• by Brunelson

Revista 89 Rock: matéria secundária de capa do Nirvana em 1999 - Parte 1


Na edição de fevereiro/março de 1999 (foto), a revista brasileira 89 Rock havia publicado uma reportagem secundária de capa sobre o NIRVANA, onde o autor relata de forma sintetizada toda a história da banda, salientando os principais eventos e histórias que marcaram o grupo.


Algumas informações foram corrigidas e outras incluídas pelo site rockinthehead, para que a história da banda transparecesse sincera aos fatos.


Logo abaixo, confira a 1ª parte desta matéria na íntegra:



* Crônica de uma morte anunciada


Algumas coisas passam tão rápido diante de nossos olhos que basta uma olhadela para o lado para que não vejamos nada.


O fenômeno que o NIRVANA representou para a música foi assim. Apenas 07 anos marcam a breve história da banda que ressuscitou a atitude do rock (1987, data do 1º show, até 1994), fazendo os anos 90 não passarem em branco.


Infelizmente, o destino trágico da banda já estava escrito...


Kurt Cobain não queria saber de estudar. Seu sonho era ter uma banda. Seus maiores ídolos eram o vocalista/guitarrista Buzz Osbourne, o baterista Dale Crover e o baixista Matt Lukin, integrantes do MELVINS, banda que influenciou toda a cena alternativa de Seattle.


Na cidade de Olympia, próxima a Seattle, Cobain ficou amigo dos caras. Não demorou muito e em 1986 já era roadie da banda. Conheceu várias figuras da cena punk, foi apresentado para o povo do BLACK FLAG e DEAD KENNEDYS e queria mais: fez um teste para entrar no MELVINS, mas o nervosismo de tocar com os ídolos o fez travar totalmente.


Antes disso, Kurt não havia desistido e já tinha montado sua primeira banda: FECAL MATTER, com Dale Crover na bateria (MELVINS) e Greg Hokanson no baixo. Gravaram 01 fita demo com algumas músicas (entre elas, "Downer", gravado mais tarde pelo NIRVANA) e fizeram somente 01 show de que se tenha conhecimento, no dia 01 de dezembro de 1985 em Pacific Beach, Washington, abrindo para o MELVINS.


Banda: FECAL MATTER

Música: "Sound of Dentage"

* "Lembra dele?!?"


Kurt conhecia o baixista Krist Novoselic da escola, mas quando abandonou os estudos, os 02 não se viram mais. Buzz Osbourne estava com Krist em Seattle e disse que iria reaproxima-lo de Kurt. Pouco depois do fim da FECAL MATTER, no inverno americano de 1986, Kurt e Krist resolveram tocar juntos.


Um cara chamado Aaron Burckhard assumiu a bateria, mas só ficou 01 mês na banda. Passaram por vários nomes de grupo e bateristas, como o próprio Dale Crover (fazendo alguns "bicos" para a banda) e Dave Foster.


O negócio ficou mais sério em 1988, quando Chad Channing assumiu de forma sólida as baquetas. Kurt já tinha um repertório pronto e o trio passou a fazer vários shows. O setlist incluía canções que estão no álbum "Bleach" (1º disco do NIRVANA, 1989), como a já citada "Downer", e algumas músicas que saíram bem depois no disco "Incesticide" (3º trabalho de estúdio, 1992), como "Aero Zeppelin".


O 1º nome da banda foi SKID ROW e alguns outros nomes que o trio teve, foram: BLISS, WINDOWPANE e TED ED FRED. Depois de tantas mudanças, finalmente atingiram ao NIRVANA. Quase que este nome não foi definitivo - anos depois, um grupo gospel com o mesmo nome tentou complicar a vida do trio.


"Downer"

"Aero Zeppelin"


* A primeira guitarra destruída a gente nunca esquece


NIRVANA começava a rolar pra valer na cena subterrânea de Seattle e a primeira demo era inevitável. Entraram em estúdio e gravaram uma fitinha com 10 canções. A produção ficou por conta de Jack Endino (que iria produzir o disco "Bleach"). A banda gastou apenas U$ 150 dólares com a demo. Quem gravou a bateria foi o chapa Dale Crover (antes da entrada de Chad Channing).


Mandaram o material para as gravadoras que julgavam adequadas. Nessas, foram contratados pela Sub Pop, cultuado selo de música alternativa de Seattle que lançou várias bandas punks e os primeiros grupos da cena grunge. Acabaram entrando na coletânea "Sub Pop 200" com a música "Spank Thru" (esta canção não entrou em nenhum álbum de estúdio do NIRVANA).


"Spank Thru"


No dia 30 de outubro de 1988, Kurt quebrava pela 1ª vez seu instrumento no palco. Da primeira guitarra detonada para o primeiro álbum, foi um pulo. Logo após o Natal daquele ano, começaram a gravar o disco "Bleach". Menos de 01 mês depois, terminavam as gravações. A foto da capa foi feita pela então namorada de Kurt, Tracy Marander, que também emprestou a grana para gravação daquela 1ª demo e serviu de inspiração para Kurt na letra da música "About a Girl".


"About a Girl"


No álbum "Bleach", Kurt já falava de tudo que o incomodava: autoritarismo, as relações familiares e a sociedade machista. A banda saiu em turnê pra valer pela 1ª vez e contou com mais um guitarrista, Jason Everman. O agora quarteto viajava numa van zoada e, fora Everman, eles chapavam o coco. O cara não curtia muito a atitude dos 03 e saiu fora - também por perceber que não teria voz ativa no grupo, referente a novas composições. Novamente como um trio, eles literalmente quebravam no palco. Quem assistia ao show, que normalmente começava com a canção "Molly's Lips", cover da banda escocesa THE VASELINES, ficava hipnotizado - e que foi lançada mais tarde no disco "Incesticide".


"Molly's Lips"


A pequena turnê foi crescendo e o NIRVANA tocou em algumas cidades da Europa. O 1º show por lá aconteceu na cidade de Newcastle, Inglaterra, e Kurt já começava a se estressar com a vida na estrada. No ano seguinte em 1990, muita coisa aconteceu. A Sub Pop passava por uma série crise financeira e o futuro do NIRVANA provavelmente não seria mais lá. Mesmo assim, a banda continuou impressionando.


Num show em New York, Thurston Moore (guitarrista) e Kim Gordon (baixista, ambos também vocalistas do SONIC YOUTH), estavam na plateia com um cara da gravadora Geffen e ficaram de bocas abertas, babando com a apresentação. A raiva com que Kurt destruía o palco era assustadora, mas o cara era esperto - muitas vezes, na hora da destruição, pegava uma guitarra velha e barata e guardava seu instrumento. Quando a banda já era mais famosa, alguns fãs levavam suas guitarras aposentadas para serem arregaçadas por Kurt no final do show.


Chad Channing não curtia ver Cobain quebrando o palco e pulando em sua bateria, mas independente disso, quando a banda começou a compor as músicas para o próximo álbum, Channing foi demitido pelo seu método de tocar bateria não estar mais agradando Kurt.


Foi substituído provisoriamente pelo baterista do MUDHONEY, Dan Peters (fez somente 01 show com o grupo), até contratarem Dave Grohl.


O baterista da banda SCREAM, Dave Grohl, foi a vários shows do NIRVANA e imaginou que aquela seria sua chance. Tinha um amigo em comum com Kurt e Krist, Buzz Osbourne, e foi encorajado a se apresentar para os caras. A sintonia rolou na hora: Kurt e Krist já haviam visto shows do SCREAM e curtiam o jeito como ele tocava. Rolou um teste e o cara arregaçou. Finalmente chegaram à formação que se transformou na banda de maior impacto da década. Ainda em 1990, outro fato marcante: Kurt conheceu, depois de tocar em Portland, Courtney Love.



* "Com vocês, a sensação do momento!"


Com essa formação, NIRVANA partiu para alguns shows na Europa. Ao voltarem, assinaram, por recomendação do SONIC YOUTH, com a Geffen Records. Em abril de 1991, iniciou-se a origem do nome da canção de maior sucesso do NIRVANA, "Smells Like Teen Spirit", e que seria o carro chefe do disco "Nevermind" (2º álbum, 1991).


Mesmo com a letra intimista, característica da maioria das composições de Kurt Cobain, a música “Smells Like Teen Spirit” foi abraçada pela juventude. Todavia, um ponto interessante sobre esta canção é a história de sua origem que envolve outra figura conhecida da cena punk da época: Kathleen Hanna.


Natural de Portland, Oregon (EUA), Kathleen estudou fotografia na Evergreen State College na cidade de Olympia, Washington (tanto Portland como Olympia são muito próximas de Seattle), onde foi convidada por Tobi Vail (baterista) para ser vocalista da sua 1ª banda, BIKINI KILL, que contava ainda com Kathi Wilcox no baixo e Billy Karren na guitarra.


O 1º álbum de estúdio da banda foi o disco chamado “Revolution Girl Style Now”, cujo título resumia o seu objetivo em difundir o discurso feminista sob à tonalidade contundente e transgressora do punk rock. Entretanto, BIKINI KILL era um desses grupos cujo discurso extrapolava a sua forma de comunicação. O mais importante para elas não era ser uma banda de punk rock, construir uma carreira musical ou qualquer coisa do tipo, mas sim terem as suas ideias ouvidas, seja pela música ou pelos seus fanzines que elas distribuíam ao público quando estavam na estrada fazendo os shows.


Conforme o BIKINI KILL foi completando turnês e produzindo novas músicas, a banda começou a crescer juntamente com outros grupos punk da época, como o NIRVANA. De fato, as 02 bandas eram realmente próximas uma da outra, porque a baterista Tobi Vail  namorou Kurt Cobain por um tempo e os membros de ambas as bandas eram amigos entre si.


Entretanto, a maneira como Kathleen Hanna e Kurt se tornaram amigos é um reflexo perfeito do que eles representavam naquele cenário e como o mundo se comportava (ou ainda se comporta) em relação à posição que essas pessoas assumiam. Enquanto Tobi e Kurt ainda namoravam, Kathleen estava saindo com um cara que acabou se tornando um viciado em crack e que começou a persegui-la. Julgada pelo seu rótulo, Kathleen, apesar de reclamar dessa ameaça constante, não era levada a sério pelas pessoas com quem convivia fora da banda, onde essas pessoas tratavam o caso dela como uma paranoia feminista ou qualquer coisa do tipo.


Todo mundo, exceto Kurt Cobain...


Como uma forma de proteger a sua amiga ele começou a ficar mais próximo dela. Inclusive em uma noite de bebedeira, na qual a cantora estava completamente chapada, ela chegou ao apartamento do frontman do NIRVANA e escreveu na parede do seu quarto: “Kurt smells like Teen Spirit”. 06 meses depois, Kurt iria telefonar para Kathleen perguntando se ele poderia fazer uma música com este título.


Apesar dos fãs, críticos e o próprio Kurt encherem a letra de “Smells Like Teen Spirit” de significados e interpretações, o que se passava na cabeça de Kathleen Hanna quando ela escreveu aquilo era algo bem mais simples. “Teen Spirit” era o nome do perfume que Tobi usava, sendo que a única coisa que a cantora realmente queria dizer quando escreveu “Kurt smells like Teen Spirit” era que o seu amigo estava com o cheiro da namorada (traduzindo: "Kurt cheira como Teen Spirit").


Dito isto, foram gravar o álbum "Nevermind". Com a moral lá em cima, rejeitaram todos os produtores que a gravadora indicou e escolheram Butch Vig, baterista e produtor do GARBAGE. Durante as gravações em Los Angeles, foram ao show do BUTTHOLE SURFERS. Chegando lá, Kurt encontrou Courtney mais uma vez e dizem, foi onde tudo começou.


O disco ficou pronto na metade de 1991, mas a gravadora esperou mais um pouco para lança-lo. No verão daquele ano - a convite e companhia do SONIC YOUTH - NIRVANA foi para a Europa novamente e fez apresentações históricas nos festivais do velho continente - ainda um grupo desconhecido, sendo sempre uma das primeiras bandas a se apresentarem e tocando no período da tarde. Enlouquecido, no Reading Festival, Inglaterra, Cobain se jogou na bateria e acabou deslocando o ombro.


Lembrando que durante esta turnê, o videoclipe da canção "Smells Like Teen Spirit" já estava em rotação no canal da MTV, mesmo antes de terem lançado o disco "Nevermind".


"Smells Like Teen Spirit"


Voltando para os EUA e com o clipe de "Smells Like Teen Spirit" já consagrado, o álbum "Nevermind" foi lançado no dia 24 de setembro de 1991. A tiragem de 08 mil cópias para a Inglaterra e 40 mil cópias para os EUA, esgotou em poucos dias. O sucesso da música "Smells Like Teen Spirit" começou a incomodar a banda. Cobain fez a canção criticando o molde de vida dos jovens universitários e não se conformava com o fato dela acabar virando o hino daquela geração.


Também não se conformava com a condição de estrela. Queria ser como seus fãs e estar entre eles. Num dos shows da turnê do disco "Nevermind", já fora de controle, mergulhou do palco e ficou algum tempo na galera. Um segurança insistia em puxa-lo de volta e acabou levando uma "guitarrada" na cara. O brutamontes não pensou duas vezes: deu uma porrada na nuca de Kurt, que caiu na hora.


