Soundgarden: trechos do novo livro de Greg Prato, "Dark Black and Blue: The Soundgarden Story" - Parte 1

September 24, 2019

 

Por alguma estranha razão, existem poucos livros que falam sobre a carreira do SOUNDGARDEN, apesar de muitos fãs, como eu, sentirem fortemente que o grupo não foi apenas a maior banda do grunge entre o recinto e rodas de amigos em Seattle, mas também um dos maiores grupos de rock de todos os tempos.

 

Desde meados dos anos 80 - quando o grunge ainda era um embrião - SOUNDGARDEN era uma banda muito respeitada e reverenciada pelos grupos contemporâneos de Seattle e região, além de ser a 1ª banda do grunge a assinar um contrato com uma super gravadora.

 

Percebendo que essa falha precisava ser corrigido, o jornalista e autor, Greg Prato, publicou o seu mais novo livro - "Dark Black and Blue: The Soundgarden Story".

 

Este é o 1º livro que conta a história completa do SOUNDGARDEN, desde os primeiros anos e formação dos seus membros, até a trágica morte de Chris Cornell em 2017.

 

Com isto, o site rockinthehead vai publicar em 04 partes, trechos extraídos deste belo livro com declarações de cada membro do grupo. 

 

Kim Thayil (guitarrista) sobre o início de carreira:

 

"Então, analisávamos a nossa música como: 'Ah, eu estraguei totalmente essa parte. Ok, vamos tentar de novo. Todo mundo pronto? Um, dois, três'. Chris tocava bateria e cantava, e lá pela 3ª tentativa, quando chegávamos perto do final da canção, eu estragava tudo de novo ou Hiro iria estragar dessa vez (baixista original da banda). Depois, ouvíamos o que tínhamos gravado e falávamos: 'Isso não ficou ruim, é bem legal! Dá personalidade à performance e à música. Sim, cara, parece uma porra do MEAT PUPPETS'. E isso se tornou parte do jargão do SOUNDGARDEN, tipo, fazia parte do nosso linguajar léxico ficar falando em certos momentos: 'Parece uma porra do MEAT PUPPETS'".

 

"Se tivéssemos o nosso próprio dicionário, teríamos dezenas, se não centenas de termos próprios, tipo, a hora da cerveja chamávamos de momento 'suave, macio'. Depois do jantar ou quando passava das 18:00hs, tipo, tudo bem, estava na hora da cerveja, do momento 'suave'. Ou se uma garota estava se dando bem com você, também dizíamos: 'Ela está me dando um momento 'suave'". 

 

"À medida que você vai envelhecendo, a cerveja começa a diminuir em sua vida - ou não, dependendo do seu grau de alcoolismo - mas 'uma porra do MEAT PUPPETS' significava que você tinha se perdido em certa parte da canção, ou os seus dedos tinham escorregado nas cordas ou nas casas do braço da sua guitarra ou baixo, mas que mesmo assim tinha aumentado a sua performance ou a música em si. Significava que você tinha avacalhado com a canção, mas para melhor, sabe? Era uma coisa legal e falávamos: 'Não vamos gravar novamente sobre isto, porque nunca seremos capazes de novamente estragar de uma forma tão legal, como dessa maneira que ficou gravado'".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Sessão da Tarde: vídeos de canções lados-b e trilhas do Alice in Chains - Parte 1

May 29, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead