Stone Temple Pilots: “Scott era muito antagônico”, disse guitarrista

January 23, 2017

 

Dean DeLeo, guitarrista do STONE TEMPLE PILOTS, falou sobre o 25º aniversário do álbum de estreia em 2017, “Core” (1992), em uma nova entrevista para o site Music Aficionado.

 

Segue somente alguns trechos:

 

"Nós lançamos 04 singles para o álbum 'Core'. A canção 'Plush' fez tudo dar certo. Eu não posso dizer muita coisa sobre Weiland, liricamente falando (vocalista). Ele era tão brilhante... Onde ele foi liricamente em 'Plush', é simplesmente incrível, sendo tão poético como ele era e quão metaforicamente ele se expressou. Robert (baixista) compôs essa canção, 100% é dele, sendo que Scott escreveu a letra e a melodia vocal. Eric (baterista) também contribuiu para as letras dessa música”.

 

“A nossa gravadora nunca escolheu os nossos singles, sabe? Nós é que escolhemos as ordens de lançamento e quais músicas serão. Se você notar, a canção 'Plush' é a faixa nº 9 naquele álbum. Nós meio que enterramos ela de propósito no disco, porque sabíamos que era uma grande música - mas queríamos primeiro nos estabelecer. Sentimos que a canção 'Sex Type Thing' iria ser ótima como o 1º single e definimos isso com a gravadora. Então, nós tivemos algumas canções que estavam nos permitindo se espalhar pelo mundo afora. Isso é uma coisa interessante de se falar... A minha esposa sempre deixa o rádio do carro ligado quando saímos. Um dia, eu entrei no carro e me fez sentir como se tivesse 11 anos de idade. Foi cerca de 01 ano atrás, eu entrei no carro e a música 'Creep' havia acabado de começar. Eu não acho que essa música havia me causado um impacto tão forte, como havia sido naquele dia. Eu não estava pronto para aquilo..."

 

Ele também falou sobre a controvérsia em torno das letras da canção "Sex Type Thing":

 

"Não, não me surpreendeu. Eu conhecia Scott... Ele simplesmente adorava esse tipo de coisa, sabe? Ele gostava de transformar as pessoas nas suas cabeças. Ele era muito antagônico. Toda a coisa era como, tipo: 'Se as pessoas não entendem, que pena... Nós sabemos o que é’”.

 

Ele também falou sobre as demos gravadas antes do álbum “Core”, e da noite em que o STONE TEMPLE PILOTS foi assinar o contrato com a sua gravadora, Atlantic Records:

 

"Tínhamos algumas demos antes de lançar o disco 'Core'. Tínhamos 01 demo que fizemos no apartamento de Robert, quando o nome da banda ainda era MIGHTY JOE YOUNG. Então, gravamos outra demo - esperando que fosse algo mais do que uma demo, você me entende? Logo quando fizemos alguns shows, apresentamos as músicas ‘Wicked Garden’ e ‘Naked Sunday’, e mais umas coisas que fizeram o seu caminho para o álbum 'Core'”.

 

“Estávamos tocando muito. Estávamos tocando entre San Diego e Sacramento, direto, apenas aceitando qualquer show que pudéssemos. Eu acho que isso foi o que possivelmente chamou a atenção de algumas pessoas. O nosso querido amigo, Tom Carolan, assinou com a banda naquela época. Uma vez, ele apareceu num show nosso em um local meio afastado em East Vermont, chamado Shamrock. Eu acho que havia cerca de 11 pessoas no clube naquela noite, sendo que 05 delas provavelmente trabalhavam lá. Nós havíamos acabado de compor a música ‘Sin’, e Scott ainda não tinha nenhuma melodia vocal ou letra para ela. Estávamos tão encantados com essa canção, que abrimos aquele show tocando-a instrumentalmente. Tom havia me dito que nós havíamos tocado nesse show, como se fosse o nosso último dia de vida".

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Social Icon
Mais Recentes

Grunge: Top 50 melhores álbuns pela Revista Rolling Stone - nº 19

September 30, 2020

1/5
Please reload

Destaques
Please reload

2016 by RockInTheHead