• by Brunelson

Danny Goldberg: "Kurt era o chefe, visionário e fez os discos que queria fazer"


Danny Goldberg, empresário do NIRVANA e que lançou recentemente um livro marcando os 25 anos do falecimento de Kurt Cobain, "Serving The Servant", foi entrevistado recentemente pelo site Independent e falou sobre a banda.


Seguem alguns trechos:


“O sucesso absoluto do disco 'Nevermind' (2º álbum do NIRVANA, 1991) tornou, por definição, o significado do que era 'comercial'. Kurt estava consciente das atitudes de muitas pessoas na comunidade do punk rock, então, ele queria fazer algo diferente… Quando foram gravar o disco 'In Utero' (4º e último trabalho de estúdio, 1993), o produtor Steve Albini tinha uma técnica de gravação que criava um sentimento mais íntimo, como se a banda estivesse na sala com você - como o ouvinte".


"Quando Cobain pediu para o produtor Scott Litt remixar os singles do álbum 'In Utero' - as músicas 'Heart Shaped Box' e 'All Apologies' - para trazer seus vocais enterrados à tona, Albini atacou a equipe do NIRVANA na imprensa como manipuladora e parasítica.


Goldberg retruca: "Albini é um bom auto-promotor. Eu admiro alguns dos seus trabalhos, mas nunca o conheci até hoje. Todos têm o direito de ganhar a vida do seu jeito... Kurt controlava todos os aspectos do disco 'In Utero', enquanto tinha controlado cada aspecto do álbum 'Nevermind' e cada detalhe da carreira do NIRVANA".


"A ideia de que havia outras pessoas influenciando ou controlando o que Kurt fazia como artista, não é verdadeira. Kurt tinha 100% de controle criativo legal e moralmente sobre a sua arte. Ninguém foi discutir com ele depois que o disco 'Nevermind' estava pronto ou com qualquer decisão que ele tinha tomado. Kurt era o chefe, ele era visionário e fez os discos que queria fazer”.


Confira o áudio de estúdio das canções citadas nesta matéria, "Heart Shaped Box" e "All Apologies":

"Heart Shaped Box"

"All Apologies"

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques

2016 by RockInTheHead