• by Brunelson

Stone Temple Pilots: "nem penso, senão vou para terapia", sobre críticas nos anos 90


Stone Temple Pilots

STONE TEMPLE PILOTS está em turnê pelos EUA desde março de 2018.


Com algumas semanas de folga, o grupo vem excursionando sem dó e piedade, passando pelo Canadá no momento e com várias datas agendadas.


A banda está apresentando várias músicas que há tempos não eram tocadas ao vivo - devido ao debilitante desempenho vocal de Scott Weiland nos últimos anos - e também canções do novo álbum de estúdio, "Stone Temple Pilots" (7º disco, 2018, o primeiro com Jeff Gutt nos vocais).


O baixista da banda, Robert DeLeo, respondeu uma pergunta sobre a sua banda ter resistido ao teste do tempo, apesar dos críticos terem pegado pesado com eles no início dos anos 90 - em uma nova entrevista para o jornal The Record.


O jornalista solta uma nota, antes de apresentar as falas de Robert:



Neste ponto, um companheiro de espionagem me diz para deixar de me entreter ao passado, que eu fico chorando em voz alta.


Qual é a minha sugestão para salientar que, apesar dos golpes críticos dos seus primeiros dias - quando eles foram taxados como "os copistas do PEARL JAM de 5ª categoria" - STONE TEMPLE PILOTS ainda é uma das últimas bandas de rock de verdade?


Com 08 sucessos de rock nº 01 no ranking da Billboard, incluindo as canções, “Plush”, “Vasoline” e “Interstate Love Song” - ancorados numa época em que as músicas tinham influência cultural - esse híbrido do grunge com o hard rock possui um legado para toda uma geração.


Não surpreendentemente, os críticos estão finalmente cedendo as pontas, com a banda agora sendo reconhecida com o "melhor single desde a saída de Scott Weiland em 2013" (da canção "Meadow") e Weiland citado pelo frontman do SMASHING PUMPKINS, Billy Corgan, como "uma das grandes vozes de nossa geração".


Robert DeLeo, modesto e discreto, dá um passo à frente confidenciando e sem perder o ritmo:


"Eu nem penso nessas coisas, porque se fosse pego nisso, acho que teria que ir à terapia... Sabe, não é questão de ego, mas para bandas como o STONE TEMPLE PILOTS, a música é parte da nossa alma".


"Enquanto essa banda tiver algo a dizer, vamos fazer. Quando isso parar, vamos fazer as malas. Eu não vejo a música como uma empresa da qual vou me aposentar".


"Eu não sei se estarei gravando discos quando tiver 80 anos, mas provavelmente ainda estarei compondo música..."


Confira a performance da banda com a música "Meadow", agora em 2018:

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes
Destaques