Certa vez, ele disse acreditar que apenas os fãs de verdade iriam comprar o álbum "Nevermind" nas primeiras semanas e depois as vendas cairiam, mas quando viu a banda na MTV, percebeu que o disco iria vender muito mais. Um mês depois do lançamento, o grupo ganhava o disco de ouro. No dia 31 de outubro de 1991, aconteceu o histórico show com o MUDHONEY em Seattle, a 1ª apresentação do NIRVANA em sua cidade desde o lançamento do álbum "Nevermind".


No final de 1991, a banda partiu para uma turnê com os ingressos esgotados na Europa, marcada por problemas de saúde de Kurt. Ele se queixava de dores de estômago fortíssimas e dizia que se drogava para aliviar o sofrimento. Quando o trio participou de um programa da TV inglesa, o vocalista e guitarrista mandou: "Eu só queria dizer que Courtney Love, do grupo HOLE, é a melhor trepada do mundo".


Em outro programa de auditório da Inglaterra para as donas-de-casa, o apresentador caretão chamou: "Com vocês, a banda que é a sensação do momento, NIRVANA!". Nada poderia ser pior - talvez, melhor - para 03 largados que não estavam acostumados com o sucesso, mas eles fizeram questão de tocar a destruidora canção "Territorial Pissings" em vez da música "Lithium", que era o combinado com a TV (ambas do disco "Nevermind"), onde quebraram todo o equipamento no final. Antes de ir embora, ainda deixaram com o apresentador um recado que dizia que a banda poderia ser contratada para festas infantis.


Confira esta épica apresentação logo abaixo:


"Territorial Pissings"


NIRVANA ainda teve de participar do programa inglês, Top of The Tops, do famoso canal BBC, fazendo playback. A música ia rolando gravada e a banda fingia que estava tocando. Apenas o microfone ficava ligado, enquanto o áudio da canção "Smells Like Teen Spirit" tocava, Krist jogava o baixo para cima, Dave batia palmas e Kurt ficava com as mãos paradas na guitarra e mudava a letra da música dizendo para a galera se drogar e matar os amigos. O pior de tudo é que, mesmo com a banda aloprando, os adolescentes na plateia não paravam de pular.


No começo de 1992, o disco "Nevermind" vendia 300 mil cópias por semana e tirava do topo das paradas o álbum "Dangerous", de Michael Jackson. Em fevereiro de 1992, Kurt e Courtney se casaram no Havaí, numa cerimônia para poucas pessoas. Love usou um vestido antigo que pertenceu à atriz Frances Farmer (adorada pelo casal) e Kurt usou um pijama. Naquela época, os compromissos com a banda e os pessoais (Krist também era casado) desgastavam a relação entre os 03 integrantes.


O resto de 1992 foi muito complicado para Kurt, principalmente por causa da imprensa sensacionalista que dizia que o casal se drogava pesado durante a gravidez de Courtney. Quando a primeira e única filha do casal, Frances Bean Cobain, nasceu, a polícia tentou tomar a guarda da criança, mas além do casal ganhar na justiça, foi provado, através de exames, que o bebê não tinha problemas.


Após a turnê do disco "Nevermind", o ano de 1992 ficou marcado por shows esporádicos pelos EUA, com alguns concertos na Europa para suprir os que foram cancelados na turnê anterior (estas apresentações são raras de se encontrar), um show na Argentina e o restante nada a ver com a música. Internações em clínicas de reabilitação, problemas com drogas em sua vida caseira, processo judicial pela guarda da filha recém-nascida e nenhuma turnê ou planos de gravar um novo disco foi levado a sério - era a ressaca do estrelato.



* "Eu me odeio e quero morrer"


No dia 14 de dezembro de 1992, era lançado o disco "Incesticide", com músicas que não entraram nos álbuns "Bleach" e "Nevermind", alguns covers e canções que estavam naquela 1ª fita demo da banda. Para alguns, um verdadeiro presente, para outros, não passou de um caça-níqueis - na verdade, o grupo estava pressionado a lançar um novo álbum de inéditas, então, para suprir as necessidades dos fãs, gravadora e empresários, o grupo lançou o disco "Incesticide".


Confira o videoclipe da canção que foi o single do álbum "Incesticide":


"Sliver"


NIRVANA já parecia estar em sua fase terminal. Cobain não aguentava mais sofrer de problemas estomacais e se drogava cada vez mais. Logo em janeiro de 1993, aconteceram as fatídicas apresentações no Brasil. No camarim, o guitarrista ficava num canto, tendo náuseas e vômitos. Quase não conseguia falar.


Em fevereiro de 1993, a banda começou a gravar o álbum seguinte com a produção de Steve Albini, um produtor que naquela época era o mais procurado - e caro - entre as bandas de rock. Kurt disse durante as gravações que não se importava tanto com o NIRVANA, pois naquele momento tinha uma esposa e uma filha.


Ao mesmo tempo, Dave não parava de compor músicas para um projeto pessoal (que seria depois o FOO FIGHTERS). No final das gravações do novo álbum, Kurt dispensou Albini e contratou outro produtor para remixar 02 músicas, o single "Heart Shaped Box" e a canção "All Apologies".


"Heart Shaped Box"


Albini disse à imprensa que o NIRVANA tinha se vendido - por uma suposta pressão da gravadora em contratar um novo produtor para remixar as 02 canções citadas acima. O novo disco do grupo já estava confirmado com o título "I Hate Myself and I Want to Die" (e seria também a canção de abertura do álbum). Por pressões da gravadora e medo de que este título influenciasse os fãs - como nos casos de bandas e artistas como JUDAS PRIEST e Ozzy Osbourne, que foram acusados de, com suas letras, levarem fãs adolescentes ao suicídio - o nome foi mudado para "In Utero" (4º e último trabalho de estúdio, 1993).


É claro que esta música não entrou no disco...


"I Hate Myself and I Want to Die"


Em maio de 1993, Kurt quase morre de overdose e começa um tipo de tratamento sentimental/caseiro, realizado por Courtney e os melhores amigos do cara. Um mês depois, a polícia teve de intervir numa briga do casal e achou 03 armas na casa onde moravam. Numa manhã, no final de julho de 1993, outra overdose de Kurt. O mais impressionante foi que, no mesmo dia, a banda fez uma apresentação surpresa em New York.


Em agosto, NIRVANA saiu em turnê para promover o disco "In Utero" e chamou o guitarrista Pat Smear para as apresentações (THE GERMS, atualmente no FOO FIGHTERS). No dia 21 de setembro de 1993, o álbum "In Utero" era lançado e a banda conseguia o que queria: causar estranheza para alguns e decepcionar o público mainstream. Para eles, o que importava era que o disco saiu de forma espontânea, quase ao vivo. Dave Grohl disse que a obrigação de vender discos era da gravadora. O papel deles era tocar e gravar - e foi o que fizeram.


Em novembro de 1993, a banda participava do acústico da MTV e já dava para perceber que Pat Smear tinha que dar uma força para Kurt e segurar a bronca nas seis cordas. Mesmo com o novo disco não agradando a maioria dos fãs casuais, todos os shows daquela turnê americana vendiam como água - e o álbum "In Utero" sendo 1º lugar no ranking da Billboard e em vários países ao redor do mundo.


Era o começo de 1994 e Kurt procurava, aos poucos, anunciar o fim do NIRVANA, dizendo que os 03 tinham muitas ideias musicais que não poderiam expressar na banda e estavam cansados daquele tipo de som. Os fãs perceberam que o fim estava próximo quando Kurt entrou em coma na cidade de Roma, Itália - março de 1994, quando estavam em turnê pela Europa - após misturar champanhe com barbitúricos. Courtney disse que a overdose foi acidental, mas os boatos diziam que era uma tentativa de suicídio - o que foi realmente confirmado anos depois.


O líder do NIRVANA não conseguia mais segurar a bronca do sucesso e se afundava cada vez mais. Em vez de acabar com a banda, ia se acabando...


No dia 18 de março de 1994, em casa e com a turnê européia suspensa, Kurt se trancou no quarto com uma arma e a polícia teve de tira-lo à força. Ao mesmo tempo, cogita-se que Kurt já estava agilizando a papelada do divórcio. A banda precisou cancelar a turnê européia quando Kurt foi internado numa clínica de desintoxicação. Era a última tentativa de salva-lo. Uma das poucas conversas que teve foi com Courtney, pelo telefone, parabenizando-a pelo novo disco do HOLE. Também perguntou da filha Frances e disse que amava as duas. Provavelmente, foi a última vez que se falaram.


No começo de abril de 1994, a mãe de Kurt procurou a polícia, preocupada com o sumiço do filho. No dia 05 de abril, o cansado vocalista e guitarrista partiu deste mundo...


Na sexta-feira, dia 08 de abril, o corpo foi encontrado num quartinho sobre a garagem de sua casa, pelo eletricista que fora chamado há alguns dias para consertar o sistema de alarme. Courtney, depois de ler na nota suicida aos fãs que o sucesso não o seduzia mais, gritou, cheia de raiva: "Seu estúpido, não seja então um rockstar! Se você odeia, é só deixar de ser!"


Quem, na hora H, olhou para o lado, não viu nada...

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead