recente entrevista para a revista Entertainment Weekly.

 

Os estúdios de música podem estar abandonados e sair em turnê ainda é algo incerto, então, olhar para trás é algo vívido - pelo menos em espírito - e é por isso que iremos recordar um dos momentos clássicos na história do rock'n roll.

 

Em 2020 marca um 1/4 de século para o gigantesco FOO FIGHTERS pós-NIRVANA e embora a quarentena possa ter atrapalhado grande parte da celebração planejada para a banda, o líder do grupo tem mais do que histórias suficientes para contar nesse meio tempo - tanto em sua nova conta em rede social quanto em entrevistas - onde ele falou de um momento épico em sua vida pessoal e profissional: uma colaboração inesquecível com os seus ídolos de infância em um dos maiores palcos do mundo. 

 

Aqui, Dave Grohl conta a história de sua própria escadaria para o céu:

 

"Tudo começou com o benefício do Live Earth Festival em que tocamos, acho, em 2006 ou 2007. Foi em várias cidades do mundo, mas fomos convidados a tocar no show de Londres que seria no Estádio Wembley e na lista de bandas éramos os 'bananas' da vez". 

 

"Tinha Madonna, BEASTIE BOYS, GENESIS, METALLICA e vários outros artistas. Nós assumimos que éramos os últimos a ser escolhidos, porque eu imaginava que para a maioria dos festivais a escolha das bandas era baseada na popularidade, mas quando chegamos e vimos a programação, iríamos tocar depois de todo mundo e pouco antes de Madonna".

 

"Aconteceu que muitas dessas bandas tiveram outros festivais para participar naquela noite - a temporada de festivais de verão na Europa é louca, então, todo fim de semana é um país diferente e cada país tem um festival diferente. Mas de qualquer maneira eu estava aterrorizado e lembro que antes de continuar, o meu empresário, John Silva, me puxou para o lado e disse: 'Eu só preciso que você faça uma coisa por mim. Só preciso que você seja melhor que o METALLICA'. Eu disse: 'Isso não vai acontecer'".

 

'Mas decidimos, já que tínhamos apenas 20 minutos no palco e que faríamos o que o QUEEN fez no Live Aid Festival em 1985, que era basicamente tocar 05 de nossas músicas mais conhecidas que todos podiam cantar. Enquanto caminhávamos pelo palco, o sol estava se pondo e as luzes tinham começado a aparecer, sendo que nós basicamente fizemos uma versão abreviada de um setlist dos maiores sucessos, como 'My Hero', 'Everlong' e, caralho, eu não sei, tocamos 'Learn to Fly'? Apenas os grandes singles, sabe?"

 

"E no meio da apresentação anunciei brincando para o público que estaríamos de volta para tocar em Wembley por várias noites. Eu estava brincando, cara! Porque naquele momento nunca tínhamos tocado num grande estádio, então, cerca de 01 ano depois, quando o meu empresário perguntou se queríamos fazer, é claro que arregaçamos as mangas". 

 

"Nós projetamos o palco, quero dizer, literalmente desenhamos uma imagem de palco num guardanapo... Porra, é muito estilo SPINAL TAP, mas é verdade, era apenas um desenho bruto que acabou se tornando o modelo daquele palco".

 

"E então alguém nos perguntou se queríamos ter alguns convidados especiais. Eu mesmo sendo uma aberração do LED ZEPPELIN - você sabe, eu tenho tatuagens do LED ZEPPELIN - pensei: 'Bem, precisamos ligar para John Paul Jones'. Nós tínhamos tocado a canção 'The Pretender' com ele naquele mesmo ano no Grammy e formamos uma amizade, então, eu imaginei que essa era a ocasião mais importante da minha vida inteira e por que não chamar a banda que mudou tudo para mim?"

 

"Eu liguei para Jimmy Page e ele basicamente me disse: 'Bem, o que você quer fazer?' E fiquei com medo de responder. Eu senti como se estivesse acordado em um sonho, mas tinha que dizer alguma coisa, então eu disse: 'Que tal 'Rock and Roll'? Então ele disse: 'Sim, e o que mais?' Eu falei: 'Que tal 'Ramble On'?' E ele me respondeu: 'Ótimo, nos vemos nos ensaios'. Cara, foi tão fácil que eu não pude acreditar".

 

"Para ser sincero, você sabe que é um borrão na minha mente aquele show, eu sei que foi foda pra caralho ou o que quer que seja, mas eu só me lembro bem dos ensaios no dia anterior quando estávamos fazendo a passagem de som no estádio. Na verdade eu estava tão nervoso e com ressaca, e quando eles apareceram eu não podia acreditar que, finalmente, o momento que eu estava esperando - olhar para a minha esquerda e ver Jimmy Page, olhar para o meu lado direito e ver John Paul Jones - estava realmente acontecendo. Estar a apenas 03 metros de Jimmy Page, enquanto ele tocava e desfiava essas músicas clássicas, é muito difícil de explicar. É quase como se eu tivesse caído em um filme do LED ZEPPELIN ou algo assim, não parecia real".

 

"É difícil explicar a importância deles para mim, porque não tive aulas de música, não entendo a teoria musical convencional e não sei ler música, mas ouvir esses álbuns me ensinou muito, cara. Isso meio que me ensinou a aprender, o que de uma maneira eu os via como mais do que seres humanos - o que claramente eles não são". 

 

"São pessoas maravilhosas e generosas que andam na terra como nós, mas para mim eles significam muito mais que eu quase não queria impor nenhum tipo de relacionamento pessoal a eles. Embora anos depois eu acabei tocando por um tempo numa banda com John Paul Jones e Josh Homme chamado THEM CROOKED VULTURES, o que foi incrível, porque eu me tornei amigo íntimo de John".

 

"Mas de vez em quando vejo um vídeo deste show em Wembley e lembro como me senti subindo para outro estágio naquele momento, tipo, ter 60 ou 70 mil pessoas cantando 'Everlong' foi mágico, cara. Me lembro de ficar olhando para a minha mãe, minha esposa, minha filha, minha família inteira, apenas pensando: 'Isso não deveria acontecer, essa banda nunca deveria fazer isso. Sou muito grato por todas as outras coisas da minha vida, mas odeio sentir que isso foi apenas mais um show'".

 

"Não foi e nunca será para mim. Há algumas coisas na vida que ficam com você para sempre e sim, essa foi uma".

 

Confira a performance do FOO FIGHTERS neste show mencionado junto com Jimmy Page e John Paul Jones (guitarrista e baixista do LED ZEPPELIN):

 

"Rock and Roll"

 

"Ramble On"

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Soundgarden: "não temos mais controle sobre as vendas online de mercadorias da banda"

September 23, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead